/

Cientistas do MIT sugerem que a vida pode prosperar nas nuvens de Vénus

2

Uma equipa de cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, acaba de publicar um novo estudo no qual sugerem que a vida pode prosperar nas nuvens de Vénus.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Tal como recorda o portal Futurism, citando a revista Air & Space, esta não é uma ideia propriamente nova: o cientistas norte-americano Carl Sagan levantou a mesma hipótese pela primeira vez há mais de 50 anos.

Agora, a cientista planetária Sara Seager e a sua equipa apresentam novos argumentos sobre a forma como estes micróbios podem sobreviver, dando força à especulação de que a vida pode ter persistido por milhões de anos no segundo planeta do Sistema Solar.

Segundo teorizaram os cientistas, os micróbios poderiam utilizar as nuvens de enxofre de Vénus, convertendo-as em compostos que protegem os organismos dos raios ultravioleta agressivos e de outros que tornam a realização da fotossíntese impossível.

Mas este não é o principal desafio. Tal como escreve o mesmo portal de Ciência, a grande dificuldade para estes hipotéticos corpos seria manter-se no ar: se os micróbios caíssem num nível mais baixo da atmosfera, seriam totalmente incinerados.

E é aqui que entre o novo estudo, cujos resultados foram recentemente publicados na revista científica especializada Astrobiology.

Apesar de admitir na publicação que as suas ideias são inteiramente especulativa, a cientista do MIT sugere que os micróbios poderiam circular para cima e para baixo como bolhas nas conhecidas lâmpadas de lava.

O novo estudo defende que os micróbios poderiam sobreviver nas camadas superiores da atmosfera, onde permaneceriam ativos e se reproduziriam rapidamente para manter os níveis populacionais. Quando caíssem em níveis inferiores, ficariam “dormentes”.

Alguns seriam totalmente incinerados, mas outros poderia ser impulsionados e carregados de volta para a camada superior à boleia de correntes ascendentes – voltando, desta forma, à vida ativa.

Sara Seager admite no seu estudo que estas são especulações, cenários hipotéticos.

PUBLICIDADE

Contudo, futuras missões ao planeta podem dar força – ou deitar totalmente por terra – a ideia de que Vénus pode abrigar ou ter abrigado formas de vida.

  ZAP //

2 Comments

  1. Especulações e cenários hipotéticos. Suponho que a vida seja relativamente abundante no universo, mas a verdade nua e crua é que, para além do nosso desejo, não temos evidência de que assim seja. Por outro lado, parece estranho que estejamos tão preocupados com a possibilidade de vida alienígena enquanto vamos destruindo a vida terrestre, que é a única que conhecemos. Enfim, coisas…

  2. Considero praticamente impossível a existência de vida fora do Planeta Terra. Se a vida foi criada por Deus, sabemos que Deus a criou neste planeta, nenhuma religião diz diferente disso. Se a vida resultou de um acaso das forças físicas e químicas, a probabilidade desse acaso acontecer duas vezes deve ser praticamente igual a zero. Mais difícil do que acertar no número completo da lotaria dez vezes seguidas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.