Afinal, o comboio mais rápido do mundo pode não chegar em 2027

O desenvolvimento do promissor comboio, que deverá chegar ao Japão em 2027, enfrenta agora problemas com questões ambientais. O Maglev Chuo Shinkansen promete ser o comboio mais rápido do mundo, mas o confronto entre um gigante corporativo, e autoridades locais pode vir a prejudicar este grande projeto.

Assim que entrar em operação, o Maglev Chuo Shinkansen terá capacidade para realizar as viagens mais rápidas de sempre. O teste realizado em 2015 estabeleceu um recorde mundial – o comboio pode alcançar uma velocidade de 603 quilómetros por hora.

Segundo o Interesting Engineering, o orçamento é de 85 mil milhões de dólares (cerca de 71 mil milhões de euros), e como é considerado um projeto nacional, um terço dessa quantia é financiada pelo governo.

Uchida Toshihiro, economista na região central de Tokai, tem vindo a discutir os benefícios económicos do Maglev. “Se o comboio ficar operacional em 2027, estima-se que os efeitos económicos irão render 105 mil milhões de dólares (cerca de 88 mil milhões de euros) em todo o país, nos primeiros 50 anos”.

Porém, nem tudo é perfeito neste processo de desenvolvimento tecnológico. As autoridades locais de Shizuoka não autorizaram a construção de um túnel de 9 quilómetros que pode vir a cruzar a cidade, devido a preocupações ambientais. Um estudo concluiu que a construção de um túnel na área planeada pode prejudicar as águas do rio Oigawa, pois as águas subterrâneas que o alimentam iriam passar pelo túnel.

Kawakatsu Heita, presidente de Shizuoka, demonstrou-se preocupado com os potenciais impactos ambientais do projeto, uma vez que “a água é de extrema importância. Se o túnel for construído através dos Alpes do Sul, mais de duas toneladas de água por segundo, serão perdidas. Cerca de 600 mil pessoas dependem dessa água“.

Os porta-vozes da Central Japan Railway não aceitam a justificação apresentada por Heita, pois garantem que irão ser usadas bombas dentro do túnel, com o intuito de filtrar as águas subterrâneas, e assim preservar o caudal do rio.

Heita não está convencido, e acusa a empresa de não apresentar evidências científicas. O governante de Shizuoka explica que não vai aceitar esta situação, até porque há outras alternativas, “é possível mudar o trajeto, apenas é preciso dar uma volta maior. Cinco minutos não são relevantes a nível temporal, mas esta situação é muito preocupante a nível ambiental”.

Maryland GovPics / Wikimedia

O Maglev Chuo Shinkansen pode alcançar uma velocidade de 603 quilómetros por hora

O Ministério dos Transportes do Japão realizou um evento para que o assunto fosse discutido por especialistas. Kaneko Shin, o presidente da Central Japan Railway, criticou a atitude das autoridades de Shizuoka, afirmando que é injusto que os planos de construção das linhas fiquem adiados.

A tecnológica japonesa afirma que se a situação não se resolver, não será possível avançar com as obras até 2027. Toshihiro alerta que “se as obras da ferrovia se atrasarem, os custos de construção irão aumentar”.

A linha de comboio foi planeada de modo a ligar três das mais importantes cidades do Japão: Tóquio, Nagoya e Osaka. No entanto, espera-se que o comboio circule também por sete zonas da capital japonesa, entre as quais Kanagawa, Yamanashi, Shizuoka, Nagano, Gifu, e Aichi.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Este parece bem encaixado para evitar descarrilamentos, penso que os atuais sistemas terão os dias contados daqui por algum tempo.

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …