Cor do prato muda o sabor da comida (para alguns)

Novo estudo reforça a ideia da importância da cor na alimentação, mas noutra perspectiva. Pelo menos na cabeça de quem come.

Sim, quem leu o título, e sobretudo se tiver filhos, já pensou em casos em que a criança recusou comer o que estava à sua frente.

Ervilhas, por exemplo: se estiverem numa disposição normal no prato, nada é ingerido; se formarem um desenho que parece algo conhecido e divertido, já come.

Ou uma sopa: se for verde ou amarela, a criança não come; mas se a sopa for mais vermelha (e quase com os mesmos ingredientes), já come.

Esta parte da mudança de cor, no momento de comer, foi o foco de um estudo realizado por psicólogos, publicado na revista Food Quality and Preference. Mas noutra perspectiva.

47 voluntários aceitaram participar nesta análise e foram divididos em dois grupos, com base nas respostas que deram num questionário sobre escolha de alimentos.

Um grupo composto por pessoas pouco exigentes no que diz respeito à alimentação; o outro grupo só tinha pessoas realmente exigentes, com imensos cuidados, requisito e hesitações.

Os dois grupos comeram os mesmos alimentos em pratos vermelhos, azuis e brancos. Tiveram direito a batatas fritas temperadas com sal e vinagre.

Depois, os participantes dos dois grupos classificaram a refeição em relação a desejo de comer, teor de sal e intensidade do sabor.

No grupo dos menos (ou nada) exigentes em relação à comida, foi tudo igual. Fosse qual fosse a cor do prato, os três aspectos eram iguais, o sabor era o mesmo.

Mas os exigentes disseram que a comida estava diferente, consoante o prato onde foi colocada. A intensidade do sabor era semelhante mas havia menos ou mais sal, conforme o prato: batatas mais salgadas em pratos vermelhos e azuis, menos salgadas em pratos brancos. E o desejo de comer também foi distinto.

Há a possibilidade de as noções distintas do sabor do alimento terem relação directa com as cores que as mesmas pessoas associam, no alimento em causa. Por exemplo, no Reino Unido os lanches salgados costumam aparecer em embalagens azuis.

Este tudo, de acordo com os seus autores, pode ajudar pessoas que variam pouco na sua rotina alimentar. E até melhorar a qualidade de vida dessas pessoas exigentes.

E não é só a cor que influencia o momento de comer. O portal Science Alert recorda que, noutras análises, até a luz da divisão e a música influenciam. Porque todos os nossos sentidos estão ligados entre si.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.