Defeitos neuronais podem explicar perturbações no sono em doentes de Parkinson

Uma equipa de investigadores, incluindo o português Jorge Valadas, descobriu que as perturbações do sono nos doentes de Parkinson podem dever-se ao funcionamento defeituoso de um tipo de células cerebrais.

O grupo coordenado pelo neurocientista belga Patrik Verstreken, da Universidade de Lovaina e do instituto de biotecnologia VIB, verificou que os doentes de Parkinson com uma forma hereditária da patologia têm acumulação de neuropéptidos nos neurónios que segregam estas pequenas proteínas em condições normais.

A desregulação da atividade destas células cerebrais está associada às perturbações no sono, um dos sintomas não-motores da doença e uma das queixas ‘top 5’ dos pacientes, disse à Lusa Jorge Valadas, primeiro autor do estudo, sublinhando que 80% dos doentes de Parkinson têm insónias, sono descontínuo durante a noite e sonolência de dia.

No estudo, publicado na revista da especialidade Neuron, os cientistas utilizaram como modelo a mosca-da-fruta com duas mutações genéticas ligadas à doença de Parkinson, por comparação com uma população de mosca-da-fruta saudável.

Os resultados obtidos foram depois validados em neurónios humanos gerados a partir de células estaminais adultas (que se diferenciam em outras células) de doentes de Parkinson com a mesma mutação nos dois genes que está associada à doença e a um dos seus sintomas: a “fragmentação do sono a meio da noite” e a alteração no ritmo circadiano (que regula o estado de vigília e sono).

Na experiência, a equipa de Jorge Valadas constatou que as moscas-da-fruta modificadas geneticamente mexiam-se mais ao longo da noite, ao passo que o grupo de controlo dormia (mantinha-se quieto) durante oito horas.

Ao dissecarem os cérebros das moscas mutantes, os investigadores observaram a acumulação de neuropéptidos nos neurónios que expressam estas proteínas, concluindo que tal se deve à “deficiente produção” das vesículas que transportam os neuropéptidos do sítio onde são produzidos até à sinapse (região de comunicação entre dois neurónios) onde são libertados.

As vesículas (pequenas bolsas das membranas das células cerebrais) são compostas maioritariamente por lípidos (gorduras).

Os cientistas descobriram que um tipo de lípidos – fosfatidilserina – estava em concentrações baixas nas moscas-da-fruta que reproduziam a doença de Parkinson.

Posteriormente, ao darem aos insetos uma dieta alimentar rica em fosfatidilserina, conseguiram ao fim de quatro dias “reverter parcialmente” os sintomas de perda de sono e regularizar os níveis de lípidos.

Nas culturas de células neuronais humanas, a equipa só conseguiu validar a acumulação de neuropéptidos, sem poder confirmar a desregulação no padrão de lípidos (não se sabe, por isso, se a administração de fosfatidilserina, substância que é comercializada como suplemento alimentar, reverte nas pessoas sintomas da doença de Parkinson).

Para o português Jorge Valadas, os neurónios que expressam neuropéptidos podem ser uma “via alternativa para alvos terapêuticos na doença de Parkinson”, até porque, assinalou, os sintomas não-motores da patologia, como as perturbações de sono, “ocorrem dez a 20 anos antes” dos sintomas motores, como tremores e lentidão de movimentos.

Num próximo passo, os investigadores irão testar os resultados em outros “modelos genéticos” da doença, e eventualmente usar ratinhos, antes de avançarem para ensaios clínicos com doentes.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cabeceamentos no futebol podem ser proibidos ou limitados. O problema é o risco de demência

A Federação escocesa de futebol prepara-se para proibir os cabeceamentos nos escalões com menores de 12 anos.  Em Inglaterra, fala-se em limitar este gesto futebolístico que foi associado a doenças neuro-degenerativas em vários estudos científicos. …

Fenómeno cerebral desvenda enigma sobre as casas do Neolítico

O comportamento humano está influenciado por aspetos inconscientes. Um deles é um fenómeno da perceção conhecido entre psicólogos como a negligência espacial cerebral. Este fenómeno refere-se à observação de que as pessoas saudáveis preferem o seu …

Justiça do Mónaco investiga José Eduardo dos Santos e Isabel dos Santos

As autoridades do Mónaco estarão a investigar a empresária angolana, assim como o seu pai e o seu marido, pelo crime de branqueamento de capitais. De acordo com o semanário Expresso, as autoridades judiciais do Mónaco …

Depressão Glória atinge Portugal continental com vento forte

A depressão Glória está a caminho. Segundo o Instituto Português do Mar e Atmosfera, no domingo, esperam-se rajadas de vento que podem atingir os 110 quilómetros por hora nas terras altas. A depressão Glória vai passar …

Governo não renova PPP do Hospital de Loures

O Estado não vai renovar a atual parceria público-privada (PPP) do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que é gerido pelo grupo Luz Saúde, anunciou a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo …

Cientistas podem ter descoberto por que Beethoven ficou surdo

Ludwig van Beethoven começou a notar dificuldades de audição em 1798, com 28 anos. Com 44 ou 45, estava totalmente surdo. Aos 56 anos, o músico morreu e, até hoje, ainda não se sabe …

Tochas em Alvalade. Liga pede reunião de urgência ao MAI

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) solicitou, esta sexta-feira, uma reunião de urgência ao ministro da Administração Interna, na sequência dos incidentes no encontro entre Sporting e Benfica. "A Liga Portugal lamenta profundamente …

Moody’s mantém rating de Portugal acima do "lixo"

A agência de rating norte-americana manteve, esta sexta-feira, a notação financeira de Portugal em “Baa3”, acima de lixo, e a perspetiva em positiva. De acordo com um comunicado no site da agência, a Moody's assinala que …

Suspeitos da morte de jovem cabo-verdiano ficam em prisão preventiva

Os cinco suspeitos da morte do estudante cabo-verdiano vão aguardar julgamento em prisão preventiva, indiciados pelos crimes de homicídio qualificado e três tentativas de homicídio. A decisão, lida aos jornalistas cerca das 23h30 de sexta-feira por …

Cientistas descobriram o ponto fraco dos tardígrados

Os tardígrados, também chamados ursos de água, são conhecidos pela sua resistência. Mas um novo estudo revela agora que estes pequenos organismos também têm um ponto fraco: exposição de longo prazo a altas temperaturas. Em 2018, …