Combustíveis fósseis podem causar catástrofe de extinção em massa

Cientistas alemães concluíram que é urgente acabar com o consumo de combustíveis fósseis para salvar os oceanos da acumulação de dióxido de carbono, ou “uma catástrofe de extinção em massa pode acontecer”, afirmou a investigadora principal, Sabine Mathesius.

“A remoção de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera de forma artificial conforme vem sendo proposto não salvará os oceanos caso prossigamos com os hábitos atuais de mineração e perfuração para obter carvão, petróleo e gás”, disse à Lusa Sabine Mathesius, do Centro de Pesquisa Oceânica Helmholtz GEOMAR, da cidade de Kiel, na Alemanha.

A água dos oceanos, que absorve dióxido de carbono a um nível sem precedentes, está a ficar mais ácida do que alguma vez esteve nos últimos 300 milhões de anos, o que poderá precipitar a extinção em massa de espécies marinhas, alertou.

Como as medidas de redução artificial de dióxido de carbono “nunca antes foram testadas na sua eficácia”, os investigadores desenvolveram um programa informático para o fazer, considerando um cenário até 2150.

“A remoção de CO2 permitiria potencialmente à atmosfera voltar aos níveis de concentração de gases de efeito estufa da era pré-industrial, mas não salvaria os oceanos”, concluíram os investigadores.

futureocean.org

abine Mathesius, do Centro de Pesquisa Oceânica Helmholtz GEOMAR, Kiel

abine Mathesius, do Centro de Pesquisa Oceânica Helmholtz GEOMAR, Kiel

Mesmo retirar enormes quantidades de CO2 da atmosfera “não ajudaria muito o oceano profundo, pelo que não há qualquer justificação para continuar a adiar a redução das emissões de CO2”, afirmou a cientista.

As emissões de gases de efeito estufa, provenientes da ação humana, são absorvidas em cerca de 25 por cento pelos oceanos, o que “não só causa o rápido aquecimento dos mares, mas também a acidificação dos oceanos a uma velocidade sem precedentes“.

Essas alterações interferem no metabolismo de vários grupos de organismos como corais, esponjas, moluscos com conchas, crustáceos e entre outros.

“O transporte dos nutrientes (fitoplâncton, a base da cadeia alimentar marinha) das profundezas para a superfície fica bastante impossibilitada” sublinhou a investigadora alemã.

A longo prazo “isso irá ameaçar as formas de vida marinhas de muitas espécies, pondo em causa a biodiversidade e as intricadas cadeias alimentares”, acrescentou.

Há 65 milhões de anos “a acidificação dos oceanos foi um dos principais motores de extinções marinhas“, salientou.

Por isso, é possível que aconteça um “episódio de extinção em massa”, insistiu.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Amiga não te preocupes com isso, em 2100 já deve haver outros problems maoiores como a inteligência artificial e robots a substituir os humanos, ou algum cenário parecido. Muitos estudos e conclusões de determinadas matérias vão cair em fundo perdido em prólogo de outras matérias mais importantes que surgirão a curto prazo.

RESPONDER

Ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa suspensa a partir de hoje (e durante 45 dias)

A Transtejo tinha informado que a ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa estaria suspensa a partir desta segunda-feira, por 45 dias, devido a obras, mas será assegurado transporte rodoviário até ao terminal de Almada. “A …

Nagorno-Karabakh. Arménia e Azerbaijão acusam-se mutuamente de violação de novo cessar-fogo

A Arménia e o Azerbaijão trocaram esta segunda-feira acusações pela violação de um novo cessar-fogo acordado no domingo para pôr fim às hostilidades no enclave de Nagorno-Karabakh, que deveria ter entrado hoje em vigor. A Arménia …

Venezuela testou molécula que "anula a 100%" o novo coronavírus

O Presidente da Venezuela anunciou, este domingo, que o Instituto Venezuelano de Investigações Científicas (IVIC) testou com sucesso uma molécula, a DR10, que "anula 100%" o novo coronavírus. "O IVIC testou uma molécula usada para tratar …

Com a bancarrota a caminho, Governo Sócrates vendeu quase 80% dos imóveis públicos

Numa altura em que o país já estava em situação complicada, com o cenário de bancarrota no horizonte, o último Governo de José Sócrates vendeu quase 80% do património imobiliário público em apenas dois anos. Estes …

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, houve centenas de festas ilegais e álcool na rua

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, foram muitos os que ignoraram as restrições. A polícia espanhola foi obrigada a intervir em centenas de festas ilegais e numa festa ao ar livre com mais …

Casa Branca admite que EUA não poderão controlar pandemia. Biden acusa Trump de ter desistido

A Casa Branca admitiu este domingo que os EUA não poderão controlar a pandemia por ser tão contagiosa, numa mudança à postura de minimização da gravidade da crise, numa altura em que há novos recordes …

GNR obrigada a intervir no GP de Fórmula 1. Bastonário diz que evento foi um "insulto" aos profissionais de saúde

O circuito de Portimão teve de fechar algumas bancadas para garantir o distanciamento dos 27.500 espetadores autorizados pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Pelo menos em duas foi necessária a intervenção da GNR. Em comunicado, a GNR …

Governo atira-se ao Bloco de Esquerda. Voto contra é "incompreensível"

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, afirmou que "o Governo considera incompreensível que não possa contar com o Bloco de Esquerda" para aprovar o Orçamento do …

Chilenos votam de forma esmagadora para substituir Constituição de Pinochet

Os chilenos votaram de forma esmagadora, este domingo, a favor de uma nova Constituição para substituir a herdada da era do ditador Pinochet, num referendo realizado um ano após uma revolta popular contra a desigualdade …

Parques eólicos instalados em terrenos baldios vão passar a pagar IMI

Os terrenos baldios onde sejam instalados parques eólicos destinados a produzir energia elétrica vão perder o direito à isenção de IMI que a lei previa anteriormente para este tipo de imóveis. O Jornal de Negócios adianta …