Corbyn propõe moção de censura a Boris Johnson para evitar Brexit sem acordo

Andy Rain / EPA

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn

O líder dos trabalhistas britânicos instou os restantes partidos a apoiarem uma moção de censura ao primeiro-ministro e a convocação de eleições antecipadas para evitar um Brexit sem acordo.

O líder dos trabalhistas britânicos, Jeremy Corbyn, instou os restantes partidos a apoiarem uma moção de censura ao primeiro-ministro conservador, Boris Johnson, e a convocação de eleições antecipadas para evitar um Brexit sem acordo.

Numa carta publicada no Twitter na quarta-feira à noite e enviada aos líderes da oposição parlamentar e a vários deputados conservadores que se opõem a um Brexit sem acordo, Corbyn afirma que se esse plano for bem sucedido pedirá um adiamento da data prevista para a saída da União Europeia (UE), 31 de outubro, e convocará um novo referendo.

“Uma vez aprovada a moção de censura, eu, como líder da oposição, pedirei o apoio do parlamento para um governo provisório com o objetivo de convocar eleições e conseguir a necessária extensão do artigo 50º” do Tratado da UE.

“Nessas eleições, o Partido Trabalhista compromete-se a uma consulta pública sobre os termos da saída da UE, incluindo a opção de permanecer” na União, acrescenta.

Na carta, Corbyn sustenta que o Governo de Johnson não tem mandato para um Brexit sem acordo e que o referendo de 2016 não dá a nenhum governante mandato para uma saída sem acordo.

Boris Johnson, que sucedeu a Theresa May a 24 de julho, prometeu que o Reino Unido sairá da UE a 31 de outubro, com ou sem acordo.

A proposta de Corbyn foi considerada “sem sentido” pela líder dos Liberais Democratas, Jo Swinson, para quem o líder trabalhista “não é a pessoa que pode construir uma maioria, mesmo que temporária, na Câmara dos Comuns”.

O líder parlamentar do partido nacionalista escocês SNP, Ian Blackford, manifestou o seu apoio a uma moção de censura ao primeiro-ministro e a deputada do partido galês Plaid Cymru Liz Saville Roberts disse-se aberta a um governo de unidade.

Da parte do executivo, um porta-voz de Downing Street reagiu à proposta afirmando que os britânicos estão perante “uma escolha clara”.

“Ou Jeremy Corbyn como primeiro-ministro, que passará por cima do referendo e destruirá a economia, ou Boris Johnson como primeiro-ministro, que respeitará o referendo e conseguirá mais dinheiro para o serviço nacional de saúde e colocará mais polícias nas ruas”, disse o porta-voz.

A possibilidade de apresentar uma moção de censura a Boris Johnson quando a Câmara dos comuns voltar a reunir-se a 3 de setembro, tem sido evocada por políticos e analistas nos últimos dias.

A ser apresentada e aprovada, o primeiro-ministro disporia de um prazo de 14 dias para recuperar a confiança do parlamento e, se não o conseguir, convocar eleições.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …