Cientistas russos descobrem asteróide perdido

(dr) Detlev van Ravenswaay

-

Cientistas russos detetaram um novo asteróide em órbita próxima da Terra. Mas cálculos rigorosos dos astrónomos estão a afastar cenários pessimistas de colisão com o nosso planeta.

O robô-telescópio móvel da rede MASTER, de fabrico russo, conseguiu descobrir um asteróide que estava “eclipsado” há 16 anos. O corpo celeste encontra-se na constelação de Pegasus, que se observa com maior facilidade no período do outono.

O telescópio está instalado no vale de Tunkinskaya, na região do lago Baikal, na Sibéria Oriental. A sigla MASTER significa Sistema Astronómico Móvel de Telescópios-Robôs.

Esta rede de telescópios tem a missão de vigiar, observar e registar ameaças procedentes do espaço. Assim que o telescópio detecta um possível corpo celeste perigoso, regista imediatamente a sua órbita.

Em 1998, um enorme corpo de 320 metros em diâmetro foi observado nos céus durante 4 dias, após o que desapareceu.

Uma análise de trajectória mostra que o corpo celeste agora descoberto é o asteróide que se perdera nos confins do Universo em 98.

Os observatórios perderam-no de vista devido à alteração da sua órbita, explica o director do projecto astronómico, Vladimir Lipunov, professor catedrático da Universidade Estatal de Moscovo.

“O asteróide está noutro local do espaço, mas se compararmos com os cálculos feitos há 16 anos, é mesmo ele”, frisou Lipunov à RVR.

lipunov / msu.ru

O astrónomo Vladimir Lipunov, da Universidade Estatal de Moscovo

O astrónomo Vladimir Lipunov, da Universidade Estatal de Moscovo

O período da órbita do asteróide em torno do Sol é de 449 dias.

No ponto mais distante do Sol, o asteróide atravessa a órbita de Marte.

No ponto mais próximo, chega a uma distância do Sol igual a 1,5 vezes a do planeta Vénus.

Perigo para a Terra?

A principal questão que se coloca no entanto é de saber até que ponto é perigoso para a Terra.

Os cálculos efectuados permitem determinar esse perigo, revela um dos membros do projecto, o astrónomo Serguei Yazev.

“A distância mínima a que o asteróide poderá passar da Terra é de 3 milhões km, o que é 8 vezes maior do que a que nos separa da Lua”, explica Yazev.

“Por isso, não há perigo real”, diz o astrónomo.

Curiosamente, nos dias 8 e 9 de setembro, o asteróide estava a aproximar-se da Terra sem ter sido visto pelos astrónomos.

Em meados de setembro, no céu diurno, o corpo celeste deslocava-se a uma elevada velocidade. No céu nocturno, era detectado com dificuldade, por causa do brilho da Lua.

Este é o terceiro asteróide identificado nos últimos três anos pelos telescópios da rede MASTER .

ZAP / RVR

PARTILHAR

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …