Eczema, obesidade ou hiperatividade. Crianças que tomam antibióticos muito cedo têm um maior risco de desenvolver doenças crónicas

Crianças com menos de dois anos que tomam antibióticos enfrentam um maior risco de desenvolver doenças crónicas, como é o caso da obesidade, eczema, ou hiperatividade, concluiu um novo estudo levado a cabo nos Estados Unidos.

Asma no início da infância, alergias respiratórias, eczema, doença celíaca, obesidade, défice de atenção e hiperatividade são as doenças crónicas que crianças que tomam antibióticos muito cedo têm maior suscetibilidade de desenvolver, segundo os cientistas.

De acordo com a nova investigação, cujos resultados foram recentemente publicados na revista Mayo Clinic Proceedings, os cientistas analisaram 14.572 crianças nascidas no condado de Olmsted, no estado norte-americano do Minnesota, entre 2003 e 2011.

Destas 14.572 crianças, 70% recebeu pelo menos uma prescrição de antibióticos durante os primeiros dois anos de vida, principalmente para infeções respiratórias ou de ouvido.

Tal como escreve o portal Futurity, as descobertas são consistentes com a hipótese que sustenta que a composição do microbioma – os milhões de micro-organismos benéficos que vivem dentro e fora dos nossos corpos – desempenha um papel crítico no desenvolvimento inicial da imunidade, metabolismo e comportamento.

“A evolução das bactérias resistentes aos medicamentos exemplifica uma consequência não intencional do uso excessivo de antibióticos”, disse o co-autor Martin Blaser, diretor do Centro de Biotecnologia Avançada e Medicina da Universidade Rutgers, nos Estados Unidos.

“O aumento da prevalência de problemas de saúde que começam na infância gerou uma preocupação sobre a exposição a antibióticos durante os principais períodos de desenvolvimento por causa do seu impacto no microbioma”, continuou.

Embora estudos anteriores tivesse já analisado a associação entre antibióticos e doenças isoladas, este é o primeiro a analisar a associação em doenças múltiplas.

Os cientistas descobriram que os antibióticos estavam associados a doenças metabólicas (obesidade, excesso de peso), doenças imunológicas (asma, alergias alimentares, febre do feno) e condições ou distúrbios cognitivos (TDAH, autismo).

Os efeitos dos fármacos variaram consoante os diferentes antibióticos administrados, sendo as cefalosporinas associadas a um maior risco de doenças múltiplas e, exclusivamente, de desenvolvimento de autismo e alergias alimentares.

A equipa descobriu ainda que o risco era maior quanto mais antibióticos fossem administrados, sendo o risco também mais elevado quando estes são tomados no início de vida da criança, especialmente nos primeiros seis meses

“As descobertas de Olmsted fornecem evidências sobre os efeitos amplos e tardios das exposições iniciais a antibióticos e devem mudar as práticas dos médicos na frequência com que prescrevem antibióticos, especialmente para condições leves”, rematou Blaser.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma nova explicação para o facto de bebés amamentados terem sistemas imunitários mais saudáveis

Um novo estudo realizado por investigadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, descobriu que o leite materno promove o crescimento de importantes células imunitárias que ajudam a controlar eventuais inflamações. De acordo com o site …

PS diz que Marcelo deve vitória aos socialistas (e cobra-lhe apoio em tempos difíceis)

"A democracia venceu na primeira volta e o extremismo de direita foi derrotado". É desta forma que o presidente do PS, Carlos César, comenta os resultados das eleições presidenciais ganhas por Marcelo Rebelo de Sousa, …

"Liberdade para a Dinamarca". Novos incidentes em manifestação contra restrições

Uma manifestação contra as restrições impostas para conter a pandemia, organizada por um grupo radical, em Copenhaga, originou novos incidentes na noite de sábado e resultou em cinco detenções, relataram a polícia e os meios …

Pela primeira vez, um restaurante vegan ganha uma estrela Michelin em França

Um restaurante de comida totalmente vegan em França foi o primeiro do país a receber a desejada estrela Michelin. Localiza-se perto de Bordéus. A concessão da estrela ao ONA (Origine Non-Animale) é mais uma evidência de …

Onze mineiros resgatados com vida de uma mina de ouro na China

Onze mineiros presos há duas semanas dentro de uma mina de ouro na China, devido a uma explosão, foram hoje trazidos em segurança para a superfície, informou a televisão estatal chinesa. No dia 10 de janeiro, …

Multimilionário oferece 1 milhão em prémios por evidências de vida após a morte

Um empresário de Las Vegas, nos Estados Unidos, está a oferecer um milhão de dólares em prémios em troca de evidências de que existe vida após a morte. O investidor imobiliário e empresário espacial Robert Bigelow, …

Marcelo reeleito com 55% a 62% dos votos. Ana Gomes em segundo lugar

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, após vencer as eleições deste domingo com 55% a 62% dos votos.  Segundo as primeiras projeções, Ana Gomes deverá ficar em …

Itália vai processar Pfizer e AstraZeneca devido a atrasos nas vacinas. UE pede "transparência"

A Itália vai processar a Pfizer Inc e a AstraZeneca devido aos atrasos na entrega das vacinas contra a covid-19 e para garantir os fornecimentos – não para obter compensações, disse neste domingo o ministro …

Declínio cognitivo relacionado com a idade pode ser reversível

Cientistas conseguiram reverter em ratos o declínio cognitivo causado pelo envelhecimento. O objetivo dos investigadores é que as farmacêuticas baseiem-se neste estudo para criar um composto que possa ser administrado em humanos. As células específicas do …

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …