Sempre com a lista de encomendas para o SNS no bolso, Costa pede “higiene e disciplina”

Julien Warnand / EPA

O Hospital Curry Cabral, em Lisboa, pode vir a acolher em exclusivo pacientes de Covid-19, anunciou o primeiro-ministro durante uma visita ao serviço de infecciologia da unidade de saúde, onde foi averiguar in loco o que falta no Serviço Nacional de Saúde (SNS), sublinhando que já anda sempre com a lista do equipamento encomendado pelo Governo no bolso.

Após visitar a unidade de saúde, António Costa defendeu que antes das questões do número de testes ou da aquisição de equipamentos, os portugueses têm de possuir agora uma “enorme disciplina” no cumprimento das regras de higiene e de distanciamento social.

No final de uma visita de cerca de duas horas ao Hospital Curry Cabral, durante a qual esteve acompanhado pela ministra da Saúde, Marta Temido, o primeiro-ministro foi confrontado pelos jornalistas com críticas sobre o número reduzido de testes realizados no país para diagnóstico do novo coronavírus. O líder do executivo citou na sua resposta o director do serviço de infecciologia do Hospital Curry Cabral, Fernando Maltês.

“Mantenhamos todos o estado de emergência, a contenção, o isolamento social e a enorme disciplina que temos tido e que temos de ter cada vez mais para evitar a expansão da pandemia”, sublinhou, realçando que “essa é a chave disto tudo”. “Antes do número de ventiladores nos cuidados intensivos, antes do número de camas para internamento, antes dos testes, acima de tudo temos de ter uma enorme disciplina”, sustentou.

António Costa falou então na necessidade de haver disciplina no hábito de lavar as mãos com frequência, de não mexer na cara ou não cumprimentar ou abraçar outras pessoas, e de cada um dos cidadãos ficar o máximo possível em isolamento em casa, evitando ao máximo as saídas.

“Esse é o grande desafio que nós temos. Todos os outros são sequenciais”, reforçou António Costa.

De acordo com o primeiro-ministro, se as regras de higiene e de distanciamento social forem cumpridas, “essa é a melhor ajuda que se poderá dar para que não faltem testes, equipamentos, camas e os profissionais possam desempenhar o seu trabalho”.

Durante a vista ao Hospital Curry Cabral, o primeiro-ministro disse que procurou avaliar a situação em termos de combate à Covid-19, inteirar-se sobre os desafios quotidianos dos profissionais de saúde naquele hospital e saber que apoio necessitam de obter do Governo para o desempenho das suas funções.

E a este propósito e confrontado com a falta de equipamento médico no SNS, Costa sublinhou que há diversos materiais que vão chegar aos hospitais. “Até já ando no bolso com a lista de todo o material que está, neste momento, encomendado”, realçou, tirando o papelinho para ler de novo aos jornalistas, como já tinha feito no Parlamento, os equipamentos encomendados.

Estão em causa mais de 380 mil batas, quase 50 mil fatos de protecção, mais de 6 milhões de luvas esterilizadas e 10 milhões de luvas não esterilizadas, 368 mil máscaras com viseira, 17 milhões de máscaras cirúrgicas e 8 milhões de máscaras FFP2 e FFP3, 743 mil protectores de calçado e 1 milhão de toucas, como enumerou o primeiro-ministro.

Curry Cabral pode tornar-se num “hospital exclusivamente Covid”

“Este hospital está preparado para vir a tornar-se um hospital exclusivamente Covid“, referiu, antes de apontar que o Curry Cabral terá capacidade para passar das actuais 36 camas para um total de 300 camas, ocupando para o efeito outros serviços hospitalares.

Ao longo da visita, foram ainda equacionadas “outras soluções de recurso que poderão ser necessárias se a pandemia tiver uma progressão muito dramática”, disse António Costa, embora sem especificar essas soluções em ponderação.

O primeiro-ministro comentou ainda o facto de a Direcção Geral de Saúde (DGS) ter corrigido duas vezes os dados oficiais relativos às mortes por Covid-19, nesta terça-feira, rejeitando que haja qualquer tipo de manipulação.

“Os números da DGS são os que são fornecidos pelos profissionais de saúde e é com base nessa informação que temos de trabalhar”, apontou, explicando que “cada médico faz a inscrição numa plataforma comum dos casos que identifica”.

“Os números da DGS são simplesmente a agregação dessa informação descentralizada. A DGS não cria números“, concluiu o governante.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …

Há mais 19 mortos em Portugal. Número de casos confirmados perto dos 6.000

Portugal registou, este domingo, mais 19 mortes devido ao surto de covid-19. O número de casos confirmados é de 5.962, mais 792 em relação aos números de sábado. A Direção-Geral de Saúde revelou este domingo o …