Cometa com o dobro do tamanho do Monte Evereste vai passar pela Terra

Um cometa gigante, designado C/2017 K2 (PanSTARRS), entrou no Sistema Solar, podendo em breve ser visto através de um telescópio comum. O melhor momento para ver o cometa será a 14 de julho, quando fará a sua maior aproximação à Terra.

Os especialistas não determinaram o tamanho exato do núcleo do cometa, mas os investigadores da NASA Eddie Irrizarry e Kelly Kizer Whitt estimam que o cometa tenha entre 18 e 161 quilómetros de largura, avançou o Interesting Engineering.

Este pode ser considerado “apenas” um cometa gigante ou, então, ficar entre maiores já descobertos, como Hale-Bopp e Bernardinelli-Bernstein. O mais perto que chegará da Terra será o equivalente à distância média entre o nosso planeta e Marte – cerca de 270 milhões de quilómetros.

À distância a que o cometa vai passar pela Terra, não será visível a olho nu — mas deve ficar no alcance de um bom telescópio.

A cauda do C/2017 K2 (PanSTARRS) é formada por gases e poeira e estima-se que o seu comprimento tenha entre 130 mil e 800 mil quilómetros.

Segundo o Fossbytes, o melhor momento para observar o cometa será a 14 de julho, dia em que o corpo celeste estará no ponto mais próximo da Terra.

Depois de passar pela Terra, o C/2017 K2 irá manter o seu caminho em direção ao periélio — o momento em que a sua órbita no ponto mais próximo do Sol.

Embora não haja ainda uma ideia exata da forma como o cometa se irá comportar perto da nossa estrela, as hipóteses mais prováveis são que se torne mais ativo e brilhante, ou que se desintegre completamente e desapareça — deixando apenas um rasto de poeira.

A designação Pan-STARRS refere-se ao projeto Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System, que realiza um mapeamento do céu em busca de supernovas, asteróides e cometas. A primeira descoberta do projeto foi justamente o C/2017 K2, quando este estava a 2,4 mil milhões de quilómetros da Terra.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.