Crenças religiosas e espirituais reduzem o risco de depressão

Um estudo recente concluiu que as crenças religiosas e espirituais reduzem o risco de depressão, uma vez que estão associadas a mudanças na microestrutura da substância branca, os caminhos de comunicação do cérebro.

Dongrong Xu, da Universidade de Columbia, explicou que “um estudo anterior concluiu que as pessoas que afirmaram que a religião ou a espiritualidade eram altamente importantes para elas estavam protegidas contra a depressão durante cinco anos, apesar de estarem sob alto risco devido ao histórico familiar”.

Por esse motivo, os investigadores tentaram entender o que acontece no cérebro dessas pessoas para causar esse efeito.

Um outro estudo, publicado em 2014, descobriu que a crença na importância da religião ou espiritualidade estava associada a córtices mais espessos em várias regiões do cérebro, incluindo as regiões parietal e occipital esquerda e direita, o que poderia conferir resiliência à depressão.

Neste novo estudo, publicado recentemente na Brain and Behavior, os cientistas usaram imagens de tensores de difusão para examinar a microestrutura cerebral de 99 participantes. Este é um método de neuroimagem, baseado em ressonâncias magnéticas, que permite a visualização de tratos da substância branca dentro do cérebro.

Os investigadores descobriram então que os cérebros dos participantes que tinham alto risco familiar para depressão se assemelhavam aos cérebros daqueles com baixo risco familiar quando relataram que a religião ou a espiritualidade era altamente importante.

“As nossas descobertas sugerem que a alta importância relatada das crenças pode ter efeitos sobre a integridade da substância branca no lobo frontal bilateral, no lobo temporal e no lobo parietal. Embora essas regiões também estejam associadas ao risco de desenvolver depressão, a reorganização da matéria branca por meio da religião ou espiritualidade pode ajudar a proteger os indivíduos de desenvolver a doença”, escreveram os autores.

Na prática, “os indivíduos com alto risco familiar de depressão normalmente compartilham uma assinatura neuronal semelhante à que pode ser encontrada em pessoas com baixo risco familiar, desde que considerem as crenças religiosas ou espirituais como altamente importantes”.

Ainda assim, segundo o PsyPost, o estudo faz algumas ressalvas, nomeadamente o facto de as crenças religiosas das pessoas poderem mudar ao longo do tempo de vida. “Este estudo foi baseado na medida de religiosidade e espiritualidade em apenas 5 anos“, explicou Xu.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há três datas prováveis para o Apocalipse. Duas das quais ainda este século

A humanidade corre o risco de ser extinta devido à colisão da Terra com um corpo celeste, a uma catástrofe natural ou até tecnológica. Este cenário não é uma fantasia saída dos filmes de Hollywood, …

Tondela vs Porto | Dragões garantem vantagem para o Clássico

O FC Porto fez o que lhe competia para garantir que chegava ao “clássico” do próximo sábado, com o Benfica, no primeiro lugar do campeonato. Na visita ao Tondela, os “dragões” não deram grandes veleidades …

Enfermeiras suspeitas de sabotar hospital com baratas. Queriam emprego melhor

Enfermeiras das emergências de um hospital italiano terão, alegadamente, libertado baratas no seu departamento. O objetivo era conseguirem uma transferência para outro hospital. As autoridades sanitárias da região de Nápoles abriram uma investigação a um caso …

Cancro do colo do útero pode ser extinto até 2100

Todos os anos, o cancro do colo do útero é a causa de morte de mais de 300 mil mulheres em todo o mundo - mas pode ser extinto até 2100. No ano passado, o diretor-geral …

Fortnite retira anúncios do YouTube para fugir aos predadores sexuais

A produtora de videojogos que criou o Fortnite, muito popular entre jovens e crianças, decidiu retirar os anúncios publicitários do YouTube por temer que estes apareçam ao lado de comentários publicados por pedófilos. A empresa norte-americana …

O alpinista sem pernas que chegou ao cume do Everest foi premiado com o "Momento do Ano"

Um alpinista chinês de 69 anos, que tem ambas as pernas amputadas, conseguiu chegar ao topo do Evereste em maio de 2018. A perseverança de Xia Boyu valeu-lhe nesta semana um prémio.  Em 1975, Xia Boyu …

Numa empresa neozelandesa só se trabalham quatro dias por semana (mas a produtividade aumentou)

Em março e abril do ano passado, uma empresa neozelandesa implementou um novo modelo laboral: trabalhar apenas quatro dias por semana. O estudo final foi publicado esta terça-feira e as conclusões mostram resultados animadores. Quase um …

Portugueses não sabem fazer queixa contra discriminação (e acham que não vale a pena)

Quase toda a gente já ouviu falar de discriminação ou crimes de ódio, mas a maioria tem dificuldade em distinguir os conceitos, desconhece o que fazer perante um caso ou a quem recorrer para fazer …

Imigrantes que entraram ilegais em Portugal terão visto desde que tenham um ano de descontos

Os imigrantes que se encontram em Portugal a trabalhar e a descontar para a Segurança Social há pelo menos 12 meses vão poder ter a autorização de residência mesmo que não tenham entrado no país …

Estudantes no Porto até aos 15 anos vão andar gratuitamente de metro e autocarro

A Câmara do Porto vai garantir passes gratuitos para residentes estudantes na cidade até aos 15 anos, complementando a medida do Governo que prevê a gratuitidade do título de transporte até aos 12 anos. O anúncio …