Penedono e Lisboa: os extremos no momento de comprar casa

Portal actualiza a lista dos concelhos mais baratos (e dos mais caros) para comprar e arrendar casa em Portugal.

O mercado imobiliário continua a mexer muito. Em 2022 o cenário mantém-se: a procura de casas é maior do que a oferta.

Por isso, os preços continuam a subir e, no primeiro trimestre deste ano, a subida homóloga foi de 1,2%. A mediana nacional está agora em 2.352 euros por metro quadrado

Os números são do portal Idealista, que actualizou nesta terça-feira a lista dos municípios onde, em média, é mais barato e mais caro comprar casa.

Números ao comprar casa

É a nordeste de Viseu, quase a entrar no distrito da Guarda, que encontramos o concelho mais acessível: Penedono, onde a mediana de comprar casa é de 305 euros por metro quadrado. É um valor quase oito vezes inferior à média nacional.

O interior da região Centro é o que acumula mais concelhos acessíveis: Fornos de Algodres, perto da Serra da Estrela, está no segundo posto com uma mediana de 364 euros/m2; mais abaixo, Vila Velha de Ródão completa o pódio (390 euros/m2).

Confirmando a predominância do interior na região centro nas zonas mais baratas, verificamos que Mêda, Sernancelhe, Figueira de Castelo Rodrigo, Nisa, Pinhel, Gavião e Idanha-a-Nova estão todas no top-10. E situam-se todas nessa região.

Lisboa é o concelho mais caro para comprar casa: mediana de 5.130 euros por metro quadrado. Uma diferença significativa em relação ao segundo município mais caro: Cascais, com 4.021 euros/m2.

Grândola, Alcácer do Sal e Oeiras estão no top-5 dos concelhos mais caros, antes de Loulé, Porto, Lagos, Lagoa e Sesimbra completarem os 10 municípios mais caros do país.

Arrendar casa

O arrendamento também está mais caro em Portugal. Entre o último trimestre do ano passado e o primeiro trimestre deste ano, os preços subiram 2,6%, com uma mediana de 990 euros por mês a nível nacional.

Chaves (354 euros por mês), Elvas e Covilhã são agora os três concelhos mais baratos para arrendar casa, enquanto São Brás de Alportel (2.216 euros por mês), Cascais e Lagoa estão no pódio dos mais caros.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.