/

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais.

A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não deixa de encantar os turistas que visitam Praga, a capital da República Checa. Apesar de ser imponente e um dos grandes pontos turísticos da cidade, a ponte foi construída numa altura em que a engenharia ainda não havia atingido o seu pico.

A icónica Ponte Carlos começou a ser erguida em 1357 e foi concluída em 45 anos. Com 616 metros de comprimento e 10 metros de largura, conta com três torres e 30 estátuas.

Em 2016, o canal do YouTube Praha archeologickáand – um projeto do Instituto de Arqueologia de Praga (CAS) e do Instituto Nacional do Património – publicou um vídeo no qual apresenta a construção da ponte em apenas três minutos. A animação foi feita por Tomáš Musílek e fornece uma ampla visão da tecnologia antiga e dos processos de construção.

Segundo o Interesting Engineering, a tecnologia usada para tornar possível esta ponte icónica foi criativa e inteligente, provando o quão engenhosos os seres humanos conseguem ser – mesmo com pouca técnica e recursos, se comparados com os que existem atualmente.

O primeiro passo foi construir uma ensecadeira no leito do rio, um anteparo estabelecido num curso de água para pôr a seco um ponto onde se pretende edificar. Sobre o terreno são erguidos os pilares da ponte. O subsolo foi, muito provavelmente, reforçado com estacas de madeira.

Para a construção dos arcos, foram erguidas “torres” de madeira e colocados sobre elas blocos de arenito ou granito cortados com precisão. Assim que as estacas de madeira foram removidas, os arcos foram reforçados com a colocação de várias camadas de pedras até ao nível do piso da ponte e de um pavimento de rocha dura.

A ponte escapou da destruição durante a II Guerra Mundial, ao tráfego de automóveis e a inundações. Hoje, é uma das principais atrações de Praga.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.