Cientistas conseguiram controlar as decisões de macacos através de estimulação cerebral

Ondas ultrassónicas de alta frequência, destinadas a regiões cerebrais específicas, podem mesmo influenciar o comportamento dos macacos.

O cérebro é um órgão muito difícil de tratar. Além de a grande maioria dos medicamentos ter vários efeitos colaterais, a cirurgia cerebral é muito arriscada e invasiva.

Um novo artigo científico, publicado no dia 20 de maio na Science Advances, traz uma nova esperança ao sugerir que ondas ultrassónicas possam ser usadas para afetar regiões específicas do cérebro de macacos de modo a controlar parcialmente a sua tomada de decisões.

Este tratamento influenciou a decisão dos macacos de olharem para a esquerda ou para a direita, independentemente do treino prévio para preferirem um determinado alvo em detrimento do outro.

A equipa aplicou uma técnica experimental usada por cientistas para estudar comportamentos de escolha humanos. Assim, dois macacos com a cabeça imobilizada dentro de um quarto escuro foram treinados para olhar para um alvo no centro de uma tela. Após alguns instantes, um segundo alvo aparecia na tela, à direita ou à esquerda do alvo inicial, e, em seguida, um terceiro alvo surgia no lado oposto.

Os macacos têm tendência a olhar para os alvos na ordem em que aparecem, mas foram treinados para resistir a essa vontade natural com recompensas alimentares.

Durante a fase experimental, os investigadores usaram um transdutor ultrassónico para estimular os campos oculares frontais dos macacos, a região cerebral responsável pela atenção visual e pelos movimentos voluntários dos olhos. Quando os cientistas estimularam os campos oculares focais esquerdos, os macacos selecionaram o alvo certo com mais frequência, e vice-versa.

Quando produzida no córtex motor, a estimulação não produziu qualquer efeito, o que sugere que os cientistas não provocaram apenas um reflexo físico, como influenciaram a escolha percetiva dos animais.

Esta é a prova de que as ondas sonoras agudas, que não são audíveis pelo ouvido humano, podem induzir mudanças físicas no cérebro. Esta estimulação causa a vibração das membranas neurológicas, que impulsiona os neurónios próximos e influencia os seus comportamentos associados. Usando esta técnica, os cientistas podem mudar a atividade dos neurónios.

Segundo o New Atlas, este estudo destaca o potencial uso desta técnica não invasiva e indolor no tratamento de certos distúrbios em humanos, sem a necessidade de cirurgia ou medicação. Ainda assim, os resultados são muito preliminares, já que os efeitos foram apenas observados em dois macacos.

Além disso, a eficácia a longo prazo deste tipo de tratamentos também não é clara.

Os cientistas já haviam conseguido estimular neurónios no cérebro de ratos com ondas ultrassónicas de alta frequência. Ao modular a atividade neuronal nestes animais, os cientistas conseguiram desencadear vários movimentos musculares.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Morreu um dos jovens infetados com peste negra na Mongólia

Morreu um dos jovens infetados com peste bubónica, também conhecida como peste negra, na Mongólia. O rapaz contraiu a doença depois de ter comido carne de marmota. Um jovem de 15 anos morreu, esta segunda-feira, vítima …

PCP quer Costa no Parlamento de 15 em 15 dias (e não vai contribuir para acabar com os debates quinzenais)

O PCP não concorda que será o fim da democracia caso os debate quinzenais passem a mensais. No entanto, não vai contribuir para acabar com este modelo. Ao Expresso, o deputado comunista António Filipe Duarte garantiu …

"Espero contar tudo o que sei". Cientista chinesa fugiu da China para alertar que "não temos muito tempo"

A virologista chinesa Li-Meng Yan, que fugiu para os Estados Unidos, deu uma segunda entrevista à Fox News, na qual alertou que "não temos muito tempo".   Li-Meng Yan, especialista em virologia e imunologia, era uma …

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …