Covid-19: Casos, internamentos e óbitos aumentam. Pico deve ser atingido no fim do mês

1

Região norte continua a concentrar maioria dos novos casos, tendo também as unidades hospitalares do país com mais internamentos por covid-19.

Ao logo da semana de 10 a 16 de maio, Portugal registou 157.502 casos de covid-19, doença que provocou, no mesmo período, 191 mortes. Os dados constam do boletim semanal da Direção Geral da Saúde e indicam um agravamento da situação epidemiológica do país, sobretudo em comparação com a semana anterior. De facto, em relação à semana de 3 a 9 de maio, registou-se um aumento de 58% no número de infeções, ao passo que as mortes aumentaram 33% – mais 47 óbitos.

A tendência crescente é visível também ao nível dos internamentos: durante os dias analisados, é possível registar um aumento de 20% no número de doentes internados e de 42% nos hospitalizados em unidades de cuidados intensivos (numa subida de 59 para 84).

Já no que respeita aos indicadores mais técnicos que têm sido usados para monitorizar a pandemia, o R(t) e a incidência, estes continuam a subir, no entanto, os especialistas denotam um comportamento de estabilização. Segundo a atualização mais recente, o índice de transmissibilidade fixou-se nos 1,23 a nível nacional, ao passo que a incidência se ficou pelos 1529 casos por 100 mil habitantes a 14 dias..

Perante estes números mas também as previsões para as próximas semanas feitas através de modelos matemáticos, Carlos Antunes, professor, explicou ao Diário de Notícias que “já se verifica uma desaceleração da transmissão”. “A grande incerteza em relação ao R(t) é o ritmo da descida e o momento em que irá cruxar a linha 1.0, mas o número de casos das próximos dias irá confirmar”.

Já sobre o número de óbitos, o professor prevê que estes atinjam o pico mais tarde do que o número de casos, sendo ainda expectável que atinjam um máximo de 40 e até de 50, alertou a ministra da saúde.

No que respeita à distribuição geográfica dos novos casos e dos internamentos por covid-19, a região Norte continua a concentrar a tendência de crescimento, já que nela foram identificados mais 27.553 casos do que na semana anterior. Relativamente aos internamentos, há 131 (de 588) pessoas a precisar de cuidados hospitalares e 18 (de 40) de cuidados intensivos. Nota ainda para a diminuição do número de óbitos nesta região, em relação ao período anterior. De facto, os dados apontam para mais mortes em Lisboa e Vale do Tejo, numa subida ténue face à semana anterior.

No que diz respeito à distribuição etária, 146 das 191 mortes aconteceram em pessoas com mais de 80 anos, ao passo que 33 óbitos foram em indivíduos entre os 70 e os 79 anos.

  ZAP //

1 Comment

  1. A grande fraudemia continua. Não bastam 4 vacinas nem máscaras nem restrições ilegais nem confinamentos.
    Mas será que as pessoas ainda não perceberam que estão a ser enganadas desde o início ?
    Eram só 15 dias para achatar a curva… Lol lol lol

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.