Darwin tinha razão. Cientistas descobrem por que alguns insetos perderam a capacidade de voar

Apesar de a maioria dos insetos conseguir voar, há várias espécies que perderam essa capacidade, nomeadamente nas ilhas subantárticas. Agora, uma equipa de cientistas descobriu que a teoria de Charles Darwin estava correta.

Investigadores da Universidade Monash, na Austrália, descobriram que a teoria do biólogo Charles Darwin estava certa: o vento pode mesmo explicar por que motivo os insetos de algumas ilhas perderam a capacidade de voar. Os resultados da investigação, que comprovam a teoria de 160 anos, foram publicados na Proceedings of the Royal Society B.

Segundo o EurekAlert, nas pequenas ilhas que se localizam a meio caminho entre a Antártida e a Austrália, quase todos os insetos perderam as asas. Há 160 anos, Charles Darwin apresentou uma teoria e os cientistas quiseram testá-la.

“Ele e o famoso botânico Joseph Hooker tiveram uma discussão substancial sobre o motivo. A posição de Darwin era enganosamente simples. Se o inseto voar, será lançado no mar. Os que ficaram em terra para produzir a próxima geração são os mais relutantes em voar e, eventualmente, a evolução faz o resto. Voilà”, comentou, em comunicado, Rachel Leihy, principal autora do estudo.

A comunidade científica esteve convencida, durante vários anos, de que Darwin estava errado. No entanto, quase todos os estudos sobre o tema ignoraram as ilhas subantárticas, um dos lugares com mais vento da Terra.

Agora, esta equipa usou um grande conjunto de dados sobre os insetos destas ilhas e examinou todas as teorias propostas para explicar a perda da capacidade de voo dos insetos. Só a teoria de Darwin explica a extensão da perda de voo em insetos subantárticos, embora de uma forma ligeiramente variada.

Como as condições de vento tornam o voo mais difícil e energicamente mais exigente, os insetos pararam de investir no voo – e, consequentemente, nas asas e músculos das asas -, redirecionando os recursos para a reprodução.

Nestas ilhas, as moscas andam e as traças rastejam. “É notável que, 160 anos depois, as ideias de Darwin continuem a trazer insights para a ecologia”, rematou Rachel Leihy.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas desenvolveram mini-cérebros (quase) humanos

Cientistas norte-americanos enviaram para a Estação Espacial Internacional (EEI) aglomerados de células nervosas, chamadas de mini-cérebros, que estão, agora, a desenvolver-se de formas que os investigadores não imaginavam ser possível. Os organóides foram criados a partir …

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …