Investigação sobre cultivo de células humanas em macacos é “mais um passo” para compreender doenças

AFP

Investigadores de instituições chinesas e norte-americanas conseguiram integrar células humanas em embriões de macacos, um avanço na pesquisa biomédica sobre determinadas doenças e transplante de órgãos, defende um estudo hoje divulgado.

“Um objetivo importante da biologia experimental é o desenvolvimento de sistemas-modelo que permitam o estudo de doenças humanas em condições `in vivo´”, disse Juan Izpisua Belmonte, do Instituto para as Ciências Biológicas Salk dos Estados Unidos, citado num comunicado do instituto sobre o estudo, publicado hoje na revista científica de biologia experimental Cell.

Os investigadores consideram que os resultados do estudo constituem “mais um passo” na compreensão do desenvolvimento humano e da progressão de doenças, contribuindo também para responder à escassez de órgãos para transplantes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que os cerca de 130 mil transplantes realizados anualmente fiquem aquém das verdadeiras necessidades, uma situação que é agravada pela escassez de órgãos disponíveis para esses procedimentos.

A capacidade de fazer crescer as células de uma determinada espécie dentro de um organismo de uma espécie diferente – resultando em tecidos denominados ‘quimeras’ – é considerada uma “ferramenta poderosa” para a pesquisa e a medicina, apesar de exigir especial consideração sobre questões éticas.

De acordo com Izpisua Belmonte, responsável por esta investigação, tendo em conta a impossibilidade de realizar determinadas investigações em humanos, “é essencial ter os melhores modelos para estudar e compreender com mais precisão a biologia e as doenças humanas”.

Este novo estudo baseia-se na investigação anterior desenvolvida pelos cientistas do instituto Salk, dando agora o “próximo passo em organismos quiméricos” – que contêm células de duas ou mais espécies – para compreender a progressão de várias doenças e contribuir para solucionar a escassez de órgãos para transplante.

“Essas abordagens através de ‘quimeras’ podem ser realmente muito úteis para o avanço da pesquisa biomédica não apenas no estágio inicial da vida, mas também no último estágio da vida”, assegurou Izpisua Belmonte.

Depois de um primeiro estudo, em 2017, ter incidido na incorporação de células humanas em tecidos de suínos, a equipa de Izpisua Belmonte iniciou uma linha de investigação em macacos, uma espécie mais próxima dos humanos.

Desta forma, foi possível recolher “informações valiosas” sobre como as células de diferentes espécies comunicam umas com as outras, adiantou o investigador.

Na prática, os cientistas marcaram células estaminais (não diferenciadas) humanas, capazes de se desenvolverem em todos os tipos de células no corpo, com uma proteína fluorescente, as quais foram inseridas em embriões de macaco.

Através de estudos de imunofluorescência, em que os anticorpos se ligam às células estaminais, os cientistas observaram que as células humanas sobreviveram e se integraram com melhor eficiência do que nas investigações anteriores realizadas em tecidos de suíno.

Os investigadores conseguiram, assim, cultivar embriões quiméricos por um período significativo de tempo, até 20 dias, constatando ainda que a percentagem de células humanas nos embriões permaneceu alta ao longo desse período.

Este resultado constitui uma “nova plataforma para estudar como surgem doenças específicas”, como, por exemplo, como um determinado cancro é gerado nas células humanas, adiantou a investigação, ao avançar que estes modelos quiméricos podem também ser usados para testar compostos de medicamentos.

“Por mais importantes que consideremos esses resultados para a saúde e para a pesquisa, a forma como conduzimos este trabalho, com a máxima atenção às considerações éticas e em estreita coordenação com as agências reguladoras, é igualmente importante”, salientou ainda Izpisua Belmonte.

“Em última análise, conduzimos esses estudos para compreender e melhorar a saúde humana”, assegurou o investigador.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Otamendi e Vertonghen disputam a bola com Lewandowski

Benfica 0-4 Bayern | Primeiro a ilusão, depois o rolo bávaro

A ilusão durou 70 minutos. Ao longo de toda a partida, o Bayern foi melhor, criou inúmeros lances de golo, viu dois anulados, acertou no ferro, Vlachodimos fez defesas importantes, mas o Benfica deu luta, …

China quer punir pais de crianças mal-educadas

O regime chinês está a analisar um projeto de lei que prevê que os pais possam ser punidos se os seus filhos exibirem um mau comportamento ou cometerem crimes. De acordo com a agência Reuters, o …

Rui Moreira com Francisco Rodrigues dos Santos e Carlos Moedas

Rui Moreira promete manter a "identidade do Porto" e concluir os projetos que a pandemia atrasou

O presidente da Câmara Municipal do Porto tomou posse, esta quarta-feira, e comprometeu-se a "tudo fazer" para manter a identidade do Porto e a concluir os projetos que a pandemia atrasou. "Quero concluir os projetos que …

Já há um medicamento para tratar a covid-19 em casa (e vários países assinaram acordos de compra)

Países asiáticos já estão na luta pelo novo comprimido antiviral, cujo uso ainda nem sequer foi autorizado, contra a covid-19. Países da região asiática estão já a fazer encomendas da mais recente arma contra a covid-19: …

A Facebook vai implementar uma nova estratégia e o nome vai ser das primeiras coisas a mudar

As últimas semanas têm sido tumultuosas para a empresa de Mark Zuckerberg, que se viu confrontada com os testemunhos de antigos trabalhadores no Senado norte-americano. As notícias da última semana que resultaram do testemunho, no Senado …

Cadetes da Escola Naval investigados por alegados comportamentos abusivos

A Marinha está a investigar uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos entre cadetes da Escola Naval. "A Marinha informa que hoje, 19 de outubro, teve conhecimento de uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos praticados entre cadetes …

Índia. "Montanha de lixo" que garante sobrevivência de pobres será substituída por estação de tratamento

As "montanhas de lixo" das cidades da Índia em breve serão substituídas por estações de tratamento de detritos. A maior de todas — equivalente a um prédio de 18 andares — garante a sobrevivência de …

Candidatura de Nuno Melo acusa direção de não facultar cadernos eleitorais e de sanear senadores

A candidatura de Nuno Melo à liderança do CDS-PP acusou, esta quarta-feira, os opositores de não facultarem os cadernos eleitorais nem possibilitarem a fiscalização da eleição de delegados ao congresso, apontando também a substituição de …

Bolsonaro acusado de nove crimes pela comissão de inquérito sobre gestão da pandemia

O relatório apresentado, esta quarta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro pede o indiciamento do Presidente por nove crimes durante a pandemia de covid-19. No texto, com mais de 1200 páginas, pede-se que …

Duas vendedoras num mercado japonês

Da noite para o dia, Japão tornou-se uma história "covidiana" de sucesso

Em meados de agosto, o Japão atingiu o pico de 6.000 casos diários de covid-19. Quase do dia para a noite, o país asiático observou, espantosa e inesperadamente, uma queda acentuada no número de infeções. …