Correntes oceânicas intensas podem ser criadas por insetos ridiculamente pequenos

Uma investigação recente concluiu que pequenos organismos marinhos podem desempenhar um papel significativo nas correntes oceânicas.

Cientistas demonstraram agora que algumas das menores criaturas do oceano podem ter um impacto descomunal nas ondas do oceano, com enxames de organismos marinhos a produzir inadvertidamente correntes poderosas que misturam e agitam o ambiente submarino. O estudo foi publicado esta quarta-feira na revista Nature.

“Organismos marinhos podem desempenhar um papel significativo nas correntes oceânicas – uma ideia que tem sido quase herética na oceanografia”, explica o engenheiro de mecânica de fluidos John Dabiri, da Universidade de Stanford.

“Neste momento, muitos dos nossos modelos climáticos oceânicos não incluem o efeito dos animais, nem sequer se são participantes passivos no processo.” Mas o pensamento por trás dessa exclusão é compreensível.

As criaturas que a equipa de Dabiri investigou – como por exemplo, o camarão de água salgada – são ridiculamente pequenas. Então, como é que estes insignificantes zooplânctons conseguem agitar o oceano?

Os enxames migram diariamente em colunas verticais, alimentando-se à superfície do oceano durante noite, antes de recuar centenas de metros de profundidade durante o dia. “Todos os dias, há uma migração verticalmente maciça de (literalmente) biliões de organismos”, disse Dabiri à NPR.

Quando estes organismos “nadam para cima”, cada um deles empurra um pouco de fluido para trás. Desta forma, a água é empurrada para baixo dessa sucessiva série de empurrões.

Para medir os efeitos deste efeito bola de neve, a equipa colocou o camarão de água salgada em tanques verticais cheios de água salgada e induziu as migrações dia/noite dos animais para cima e para baixo, através de luzes que imitavam a ascensão e a queda da luz solar.

Os investigadores filmaram o fluxo de água com o auxílio de corantes e pequenas contas de vidro que os ajudaram a visualizar a força dos redemoinhos gerados pelos enxames. Nas filmagens, a equipa descobriu que a passagem dos animais distribuía água em regiões pequenas e localizadas, e produzia volumes significativos de correntes oceânicas por onde quer que fossem.

Até agora, estes efeitos só foram demonstrados em laboratório, mas se a mesma coisa estiver a acontecer no mundo real, biólogos e oceanógrafos terão de repensar como é que a vida marinha contribui para a turbulência dos oceanos.

Os efeitos de agitação podem ter um impacto significativo na forma como avaliamos fenómenos como o transporte de nutrientes submersos, e como o dióxido de carbono é distribuído debaixo de água e lançado para a atmosfera.

PARTILHAR

RESPONDER

Cidade chinesa planeia criar uma lua artificial

As autoridades municipais de Chengdu, capital da província chinesa de Sichuan, anunciaram planos para a construção de uma lua artificial em 2020. Com um "brilho crepuscular", a nova lua iria iluminar a cidade num diâmetro …

Mineral ultra-raro descoberto em antiga cratera de meteorito na Austrália

Um mineral ultra-raro que apenas se forma quando rochas espaciais atingem a crosta terrestre com uma enorme pressão foi encontrado na Austrália. Até ao momento, só foram encontrados seis exemplares deste mineral, conhecido como reidite, …

Assange processa Equador por "violação de direitos fundamentais"

O co-fundador do WikiLeaks, Julian Assange, exilado na embaixada do Equador em Londres desde 2012, lançou esta sexta-feira uma ação legal contra o governo de Quito, alegando violação dos respetivos direitos fundamentais. Assange “acusa o governo …

O fóssil humano mais antigo da América foi encontrado nos escombros do Museu Nacional do Brasil

O crânio de Luzia, o fóssil humano mais antigo das Américas, foi encontrado por investigadores nos escombros do Museu Nacional do Brasil, que foi assolado por um enorme incêndio no passado mês de setembro. O fóssil …

Nascer no código postal certo (e ter uma boa mercearia) aumenta a esperança de vida

Segundo um estudo sobre a esperança de vida nos EUA, o local de nascimento importa. Se uma pessoa nascer no Mississipi, provavelmente não chegará aos 75 anos. Por outro lado, um natural de Nova Iorque …

Arqueólogos revelam segredos da única múmia tatuada do Egito

Um grupo de arqueólogos acaba de concluir as análises realizadas na única múmia tatuada já encontrada no Egito. Os testes revelaram muitos dos segredos desta múmia milenar, principalmente sobre as suas misteriosas tatuagens. A múmia, com …

A Via Láctea pode estar a enviar vida de estrela para estrela

Um novo estudo sugere que toda a Via Láctea pode estar a emitir os componentes necessários para a vida por todo o Universo através de meteoróides, asteróides, planetóides e outros objetos. Conhecida como a teoria Panspermia …

ALPHA-g. Criado o primeiro detetor de antigravidade

O ALPHA-g está pronto para fazer a sua estreia: esta máquina de 200 quilos foi criada para medir os efeitos de uma suposta "antigravidade". Numa luta contra o tempo, os cientistas estão a apressar-se a ligar …

Vila Real vs FC Porto | Goleada com poker de Adrián

O FC Porto garantiu hoje a passagem à quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao golear por 6-0 o Vila Real, num encontro marcado pelos quatro golos de Adrián López, que abriu e …

85% dos medicamentos estão em falta na Venezuela

A Federação Farmacêutica Venezuelana (Fefarven) informou hoje que estão em falta 85% dos medicamentos que se comercializam no país. A denúncia surgiu um dia depois de o Governo venezuelano estabelecer preços fixos para 56 medicamentos, durante …