Creches em Portugal mais caras que propinas da universidade

*Bloco / Flickr

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda

A natalidade entrou na agenda do BE, com Catarina Martins a defender o emprego e salário como primeira medida para resolver o problema demográfico e criticado que as creches sejam “mais caras do que as propinas da universidade”.

No final de uma reunião esta quinta-feira com o Conselho de Administração e os diretores de serviço da Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, a porta-voz do Bloco de Esquerda (BE) disse aos jornalistas que Portugal tem dois problemas demográficos: “uma taxa de natalidade que tem vindo a descer e o problema da emigração, que tira do país a população ativa que é também a população em idade de ter filhos”.

“Precisamos, em Portugal, de apoios à infância a sério: creches públicas. As creches em Portugal são mais caras do que as propinas da universidade. Precisamos de creches públicas, é preciso apoio, não podemos ter as crianças de quatro anos a pagar o mesmo passe de autocarro de um adulto, precisamos de abono família”, enumerou.

Além destes apoios, na opinião da bloquista o emprego e o salário são as primeiras medidas para haver mais natalidade em Portugal e assim resolver o problema demográfico do país.

“Em 2015, nós, no primeiro semestre, já temos o défice quase ao dobro daquilo que era a meta para o final do ano. E a direita, que gosta tanto de utilizar os exemplos das famílias quando fala do défice e da dívida, talvez gostasse de responder à pergunta: se uma família ao dia 15 do mês já tivesse gasto muito mais do que o salário que entra em casa, como é que ia chegar até ao dia 30?”, atirou, voltando ao tema do défice.

Catarina Martins criticou a decisão do Governo de que “era muito mais importante cumprir metas que eram impossíveis de cumprir e pagamentos de dívida que eram claramente exagerados para as possibilidades”, em vez de investir em setores estruturais.

“Perdemos capacidade, perdemos gente, estamos a entregar os milhares de milhões de investimento na formação destes profissionais [médicos e enfermeiros] ao setor privado ou ao estrangeiro e as contas públicas estão completamente descontroladas”, condenou.

Sobre aquilo que é preciso fazer para recuperar estes profissionais de saúde, a porta-voz do BE defendeu que é preciso “aprender com o que aconteceu”.

“Se cortar salários, se cortar nas carreiras, significou um PIB mais pequeno, recessão em Portugal, incapacidade de cumprir os compromissos, está na altura de fazer o avesso. Permitir carreiras e salários”, concretizou.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Poluição do ar leva Sarajevo a cancelar todos os eventos públicos

As autoridades bósnias consideram que a poluição na capital do país, Sarajevo, atingiu níveis perigosos nos últimos dias. Perante a densa nuvem de nevoeiro que paira na cidade, o governo regional decidiu cancelar todos os …

A banana colada à parede que custou 108 mil euros foi comida

A banana mais cara do mundo, presa a uma parede com fita adesiva, foi descascada e comida por um artista que visitava o stand da galeria Perrotin, na feira de arte contemporânea Art Basel, nos …

Empresas norte-americanas reforçam domínio na venda global de armas

O Instituto Internacional de Estudos de Paz de Estocolmo (SIPRI) revelou esta segunda-feira que as empresas norte-americanas aumentaram o domínio no comércio global de armas em 2018, para 59% do volume total entre as 100 …

Faltam medicamentos para doenças crónicas nas Farmácias (e ninguém sabe porquê)

Há medicamentos para doenças crónicas que estão, constantemente, em falta nas Farmácias Portuguesas. Uma situação preocupante, sobretudo para os pacientes que deles precisam, e que não tem uma explicação. A Associação Nacional de Farmácias está …

Mais de dois mil coalas mortos devido aos incêndios na Austrália

O presidente da Aliança das Florestas do Nordeste da Austrália disse que os incêndios florestais que deflagram no leste do país, desde o início de novembro, provocaram a morte a mais de dois mil coalas. O …

Regionalização sem referendo é “golpe de estado palaciano”

Luís Marques Mendes falou este domingo, no habitual espaço de comentário político na SIC, sobre a regionalização, os "tempos difíceis para a direita", Greta Thunberg e Joe Berardo. Houve ainda tempo para falar sobre o …

China diz que detidos em Xinjiang estão "formados" e "vivem felizes"

Um alto quadro do regime chinês afirmou, esta segunda-feira, que os membros de minorias étnicas chinesas de origem muçulmana mantidos em "centros de treino vocacional" no extremo oeste do país já se "formaram" e levam …

Greve geral volta a parar França. Filas de trânsito chegam aos 620 quilómetros

Os acessos a Paris estão, esta manhã, muito complicados devido ao quinto dia de greve contra a reforma das pensões e que afeta sobretudo a rede de transportes na capital francesa. De acordo com as autoridades, …

"Mário Centeno está a perder influência no Governo". Os (maus) sinais para o Orçamento de Estado 2020

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 [OE 2020] vai ser apresentada daqui a uma semana e alguns economistas antecipam os riscos do documento, falando de uma "situação potencialmente perigosa para as contas públicas" …

Utilizadores russos do Reddit terão divulgado documentos comprometedores sobre o Brexit

A rede social Reddit anunciou ter concluído que utilizadores russos estiveram na origem da divulgação de documentos confidenciais do governo britânico sobre as negociações comerciais do Brexit. O Reddit anunciou, num comunicado citado pela Associated Press, …