Cientistas implantam falsas memórias em pássaros para os fazer cantar melodias que nunca ouviram

Uma equipa de cientistas implantou falsas memórias em pássaros e o resultado foi satisfatório: os animais conseguiram aprender melodias simples que nunca tinham ouvido antes, já que os investigadores conseguiram ativar seletivamente neurónios específicos dos seus cérebros.

À semelhança dos humanos, os pássaros aprendem a emitir sons com os membros mais velhos do seu ciclo social. Agora, graças a uma técnica conhecida como optogenética, uma equipa de cientistas do Southwestern Medical Center, da Universidade do Texas, conseguiu ativar neurónios específicos nos cérebros dos animais, fazendo-os reproduzir sons que nunca tinham ouvido antes.

A optogenética consiste em utilizar luz para controlar tecidos vivos. Como cada canal celular é ativado por um determinado comprimento de onda, a emissão de luz numa certa frequência permite que o manipulador ative ou desative um determinado tecido.

No caso dos pássaro estudados, o método permitiu à equipa ativar certos circuitos de neurónios, fazendo com que os animais fossem capazes de memorizar novas músicas. O artigo científico foi publicado no início de outubro na revista Science.

Em comunicado, os cientistas adiantaram que esta “é a primeira vez que confirmamos a existência de regiões cerebrais que codificam memórias de objetivos comportamentais, que são aquelas que nos guiam quando queremos imitar qualquer coisa, da fala à aprendizagem de piano”, explicou Todd Roberts, coautor da investigação.

“As descobertas permitiram-nos implantar essas memórias nestes animais e orientar a aprendizagem das canções”, acrescentou.

Os pássaros usaram estas memórias implantadas para aprender “sílabas” de canto: a duração de cada nota correspondia à quantidade de tempo que a luz mantinha os neurónios ativos, ou seja, quanto menor a exposição à luz, menor a nota.

Na prática, os cientistas não ensinaram os pássaros a cantar, mas quanto tempo deveria durar cada nota. A descoberta parece um pequeno passo, mas pode abrir a porta à identificação de circuitos cerebrais que influenciam outros aspetos da vocalização, como o tom ou a ordem de cada som.

Além disso, adianta o Science Alert, esta investigação pode ter importantes implicações em seres humanos. Os cientistas esperam poder relacionar o mapeamento dos processos neurais envolvidos na aprendizagem dos pássaros com os dos seres humanos.

Desta forma, os cientistas poderiam usar o conhecimento obtido para conhecer em pormenor os genes relacionados com a fala, que, muitas vezes, são comprometidos em pacientes com transtornos que afetam a comunicação.

“O cérebro humano e os caminhos associados à fala e à linguagem são muito mais complicados do que os circuitos dos pássaros”, apontou Roberts. “A nossa investigação fornece fortes pistas sobre onde procurar mais insights sobre distúrbios de neurodesenvolvimento.”

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …

Caso BPN. Relação condena dois dos absolvidos e agrava penas a outros dois

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta quarta-feira dois dos três arguidos absolvidos no processo principal da falência do BPN, Ricardo Oliveira e Filipe Nascimento, e agravou as penas a dois dos 12 arguidos …

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …

Proteção Civil quer que bombeiros voltem a ser obrigados a usar cinto de segurança

A estrada mata mais bombeiros do que os incêndios. Por isso, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil criou um grupo específico para analisar o problema. Rui Ângelo, chefe da Divisão de Segurança, Saúde e …

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …