/

“Triste por passar de bestial a besta”, D. Manuel Clemente pode estar de saída (e já há um possível sucessor)

7

patriarcadodelisboa / Flickr

Cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente

O Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, foi recebido, nesta sexta-feira, pelo Papa Francisco e terá colocado o seu lugar à disposição, “agastado” com as notícias que têm colocado a sua posição em xeque no âmbito das suspeitas de pedofilia na Igreja Católica em Portugal.

A revelação de vários casos de abusos sexuais na Igreja Católica portuguesa que não terão sido comunicados à polícia, com alguns padres mantidos no activo, estão a pôr em causa a actuação das figuras de topo da instituição, como D. Manuel Clemente, o Cardeal-Patriarca de Lisboa.

Nesse âmbito, o próprio D. Manuel Clemente pediu uma “audiência privada” com o Papa Francisco, tendo sido recebido nesta sexta-feira, 5 de Agosto.

Esse encontro também serviu para “discutir a continuidade do Cardeal no cargo, mostrando-se este disponível para sair já se o Papa assim entendesse”, noticia o Nascer do Sol.

Apesar de ter, alegadamente, colocado o lugar à disposição, o Cardeal-Patriarca terá sublinhado ao Papa que a sua actuação, tal como a do antecessor, D. José Policarpo, “seguiram as directrizes de então da Igreja”, refere ainda o mesmo semanário.

O Papa “terá pedido a D. Manuel Clemente que permaneça no cargo até às Jornadas Mundiais da Juventude, em Agosto de 2023, se o seu estado de saúde permitir”, noticia o referido jornal.

Uma fonte próxima de D. Manuel Clemente revela ao Nascer do Sol que este “está profundamente triste e agastado com o julgamento na praça pública” e por “passar de bestial a besta após 50 anos de missão na Igreja”. Assim se justificará o facto de ter colocado o lugar à disposição do Papa.

O cardeal Tolentino de Mendonça já é apontado como um eventual sucessor de D. Manuel Clemente, segundo apurou o mesmo jornal.

D. Manuel Clemente, de 74 anos, é Cardeal-Patriarca de Lisboa desde Maio de 2013.

O Patriarcado de Lisboa não comentou ainda estes dados, confirmando apenas, numa nota oficial, que D. Manuel Clemente foi recebido pelo Papa Francisco “em audiência privada, no Vaticano”.

“O encontro, pedido pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa, realizou-se num clima de comunhão fraterna e num diálogo transparente sobre os acontecimentos das últimas semanas que marcaram a vida da Igreja em Portugal”, aponta ainda o Patriarcado na referida nota.

  ZAP //

7 Comments

  1. AD AETERNUM ?! NÃO Triste fim de uma farsa. . O Império Romano Cristão vai desabando aos pouco, graças a deusa NET Nem os Pontífices acreditam em seus poderes representativos:: um renunciou sem apresentar motivo, o que indica um mistério para se desvendar – BENTO XVI.. O que aconteceu ao alemão ? O FRANCISCO I , primeiro e único dá sinais de “cansaço” , fala-se em renúncia. Triste fim da SANTA MADRE IGREJA, CATÓLICA E APOSTÓLICA ROMANA, triste fim do IMPÉRIO ROMANO CRISTÃO, é o que pensa joaoluizgondimaguuiargondim – [email protected]

  2. Nunca acreditei nesta treta da igreja que só faz as pessoas terem medo e sofrerem….. Nada mais apenas isso sofrimento e medo….incrível crianças que já sofriam pensam que estão protegidos pela igreja e é aí que sofrem horrores…
    Igreja e religião que doença….

  3. Tal como todos os outros um protetor de pedófilos e abusadores sexuais entre os seus pares. Este ainda confessa que eram as instruções da igreja a data. Só quando a pressão se tornou insuportável mudaram. Se esta gente acreditasse mesmo em Deus ou não Inferno não fariam isto.

    • Não os impede de acreditar, até porque uma simples confissão garante a absolvição e consequente salvação!

  4. Coloca o lugar à disposição, mas sobre a cumplicidade no acontecido sobre a sua tutela, o mais provável é ficar impune do ponto de vista criminal!
    Uma vergonha!

  5. Confirma-se que os jornais em Portugal passaram definitivamente de bestiais a BESTAS!
    Caluniam, mentem e exploram de forma a manipular os acéfalos ou os idiotass úteis de que fala o camarada Lenine! Ele mesmo aconselhava: mintam, mintam sempre que da mentira muita coisa há-de ficar.
    Porque não falam de padofilia no judaismo ou no islamismo? Porque não informam sobre a violência sobre asmulheres muçulmanas em Portugal? E porque não falam nem exigem castigo para os democratas pedófilos?
    Porque não fazem uma investigação histórica sobre a malta de esquerda que há mais de 50 anos, já defendiam a legalização de comportamentos contranatura, caso da homossexualidade ou da pedofilia?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.