OE2020. Costa quer implementar medidas para as empresas em troca de aumentos de salários

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro e secretário-geral do Partido Socialista, António Costa

No primeiro debate quinzenal da legislatura, António Costa recusou na quarta-feira falar em “contrapartidas”, na reunião da Concertação Social e no Parlamento. Ao invés disso, o primeiro-ministro disse que, a par da “evolução dos salários”, haverá medidas para “melhorar a produtividade das empresas” e que serão negociadas com patrões e sindicatos, a partir de dia 27 deste mês.

Segundo noticiou o Público, o tema percorreu o dia, desde a sede do Conselho Económico e Social – onde foi revelado o novo valor do salário mínimo (635 euros) – até ao anúncio de que o valor será aprovado esta quinta-feira, por decreto, em Conselho de Ministros.

António Costa garantiu que a ideia é que essas medidas para melhorar a competitividade entrem no acordo para o aumento de rendimentos e que apareçam já inscritas no Orçamento do Estado para 2020.

De entre os temas a ser discutidos pelos diferentes ministérios estarão a “formação profissional ou os incentivos ao investimento” e a “redução dos custos de contexto e de outros factores de produção, como a energia”, avançou António Costa. No acordo vão entrar outras medidas relacionadas com ajudas à “transição justa” das empresas para a era digital e das alterações climáticas, incluindo a “melhoria das infra-estruturas ou o apoio à internacionalização”.

Algumas destas medidas estarão já refletidas no Orçamento do Estado que será entregue por Mário Centeno até 15 de dezembro.

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, tem estado nas reuniões com patrões e sindicatos, visto que há medidas de fiscalidade que estão a ser consideradas, como a baixa do IVA para a eletricidade.

Outra das ideias com possível impacto orçamental é a atualização do preço dos contratos que o Estado tem com empresas de serviços, nomeadamente de limpeza e das cantinas. Os patrões querem ainda mexer no Fundo de Compensação do Trabalho, que se divide em dois e que tinha em carteira, até ao final de setembro, cerca de 370 milhões de euros.

O primeiro debate da legislatura aconteceu em semana de reuniões entre o Governo, o BE, o PCP, o PAN, o PEV e o Livre sobre o Orçamento do Estado para 2020, centrando-se no aumento de rendimentos, assunto em que estes partidos estão de acordo, embora peçam para se “ir mais longe”.

Miguel A. Lopes / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Sobre esta matéria, a líder do BE Catarina Martins desafiou o primeiro-ministro a negociar a legislação laboral na Assembleia da República porque “a concertação não é a câmara alta do Parlamento”. Dando como exemplo o que aconteceu na questão do salário mínimo, perguntou a António Costa se não lhe é evidente que para poder “subir os salários médios” é preciso avançar sem a concertação.

De resto, das perguntas sobre conciliação da vida profissional e familiar à necessidade de promover a contratação coletiva, António Costa e Catarina Martins estiveram de acordo. Sobre a contratação coletiva, a líder do BE foi buscar uma reivindicação antiga dos sindicatos sobre a caducidade das convenções.

“Não podemos ficar reféns dos patrões”, disse. Sobre o assunto, o primeiro-ministro disse que “nenhum parceiro social tem o direito de congelar a contratação coletiva” e que o Governo já adotou algumas medidas, nomeadamente sobre as portarias de extensão das convenções coletivas ou de uma “maior dinamização da contratação coletiva”.

O mesmo aconteceu com Jerónimo de Sousa, apesar de o comunista ter discordado do aumento do salário mínimo apenas para 635 euros de forma mais veemente. “O que o Governo anuncia fica aquém do necessário e possível, a nossa proposta de 850 euros é perfeitamente comportável pela economia”, defendeu o líder do PCP.

O comunista falou da necessidade de se rever a legislação laboral para promover a contratação coletiva. “A dinamização da contratação coletiva que o Governo diz querer promover será apenas uma simples proclamação se não se revirem as normas laborais. Não dá a cara com a careta: fez aprovar a lei da caducidade e agora diz que quer dinamizar a contratação coletiva”, afirmou.

Joacine Katar Moreira, do Livre, afirmou que “falar de salários é falar de amor” e que um aumento para 635 euros não “é ótimo”. António Costa respondeu que não se trata de amor, mas de “justiça social”.

O primeiro-ministro deu ainda uma resposta clara a José Luís Ferreira, do PEV, quanto este lhe perguntou se iria haver contrapartidas para o aumento dos salários. “Não há qualquer contrapartida sobre a atualização do salário mínimo nacional, nem neste ano nem nos outros”, salientou.

Nos próximos tempos, o Governo vai negociar as medidas que António Costa recusa chamar de compensatórias – começando no final do mês -, ao mesmo tempo que as Finanças e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares negoceiam com os partidos o Orçamento do Estado para 2020.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …

Relógio em Nova Iorque mostra o tempo restante para reverter efeitos do aquecimento global

O Metronome, icónico relógio digital de Nova Iorque, deixou de mostrar o tempo do dia-a-dia e mostra agora o tempo restante que o nosso planeta tem para reverter os efeitos do aquecimento global. O relógio digital …