/

CSI Inteligência Artificial? Computadores treinados para reconhecer pegadas

Cientistas treinaram uma rede neural de Inteligência Artificial para reconhecer pegadas, podendo ajudar especialistas na investigação de crimes.

Contamos com especialistas imensas vezes. Se precisar de aconselhamento financeiro, pergunte a um especialista. Se estiver doente, visite um médico e, como jurado, pode ouvir um perito. No futuro, contudo, a inteligência artificial (IA) pode substituir muitas dessas pessoas.

Na ciência forense, o perito desempenha um papel vital. Os advogados procuram-nos para a sua análise e opinião sobre provas. Mas os especialistas são humanos, com todas as suas falhas, e o papel das testemunhas especialistas tem sido frequentemente associado a erros judiciais.

Cientistas têm investigado o potencial da IA para estudar provas em ciência forense. Em dois artigos recentes, investigadores descobriram que a IA era melhor para avaliar pegadas do que os cientistas forenses em geral, mas não melhor do que especialistas específicos em pegadas.

Ao andar descalço pela casa, você deixa pegadas, como marcas na seu carpete ou resíduos dos seus pés. Pegadas de sangue são comuns em cenas de crimes violentos. Elas permitem que os investigadores reconstruam os eventos e talvez criem o perfil de um suspeito desconhecido.

Pegadas são um dos tipos de provas mais comuns, especialmente em roubos domésticos. Esses vestígios são recuperados de parapeitos de janelas, portas, assentos de sanita e pisos e podem ser visíveis ou ocultos a olho nu.

No Reino Unido, por exemplo, as marcas recuperadas são analisadas pelas forças policiais e usadas para pesquisar num banco de dados de padrões de calçado.

O tamanho de calçado pode informar sobre a altura, o peso e até o sexo de um suspeito. Num estudo recente, os cientistas pediram a um podólogo especialista para determinar o sexo de um conjunto de pegadas e eles acertaram em 50% das vezes.

De seguida, criaram uma rede neural, uma forma de IA, e pediram que fizesse a mesma coisa. Acertou cerca de 90% das vezes. Além disso, para surpresa dos cientistas, também poderia atribuir uma idade à pessoa – pelo menos até a década mais próxima.

Quando se trata de pegadas, os especialistas em calçado podem identificar a marca e o modelo de um calçado simplesmente por experiência. Curiosamente, hoje existem menos de 30 especialistas em calçado no Reino Unido.

No entanto, existem milhares de pessoal forense e policial no Reino Unido que são utilizadores casuais do banco de dados de calçado. Para esses utilizadores casuais, analisar calçado pode ser desafiante e o seu trabalho geralmente precisa de ser verificado por um especialista. Por esse motivo, os investigadores acreditam que a IA pode ajudar.

Foi atribuída uma segunda rede neural, desenvolvida como parte de uma parceria contínua com a Bluestar Software, com a identificação da marca e do modelo das moldagens de calçado.

Numa das experiências, um utilizador ocasional recebeu 100 pegadas selecionadas aleatoriamente para analisar. Durante o teste, executado várias vezes, o utilizador casual acertou entre 22% e 83% das vezes. Em comparação, a IA teve entre 60% e 91% de sucesso. Especialistas em calçado, no entanto, estão certos quase 100% das vezes.

Uma razão pela qual a segunda rede neural não era perfeita e não superou os especialistas reais é que os sapatos variam com o uso, tornando a tarefa mais complexa. Compre um novo par de sapatos e a sola é nítida e clara, mas depois de um ou dois meses torna-se menos clara.

Mas, embora a IA não pudesse substituir o especialista para detetar estas coisas, ele superou os utilizadores ocasionais, sugerindo que poderia ajudar a libertar tempo para o especialista concentrar-se em casos mais difíceis.

Sistemas como este aumentam a precisão das evidências de calçado e provavelmente veremos que vão ser usados com mais frequência do que atualmente.

A IA nunca substituirá o julgamento habilidoso e experiente de um examinador de calçado bem treinado. Mas pode ajudar a reduzir a carga sobre esses especialistas e permitir que eles concentrem-se nos casos difíceis, ajudando os utilizadores casuais a identificar a marca e o modelo de uma pegada de forma mais confiável. Paralelamente, os especialistas que usam essa IA substituirão os que não usam.

  ZAP // The Conversation

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE