Cientistas encontraram um novo grupo de antimicrobianos no leite materno

A ameaça iminente de resistência aos antibióticos significa que precisamos desesperadamente de novos remédios. Um grupo de cientistas pode ter encontrado um deles na fonte de alimento mais natural de todos: o leite materno.

Os cientistas sabem há muito tempo que, além de ser uma fonte de alimento muito importante, o leite materno fornece aos bebés nutrientes vitais para construir e fortalecer os seus sistemas imunitários. Agora, descobriram um novo mecanismo por trás desse incremento anti-bacteriano nos açúcares do leite materno.

Ao contrário do entendimento geral de que as defesas anti-bacterianas são passadas de forma hereditária, sendo transmitida das mães para os bebés exclusivamente através das proteínas do leite materno, uma equipa da Universidade de Vanderbilt, nos EUA, afirma que os açúcares – ou hidratos de carbono – também demonstram propriedades que podem oferecer proteção contra infeções bacterianas.

“Este é o primeiro exemplo de atividade antimicrobiana generalizada com protagonismo dos hidratos de carbono no leite humano”, diz o químico Steven Townsend. “Uma das propriedades ​​é que são claramente não-tóxicos, ao contrário da maioria dos antibióticos”.

Os resultados preliminares foram publicados na revista científica Infectious Diseases.

Combater as bactérias

A infeção mais proeminente que afeta recém-nascidos é a Grupo B Streptococcus (GBS), que pode levar os bebés a desenvolver sepsia ou pneumonia antes dos seus sistemas imunitários serem suficientemente fortes para combater a bactéria.

Felizmente, embora a GBS possa ser mortal para os bebés, a maioria dos recém-nascidos não são infetados. A equipa de cientistas queria perceber se esses bebés poderiam obter mais proteção a partir do leite das mães.

“Queríamos saber se o hospedeiro comum [do GBS] – as mulheres grávidas – produz compostos que podem enfraquecer ou matar o estreptococo, que é a principal causa de infeção em recém-nascidos em todo o mundo”, explica Townsend.

Para conseguir a resposta, os investigadores retiraram hidratos de carbono de leite materno humano de cinco doadoras e açúcares complexos isolados a partir deles (chamados de oligossacarídeos), antes de os introduzir nas culturas de estreptococos em laboratório.

Ao analisar a interação sob o microscópio, a equipa descobriu que o hidrato de carbono poderia matar as bactérias e enfraquecer as suas defesas naturais, impedindo que estas formassem um biofilme protetor contra ameaças.

(dr) Steven Townsend / Vanderbilt University

Na imagem acima, esse biofilme pode ser visto à esquerda, mas é impedido de se formar na presença dos hidratos de carbono (à direita).

“Quando as bactérias querem prejudicar-nos, produzem esta substância protetora pegajosa”, explica Townsend, “permitindo-as enganar os nossos mecanismos de defesa”.

Estudos iniciais

Numa das amostras, os açúcares eliminaram por completo o estreptococo. Noutro, foram moderadamente eficazes a matar o estreptococo, enquanto nas três amostras restantes os hidratos de carbono não foram muito eficazes.

Para ajudar a explicar o que aconteceu, a equipa já iniciou outro conjunto de testes.

Em novas pesquisas ainda não publicadas, mas apresentadas esta semana num encontro da American Chemical Society, em Washington, o grupo voltou a encontrar resultados mistos.

Estes incluem dois casos em que os açúcares do leite materno quebraram o biofilme e mataram a bactéria; quatro em que o biofilme foi eliminado mas as bactérias sobreviveram e outros dois nos quais as bactérias morreram mas o biofilme persistiu.

A investigação está ainda no início, por isso, são necessárias mais pesquisas para perceber a dimensão destes resultados.

“Os açúcares seguem dois processos”, explica Townsend. “Primeiro, sensibilizam as bactérias e depois eliminam-as. Os biólogos costumam apelidar isso de ‘letalidade sintética’. Surge aqui um grande incentivo para que possamos desenvolver novos medicamentos antimicrobianos com esta capacidade”.

Além disso, a equipa diz que os dados preliminares indicam que os açúcares do leite materno podem tornar as bactérias mais suscetíveis a antibióticos comuns – como a penicilina e eritromicina.

“Se conseguirmos descobrir como os açúcares atuam, então será possível justificar a tentativa de recriá-los em grandes quantidades e depois introduzi-los em pessoas adultas”, conclui o investigador.

PARTILHAR

RESPONDER

Peru decreta estado de emergência na fronteira com a Colômbia

O Peru decretou na segunda-feira o estado de emergência por 60 dias na fronteira com a Colômbia, devido à presença de narcotraficantes e de dissidentes da antiga guerrilha das Forças Armadas Revolucionários da Colômbia. O Presidente …

CP acaba com o primeiro Alfa Pendular do dia (e reforça receios de colapso)

A partir de 5 de Agosto, deixa de haver o primeiro comboio Alfa Pendular do dia a realizar o percurso de Lisboa ao Porto. A CP - Comboios de Portugal vai acabar com esta ligação …

São feitos por dia quase 600 créditos para comprar carro

Vendem-se cada vez mais carros em Portugal. Só no mês de maio foram concedidos quase 290 milhões de euros e feitos mais de 20 mil contratos, segundo dados do Banco de Portugal. Os empréstimos para compra …

Transferência do Infarmed "ameaça saúde pública” em Portugal e no mundo

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Chamado, alertou esta terça-feira que uma deslocalização da instituição pode ser uma “ameaça à saúde pública” em Portugal e também no mundo. Ouvida na comissão parlamentar de Saúde, a …

Campanha oficial do Brexit multada por violar lei eleitoral

A campanha oficial para o voto a favor da saída do Reino Unido da União Europeia - Vote Leave - foi multada por violar a lei eleitoral, anunciou esta terça-feira a Comissão Eleitoral. Segundo revelou a …

Bitcoin ajudou a financiar ciberespionagem eleitoral da Rússia, acusam os EUA

A bitcoin terá ajudado a financiar o esquema de ciberespionagem nos Estados Unidos levado a cabo por 12 agentes russos durante as eleições presidenciais de 2016. Segundo um relatório, apresentado esta sexta-feira pelo vice-procurador-geral dos Estados …

Parlamento chumba fim do adicional ao imposto dos combustíveis

O Parlamento chumbou esta terça-feira, na especialidade, com os votos da esquerda, o projeto de lei do CDS que punha fim ao adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). PS, PCP e Bloco chumbaram o projeto …

UE e Japão assinam acordo de comércio livre contra protecionismo

A União Europeia e o Japão assinaram nesta terça-feira, em Tóquio, um acordo de comércio livre que o presidente do Conselho Europeu considerou ser uma "mensagem clara" contra o protecionismo. "Enviamos uma mensagem clara de que …

Alunos da secundária Pedro Nunes tiveram de pagar 10 euros para se matricularem

Os alunos da Escola Secundária Pedro Nunes tiveram de pagar 10 euros para se matricularem. A diretora do estabelecimento de ensino desconhecia a situação e já deu instruções para que o dinheiro seja devolvido. Os alunos …

Transplante de fígado do futebolista Eric Abidal foi legal

A Organização Nacional de Transplantes da Espanha concluiu que o transplante de fígado de doador vivo ao qual o ex-lateral-esquerdo Eric Abidal foi submetido "foi realizado de acordo com a lei" e com boas práticas. Em …