Cientistas encontraram pela primeira vez a cor azul em penas fossilizadas

(dr) Marta Zaher / University of Bristol

Ilustração da ave Eocoracias brachyptera

Pela primeira vez, cientistas encontraram a cor azul em penas fossilizadas, tendo como base do estudo a espécie pré-histórica Eocoracias brachyptera.

Depois de milhões de anos de fossilização, as penas desaparecem mas os pigmentos de melanina, chamados melanossomas, podem ser preservados. Até agora, o problema tem sido conseguir identificar separadamente os tons negros, acastanhados, cinzas e azulados. Mas agora, de acordo com o Science Alert, especialistas foram capazes de perceber essa diferença relativamente à espécie Eocoracias brachyptera.

“Descobrimos que os melanossomas em penas azuis têm um alcance distinto em tamanho da maioria das categorias de cores e, portanto, podemos restringir quais fósseis podem ter sido originalmente azuis”, explica o paleontologista Frane Babarović, da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, e um dos responsáveis pelo estudo publicado na revista científica Journal of the Royal Society Interface.

A chave para esta descoberta foi a possibilidade de comparar os fósseis do E. brachyptera com os seus equivalentes atuais, os rolieiros. Essa análise ajudou os investigadores a perceber se estavam a analisar fósseis de pássaros azuis ou cinzas – ambos preservam os melanossomas durante mais tempo (1.400 nanómetros) do que os restantes (apenas 300).

Para aumentar a complexidade, certas cores – incluindo o azul e o verde – não aparecem apenas através da melanina por si só, mas tornam-se visíveis graças a estruturas celulares adicionais e à refração da luz. São conhecidas como cores estruturais e muitas vezes podem ser também iridescentes (um exemplo disso são as penas da cauda de um pavão).

Ao avaliar a predominância de azul e cinza nas árvores genealógicas das aves vivas, e ao estudar os melanossomas nos fósseis do E. brachyptera, os cientistas concluíram que havia 99% de possibilidades desta ave pré-histórica ter uma cor estrutural não-iridescente, e apenas 19% de probabilidades das suas penas serem cinza.

“A sobreposição com a cor cinza pode sugerir algum mecanismo comum de como os melanossomas estão envolvidos na coloração cinza e de como essas cores azuis estruturais são formadas”, diz Babarović. “Com base nos nossos resultados, também sugerimos a possível transição evolutiva entre a cor azul e cinza“.

A equipa sugere que investigações futuras também se possam concentrar nas diferenças e semelhanças entre a coloração cinza e azul no desenvolvimento das penas, com o cinza a ser provavelmente mais comum. Como diz o Science Alert, o E. brachyptera pode ser considerado uma exceção colorida com 48 milhões de anos.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …

O novo amplificador de guitarra tem maior capacidade de encaixe (e é mais poderoso)

Em 2016, o engenheiro eletrónico Chris Prendergast lançou um projeto Kickstarter para o amplificador de guitarra portátil JamStack. Este encaixava-se num pino de correia e emitia sons gerados por um smartphone. Agora foi lançada a …

Etiópia. Comissão de direitos humanos denuncia massacre de 600 civis na região de Tigré

A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país. Segundo …

A Torre de Londres foi palco de várias experiências estranhas com animais

Antigamente, os humanos tinham algumas teorias muito estranhas sobre vários animais e, infelizmente, nem um pouco do bom senso que os impediria de as testar. Segundo o site IFLScience, Plínio, o Velho, era um desses exemplos. …

Grupo hacker português reivindica ataque a 61 sites do Brasil este ano

O grupo do hacker português que assumiu publicamente o recente ataque cibernético ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil admitiu ter invadido 61 sites brasileiros este ano, segundo o jornal O Estado de São Paulo. O …

PCP e PEV vão abster-se na votação final do Orçamento do Estado

O PCP e o PEV anunciaram, esta quarta-feira, que vão abster-se na votação final global do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), que está agendada para esta quinta-feira na Assembleia da República. O Partido Comunista vai …

Economia e tecnologia. Quem irá vencer a guerra comercial? EUA não facilitam, mas China já prepara plano para 2025

A atual guerra comercial entre a China e os Estados Unidos começou depois do atual presidente norte-americano, Donald Trump, anunciar a 22 de março de 2018 uma lista de tarifas superiores a 60 mil milhões …

Estudantes estrangeiros podem renovar autorização de residência online

Os estudantes estrangeiros que frequentam o ensino superior em Portugal podem renovar automaticamente 'online', desde esta semana, os títulos de autorização de residência, anunciou o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). A nova funcionalidade está disponível …

Nas pinturas de Van Gogh predomina a cor amarela (e isso tem uma explicação científica)

As obras do pintor Van Gogh encaixam-se na corrente artística do pós-impressionismo. Estas caraterizam-se por terem cores fortes com capacidade de atrair um público bastante diversificado. Mas por que razão predominavam quase sempre as mesmas …