Lenda medieval ou encontro extraterrestre? Crianças verdes de Woolpit ainda intrigam historiadores

(PD) Randolph Caldecott / Project Gutenberg

Ilustração das crianças verdes de Woolpit.

Ilustração das crianças verdes de Woolpit.

As crianças verdes de Woolpit fazem parte de uma lenda medieval que descrevia duas crianças de cor verde, que não falavam a língua local e que surgiram em Woolpit, durante o século XII, em Inglaterra.

Ainda hoje, os historiadores debatem se havia alguma verdade por trás da história, com alguns a salientarem que se pode ter tratado de um encontro extraterrestre, escreve o Ancient-Origins.

À exceção da sua cor verde, as crianças, irmão e irmã, eram de aparência normal. Falavam uma língua desconhecida e só comiam favas cruas.

Eventualmente, terão aprendido a comer outros alimentos e perderam a cor verde. O menino estava doente e morreu logo depois de ele e a sua irmã terem sido batizados.

Por outro lado, a sua irmã, depois de aprender a falar inglês, explicou que tinham vindo da Terra de Saint Martin, um mundo subterrâneo habitado por pessoas verdes na qual não havia sol, mas sim um crepúsculo permanente. A criança descreveu ainda outra terra luminosa que podia ser vista do outro lado de um rio.

A menina explicou que ela e o seu irmão estavam a cuidar do rebanho do seu pai quando deram de caras com uma caverna.

Ao entrar nela, andaram pela escuridão durante muito tempo até que, seguindo o som dos sinos, saíram do outro lado, atraídos pela luz do Sol. Foi então que foram encontrados pelos habitantes de Woolpit.

De acordo com alguns relatos, a criança sobrevivente adotou o nome de Agnes Barre e terá-se casado com um embaixador de Henrique II.

Durante as centenas de anos que se seguiram surgiram duas teorias para explicar a história das crianças verdes.

A primeira sugere que é um conto popular que descreve um encontro imaginário com os habitantes de outro mundo, talvez subterrâneo ou mesmo extraterrestre.

A segunda sugere que se trata de um relato distorcido de um acontecimento histórico não especificado.

Na sua obra “Chronicum Anglicanum”, escrita entre 1189 e 1220, o cronista inglês Ralph de Coggeshall faz referências às crianças verdes de Woolpit. Neste livro, Ralph diz que Sir Richard de Calne ficou com a guarda das crianças.

Também Guilherme de Newburgh incluiu a história das crianças verdes na sua obra principal Historia rerum Anglicarum.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE