Da “obsessão por cargos” à “subserviência ao PS”. Críticos internos do BE descarregam na direção

Paulo Cunha / Lusa

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

A convenção do Bloco de Esquerda está marcada para os dias 22 e 23 de maio e os grupos críticos da direção do partido já têm preparada uma extensa lista de críticas.

De acordo com o Observador, alguns dos apelos passam por: recuperar a “radicalidade” e a “prática anti-sistema”, garantir a “alternativa ao poder instalado”, largar a “obsessão por cargos, lugares e empregos”, e obrigar a direção a deixar de ser “surda” às vontades das bases.

A relação com o PS é um dos pontos de foco dos críticos internos do partido, que falam numa subserviência do Bloco de Esquerda. Apesar do voto contra no último Orçamento de Estado (OE), há críticas à forma como a decisão foi transmitida e explicada às bases do partido.

Outro dos pontos de foco é a democracia interna do partido, que os críticos garantem escassear. Os críticos condenam a direção por ignorar as bases, concentrar o poder e dividir lugares e empregos entre si.

Após o resultado fraco de Marisa Matias nas últimas eleições presidenciais e a já referida decisão difícil no último OE, o partido está cada vez mais fragmentado internamente.

O conjunto de críticos mais significativo – o grupo da “Convergência” – apresenta uma moção, pelo que poderá perceber melhor quanto vale no que toca a votos, escreve o Observador.

O grupo conta com os ex-deputados Pedro Soares e Carlos Matias, entre outros, e defende que o Bloco de Esquerda deveria ter sido muito mais exigente com o PS na segunda metade da legislatura passada.

“O PS tinha de ser confrontado com um novo caderno de encargos, em vez do minimalista acordo inicial”, argumentam os subscritores, acusando a direção de ceder à “chantagem da demissão do Governo” e perdendo uma oportunidade para ganhar “radicalidade e demarcação”.

“A disputa pela hegemonia e controlo do aparelho perverte e empobrece a vida democrática da organização, condiciona as escolhas nas listas para os cargos eletivos, internos ou externos, e abafa a pluralidade, as vozes críticas e a diferença de opiniões. A democracia interna (…) deve ser urgentemente restabelecida”, acrescentam os subscritores.

A direção deve, por isso, deixar de se “isolar numa postura jacobina” e de criar “um monstro de redes clientelares internas que se autoalimenta”, com “amigos e familiares a pulular nos cargos remunerados”.

Apela-se ainda um ultimato ao PS, em que, “ou aceita um acordo com uma clarificação das linhas vermelhas e com uma aposta decisiva no desenvolvimento, ou haverá crise política”.

Na última convenção do partido, os subscritores da moção R disseram que eram conhecidos no partido como “os radicais românticos”. Agora, nesta convenção, surgem como moção Q e defendem que o único caminho para o Bloco é o da “radicalidade”: Apoiar “Governos do sistema” está fora de questão.

“O BE não é o garante da estabilidade do poder instalado. Tem de ser a alternativa a ele”, argumentam os subscritores, citados pelo Observador. Sair da NATO, referendar o tratado orçamental e acabar com as PPP, as propinas e as taxas moderadoras na saúde são algumas das bandeiras desta moção.

Há ainda a moção C, que na última convenção foi liderada por Américo Campos, e que, embora esteja de acordo com a linha política seguida pela direção, critica as agendas internas das várias tendências do partido.

Os seus subscritores argumentam que a direção está preocupada com a “institucionalização do Bloco e consequente obsessão por cargos, lugares e empregos”.

“Ou seja, a energia que deveria ser usada para desmontar o sistema e acumular forças é desperdiçada em objetivos egoístas e pequeno-burgueses”, defendem.

A moção da direção do Bloco avisa o PS contra a “via centrista” e assegura estar disponível para conversar e formar maiorias de esquerda.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Já estão a descobrir-se. Isto que sirva de lição para os que propagam sobre a de postura democrática do BE.
    Eles são trotskistas por conseguinte totalitaristas e anti-democráticos.
    Correcção: pelos vistos passam a ser democratas quando há tacho!!!

  2. De todas as propostas, aquela que se pode dizer ser cereja no topo do bolo é sem dúvida “Sair da NATO”. Com o BE no poder saímos da NATO certamente iríamos pertencer ao Daesh ou ao Herzbollah!!

    • Bem, eles são conhecidos por terem recebido antigos membros do grupo mafioso e terrorista FP25.
      Como já têm experiência em assassinar inocentes, em assaltar bancos e empresas, em extorquir dinheiro, a matar crianças, o Daesh talvez fosse uma boa opção!

  3. Um partido que odeia boa parte dos portugueses, aqueles que não fazem parte do aparelho, só porque não fazem parte desse aparelho e querem concretizar os seus sonhos pessoais, dificilmente terá aceitação por boa parte desses mesmos portugueses, a não ser que sejam masoquistas e tolinhos.

  4. O PS está a jogar bem, ao aproximar o BE de si, faz com que os eleitores aos poucos não vejam diferença e votem PS para votar em vencedores. Aliás a obcessão de tirar Passos Coelho do Governo em 2015, fez com que o PCP perdesse a identidade e milhares de votos. O BE também perdeu cerca de 50.000 votos, passou de 550 mil em 2015 para 500 mil em 2019, é uma perda significativa de 10 % dos seus eleitores. Costa oportunista como sempre ( não que isso em politica seja mau ) fez o seu papel e vai levando a sua adiante, como diz o povo. Vamos agora assistir aos antigos radicais de esquerda, mudarem para a direita mais radical, pois são anti-sistema e não vêm à esquerda quem os represente.

    • As geringonças de esquerda vão perdendo a sua viabilidade futura, o que vai isolando o PS e a possibilidade de vir a perder a governação.

  5. Esta esquerdinha fofa queria ter poder e não ter desgaste? Fazem uma festa em ter muitos votos, mas depois choram porque se colaram ao poder… É preciso DIZER A TODA A GENTE, É PRECISO GRITAR que o BE é tão responsável pela miséria em que nos encontramos há 20 anos (economicamente não crescemos), tal como o é o PCP e o Governo PS. Eles TODOS são os obreiros do nosso atraso, do nosso subdesenvolvimento e de nos atirarem para a cauda da Europa. São os responsáveis MALDITOS e como tal têm de pagar por isso.

  6. Já estão enjoados com o tempo que serviram de muleta ao PS? Pois, isto seria mais ou menos previsível tal como aconteceu também com o PCP, talvez ainda o mais estranho seja o próprio PS se coligar a partidos de extrema-esquerda quando agora são tão hábeis em condenar o Chega, só demonstra que para eles (PS) tudo vale para atingir o Poder. Entretanto, estes dois parecem ir perdendo influência no sistema “democrático” português, apesar de ainda muito admirados por certos políticos de outras áreas, (não sei com que intenção)!

RESPONDER

Football Leaks. Consultor de cibersegurança aponta para ataque único à Doyen

A intrusão no sistema informático da Doyen terá resultado de um único ataque conduzido por uma pessoa e não várias, defendeu na quarta-feira o consultor inglês de cibersegurança contratado pelo fundo de investimento, no julgamento …

Cavaco Silva volta a estar ausente das cerimónias do 25 de Abril

O ex-Presidente da República já informou que não vai marcar presença na cerimónia comemorativa dos 47 anos do 25 de Abril, este domingo, no Parlamento, por continuar "a respeitar as regras sanitárias". Fonte oficial do gabinete …

No dia da Terra, os líderes mundiais juntaram-se para "passar à ação"

A Casa Branca organizou uma Cimeira de Líderes sobre o Clima, que decorre de forma virtual e durante dois dias. Começou esta quinta-feira, dia em que se comemora o Dia da Terra, e junta cerca …

Detido em Itália homem que terá fornecido arma ao autor do atentado de Nice em 2016

Um homem que teria fornecido uma arma ao autor do atentado com um caminhão na cidade francesa de Nice, em 14 de julho de 2016, foi detido na Itália, anunciaram na quarta-feira vários veículos de …

"Invisibilidade" do LGBTI nos Censos é alvo de críticas

A Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo e o Bloco de Esquerda estão a criticar os Censos 2021 devido à ausência de perguntas relacionadas com identidade de género, o que …

Rússia vai dar início à retirada de tropas perto da fronteira com a Ucrânia

A Rússia anunciou que vai iniciar, esta sexta-feira, a retirada das suas tropas concentradas perto da fronteira com a Ucrânia e na Crimeia anexada, referindo que os exercícios foram concluídos. "As tropas demonstraram a sua capacidade …

KPMG desconhecia problemas no BESA que justificassem reserva às contas

A KPMG Portugal afirmou, numa carta enviada à comissão de inquérito do Novo Banco, que desconhecia factos no BES Angola que pudessem levar a uma opinião com reservas às contas do BES. A KPMG Portugal desconhecia …

Ferro Rodrigues está "perfeitamente de acordo" com Marcelo sobre enriquecimento ilícito

O presidente da Assembleia da República (AR) concorda com o Presidente quanto à urgência de melhorar a lei contra o enriquecimento ilícito e diz que isso pode ser feito sem pôr em causa princípios constitucionais. Numa …

Índia regista subida drástica de infeções e mortes. EUA com 200 milhões de vacinas tomadas

O número de novas infeções pelo coronavírus dispararam na Índia, com a falta de preparação do Governo e a forma como a pandemia tem sido gerida apontadas como causas para a subida dos casos e …

Técnicos de diagnóstico. Depois de mais uma coligação da oposição, Executivo avalia o que fazer

Depois de mais uma coligação da oposição, o Governo "está a avaliar" o que irá fazer em relação à aprovação das mudanças na carreira de Técnico Superior de Diagnóstico e Terapêutica.  De acordo com o semanário …