Dasha passou quatro meses presa porque a polícia confundiu algodão doce com droga

Dasha Fincher, uma norte-americana residente no estado da Geórgia, passou três meses na prisão porque a polícia confundiu um saco com algodão doce com drogas. De acordo com o processo, o erro ocorreu devido a um teste defeituoso.

Segundo o New York Times, Dasha, de 41 anos, está agora a processar o condado de Monroe, a polícia e a empresa que fez o teste de drogas. O teste foi realizado durante uma operação de trânsito na véspera do Ano Novo de 2016.

A mulher foi mantida sob custódia, uma vez que não podia pagar a fiança no valor de um milhão de dólares. A ação agora interposta por Dana argumenta que o condado violou os seus direitos civis.

Dasha foi presa e acusa por tráfico e posse de metanfetaminas. A mulher foi detida ao fim de da tarde da véspera de Ano Novo e permaneceu na cadeia do condado de Monroe até ao dia 4 de abril – passaram-se quatro meses.

Dasha Fincher seguia com o seu namorado e os agentes pediram-lhe que parasse o carro porque suspeitaram das janelas escuras da viatura. Ambos tinham as cartas de condução caducadas. Os agentes pediram depois à mulher que abrisse a mala do carro e foi aí que encontraram o saco que continha a substância azul sólida.

Depois de encontrarem o saco, levaram-no para análise num aparelho chamado Sirchie, que acabou por dar positivo para metanfetaminas. “Consegue dizer-me porque é que o teste de drogas deu positivo para metanfetaminas?”, perguntaram os agentes a Dasha? A mulher respondeu que não sabia, alegando que aquilo era algodão doce que os filhos da amiga que lhe emprestara o carro se tinham esquecido e haviam congelado com o frio”.

Apesar de clamar inocência, o teste de drogas acabou por a incriminar. Meses depois, e depois de uma análise levada a cabo por um laboratório criminal qualificado, determinou que se tratava mesmo de algodão doce congelado, nota o Diário de Notícias.

O aparelho utilizado pelos agentes dava resultados positivos em drogas para substâncias como chocolates e batatas fritas – e havia milhares de diagnósticos errados. Após o novo teste, a mulher as acusações foram retiradas.

A mulher diz ter perdido momentos importantes da sua vida devido à prisão ilegal, incluindo o nascimento dos seus netos e a oportunidade de cuidar e apoiar a sua filha que tinha sofreu um aborto espontâneo enquanto estava presa.

Além disso, a prisão continua registada no seu cadastro criminal, apesar da sua inocência ter sido provada, nota ainda o processo. Por tudo isto, Dasha Fincher pede uma indemnização por negligência e ações ilícitas.

ZAP // BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …

Russos e ucranianos estão em guerra por causa de sopa

A sopa de beterraba é russa ou ucraniana? Um tweet do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa veio falar em prato nacional e a reação na Ucrânia não tardou a chegar. O tweet é de …