Biofísico usa maçãs para criar tecido humano para transplante

Para a grande maioria da população mundial, as maçãs servem para comer. Porém, para o biofísico canadiano Andrew Pelling, esta peça de fruta tem finalidades que podem ajudar o campo da medicina regenerativa.

Andrew Pelling é professor na Universidade de Ottawa, no Canadá, e já é conhecido por usar não só a maçã, como outras frutas, legumes e até flores para ajudar na reconstrução do corpo humano. A intenção do biofísico canadiano é desenvolver métodos inovadores e mais económicos na chamada medicina regenerativa.

Pelling e a sua equipa removeram as células e o ADN de uma maçã, até sobrar apenas a sua estrutura de celulose, a substância responsável por deixar a fruta crocante.

Existente na maioria dos vegetais e de característica fibrosa, a celulose é responsável por dar rigidez e firmeza às plantas e não é digerida pelos seres humanos.

Os cientistas constataram, então, que esta estrutura mostrou-se eficaz para o implante de células vivas em laboratório, incluindo as células humanas.

Posteriormente, a equipa esculpiu maçãs em formato de orelha e usou estes “esqueletos” de celulose para implantar neles células humanas.

Baixo custo

“Trata-se de um material de baixo custo com o qual podemos criar diferentes estruturas. Abre várias possibilidades para a medicina regenerativa”, disse Pelling à BBC.

Esse tipo de suporte para fazer implantes em pacientes é uma ferramenta essencial da medicina regenerativa. Os médicos e dentistas usam este tipo de estruturas para fazer enxertos de pele e de osso ou para reparar joelhos danificados, ligamentos e gengivas.

No entanto, os produtos disponíveis no mercado ainda conseguem ser muito caros e derivam normalmente de animais ou de cadáveres humanos.

Por isso, esta nova opção pode ser muito boa, uma vez que custa apenas alguns cêntimos.

Medicina regenerativa

Para conduzir esta experiência, Pelling transplantou as estruturas de celulose numa cobaia e observou a formação de vasos sanguíneos. Agora, o biofísico está a fazer testes semelhantes noutro tipo de frutas e legumes.

Pelling suspeita que a estrutura das pétalas de flores – fina e plana – pode ser ideal para produzir pele e, por exemplo, o formato dos espargos pode ser útil para estimular o crescimento de nervos e vasos sanguíneos.

O campo da medicina regenerativa está a conhecer um grande crescimento na última década. Investigadores já conseguiram criar artificialmente traqueias e bexigas e agora estão a trabalhar para produzir órgãos ainda mais complexos.

Pelling espera poder desenvolver materiais de baixo custo e “de código aberto”, ou seja, capaz de ser adaptado e aperfeiçoado por outros cientistas, que ajudem a impulsionar esta revolução.

“O próximo desafio é saber se poderemos trabalhar com organismos mais complicados, como órgãos, músculos ou ossos”, afirma.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta em Alenquer uma das maiores muralhas do país do Calcolítico

Arqueólogos portugueses e espanhóis descobriram em Alenquer uma muralha monumental, uma das maiores do país do período Calcolítico, com quatro a cinco mil anos, após terem realizado este mês as primeiras escavações. A uma altitude de …

Minas americanas continuam inseguras apesar de multas de mil milhões de dólares

O veredito é dado pela sistema federal que multa as empresas mineiras: nem os mais de mil milhões de dólares em multas se revelaram suficientes para desencorajar as práticas inseguras do setor. Esta foi a conclusão …

Ainda há esperança. Corais do Atlântico reproduziram-se pela primeira vez em laboratório

Este é um avanço histórico que poderia ajudar a salvar corais em todo o mundo, incluindo o ameaçado recife da Flórida, nos Estados Unidos. O Aquário da Flórida, nos Estados Unidos, conseguiu que o coral Dendrogyra …

Cientistas descobrem a melhor maneira de ensinar uma nova língua a crianças

As pessoas muitas vezes assumem que as crianças aprendem novas línguas facilmente e sem esforço, independentemente da situação em que se encontram. Mas será verdade que as crianças absorvem linguagem como esponjas? Estudos mostraram que as …

Cientistas descobrem que as mantas gostam de socializar e de fazer amigos

Embora já tenham sido consideradas criaturas solitárias, um novo estudo descobriu que as mantas formam relações sociais e escolhem parceiros sociais. De acordo com o IFLScience, uma equipa de cientistas estudou mais de 500 grupos sociais …

Planta que não se reproduzia há 60 milhões de anos no Reino Unido revivida pelas alterações climáticas

Há 60 milhões de anos que as cicas não se reproduziam no Reino Unido. Agora, com a subida das temperaturas devido às alterações climáticas, fizeram-no pela primeira vez. As cicas são plantas lenhosas muito parecidas com …

Líderes políticos e religiosos ultraconservadores reunidos secretamente em Fátima

A reunião foi promovida pela International Catholic Legislators Network (ICLN). O encontro começou na quinta e termina este domingo. Entre muitos, conta com a participação do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Vários líderes políticos e religiosos ultraconservadores …

Rio alerta para "divórcio violento" e medo de Costa em perder votos para o BE

O líder do PSD, Rui Rio, disse este sábado que as críticas de António Costa ao Bloco de Esquerda refletem "ingratidão" e o "medo" que o Partido Socialista tem em "perder" votos para os bloquistas …

Trump diz que Boris é "o homem certo" e promete "grande acordo comercial"

Os dois líderes estiveram reunidos à margem da cimeira do G7. Trump elogiou Boris e garantiu que o acordo comercial com o Reino Unido será rápido depois do Brexit. Johnson diz que será "fantástico". O Presidente …

Uma impressora 3D construiu uma casa em apenas 12 horas

A impressora 3D S-Squared (SQ3D) construiu um protótipo básico de uma casa em cerca de 12 horas. A estrutura tem 46 metros quadrados e foi construída através de uma mistura de cimento em camadas. O trabalho …