Pessoas de culturas distintas podem ter uma sensibilidade diferente ao sabor amargo

A cultura de uma pessoa pode ter um papel importante na sensibilidade ao sabor amargo encontrado, por exemplo, em alimentos como brócolos, couves bruxelas e chocolate preto, revelam os investigadores.

Ao permitir que os participantes experimentassem a substância amarga PROP, dois estudos mostram que os dinamarqueses e os chineses sentem esse sabor de forma diferente.

O motivo pode estar relacionado com uma diferença anatómica nas superfícies da língua desses dois grupos, destaca o Futurity.

“Os estudos mostram que a grande maioria dos participantes chineses são mais sensíveis ao sabor amargo do que os dinamarqueses. Também analisamos uma ligação entre a proeminência do sabor amargo e o número de pequenas saliências, conhecidas como papilas, presentes na língua”, diz Wender Bredie, professor na Universidade de Copenhaga.

Através do uso de um método de inteligência artificial, os investigadores analisaram o número de papilas fungiformes na língua dos 152 voluntários que participaram no teste, dos quais metade eram dinamarqueses e outra metade chineses.

As papilas fungiformes, localizadas na ponta da língua, contêm uma grande maioria das papilas gustativas e desempenham um papel central nas experiências alimentares e gustativas. Para avaliar a importância das papilas nas preferências alimentares entre culturas, é importante aprender mais sobre a sua distribuição, tamanho e quantidade.

Como a contagem das papilas da língua geralmente é feita manualmente, e a língua tem centenas de minúsculas papilas fungiformes, é fácil cometer erros. Então, os especialistas desenvolveram um novo método que automatiza a contagem e oferece precisão. Usando um algoritmo, a equipa projetou um sistema de coordenadas de língua que pode encontrar papilas em línguas individuais usando o reconhecimento de imagem.

A análise demonstrou que os participantes chineses geralmente tinham maior tendência a ter dessas papilas do que os dinamarquesas, um resultado que os investigadores acreditam que explica por que razão os asiáticos são mais eficazes a detetar sabores amargos.

No entanto, Bredie sublinha que esta questão precisa de ser examinada com mais pormenor antes que de ser retirada qualquer conclusão definitiva.

A genética é apenas um dos vários fatores que pode influenciar a forma como as pessoas saboreiam os alimentos, refere Bredie. Outro fator significativo tem a ver com as preferências – incluindo a textura.

Por exemplo, há uma grande diferença entre mastigar batatas fritas crocantes e comer batatas que já estão moles. De acordo com o estudo, nesta situação, muitos dinamarqueses provavelmente prefeririam as batatas crocantes.

Contudo, a grande maioria dos chineses (77%) prefere alimentos que não requerem muita mastigação, o contrário acontece com os dinamarqueses. O europeus (73%) preferem comer alimentos com consistência mais dura e que exija mordidas.

Os investigadores acreditam que estas oposições entre pessoas de diferentes locais, são baseadas em diferenças na cultura alimentar e na forma como se aprende a comer.

Os estudos não apontam que o formato da língua faça alguma diferença. Foram publicados na Food Quality and Preference e na Springer Link.

Ana Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Vulcão nas Canárias em erupção e destrói casas. Cinzas podem chegar à Madeira

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou este domingo em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. A …

Cientistas queriam estudar a propagação das borboletas, mas criaram uma matriosca de parasitas

Objetivo dos cientistas era perceber, através da introdução da espécie de borboletas Glanville fritillary qual o seu poder de dispersão numa ilha finlandesa. No entanto, acabaram com um retrato alarmante para todos os investigadores que …

Marcelo encontra-se em Nova Iorque com Presidentes das Maldivas e Peru

O Presidente da República tem agendados encontros bilaterais com cinco chefes de Estado, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), entre os quais os presidentes das Maldivas e …

Erupção do Fagradalsfjall dura há seis meses. É a mais longa na Islândia em 60 anos

A erupção vulcânica perto de Reykjavik se tornou a mais longa da história da Islândia desde 1960, marcando seis meses de expulsão de gás, pedra e lava no domingo (18). Milhares de espectadores ficaram maravilhados com …

Cientistas foram à procura de matéria escura e acabaram por encontrar energia escura

Uma equipa de cientistas foi à procura de matéria escura e pode ter encontrado energia escura em vez disso. Os investigadores querem ter a certeza que não foi uma casualidade. A energia escura é uma forma …

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …