Cientistas avisam: Humanidade tem 3 anos para salvar a Terra da destruição

O mundo tem apenas três anos para reduzir significativamente as suas emissões de gases do efeito estufa ou as mudanças climáticas vão afetar perigosamente a Humanidade. Aviso de um grupo de 60 cientistas e outras personalidades, numa carta publicada pela renomada revista científica Nature.

No comunicado, o grupo de cientistas aponta que a taxa do nível do mar subiu 50% nos últimos 25 anos, ao passo que os últimos três anos foram os mais quentes desde que se iniciaram os registos das temperaturas pelo mundo, o que significa que governos, empresas e cidadãos precisam de refletir sobre as mudanças climáticas.

“Se as emissões continuarem a subir até 2020, ou mesmo se mantenham nos mesmos níveis, os objetivos de temperatura estabelecidos no Acordo de Paris serão inatingíveis”, explicam os cientistas, que citam um relatório publicado em abril de 2016.

“Reduzir as emissões a nível mundial é uma tarefa monumental, mas a investigação nos diz que é necessário, desejável e alcançável”, acrescentam.

Uma das consequências mais claras do aquecimento global são notadas na Gronelândia e na Antárctida, que estão a perder as suas camadas de gelo muito rapidamente, ao passo que o gelo também está a desaparecer no Ártico e os recifes de corais “estão a morrer por causa do calor”.

Ecossistemas inteiros começam a ser destruídos. Os impactos sociais das alterações climáticas, secas e elevação dos mares são inexoráveis, e afetam primeiro os mais pobres e os mais fracos”, lamentam os cientistas. A subida das temperaturas ameaça alterar ecossistemas de uma maneira não vista há pelo menos dez mil anos”.

Foi essa perspectiva que fez o Acordo de Paris definir os limites de emissões de carbono, a fim de evitar que o limite anual de aumento fixado em 1,5ºC não seja ultrapassado. E para permitir que as emissões não voltem a subir, enquanto a economia mundial tenha tempo para se adaptar, os cientistas sugerem algumas medidas:

  1. Aumentar a energia renovável para 30% do consumo de eletricidade;
  2. Projetos e planos para cidades e estados abandonarem os combustíveis fósseis até 2050, com um financiamento de 300 mil milhões de dólares anuais;
  3. Certificar-se que 15% de todos os novos veículos vendidos no mundo são elétricos;
  4. Reduzir as emissões líquidas provenientes do desmatamento;
  5. Reduzir pela metade as emissões de carbono da indústria pesada até 2050;
  6. Incentivar os governos e bancos privados para emitir mais “títulos verdes” para financiar os esforços de mitigação climática.

A carta foi assinada por 60 cientistas, políticos, empresários e ativistas, incluindo o ex-presidente do México, Felipe Calderón, a ex-presidente irlandesa, Mary Robinson, e o CEO da Unilever, Paul Polman.

“Haverá sempre aqueles que vão esconder as suas cabeças na areia e ignorar os riscos globais das mudanças climáticas. Mas há muitos mais de nós que estão comprometidos a superar essa inércia. Vamos ser otimistas e agir com ousadia”, concluem os autores.

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

    • Quais 3 anos: meia-hora! A sério, ainda não perceberam que que as “alterações climáticas” como no tempo do obama já lhes tinham passado a chamar (e não “aquecimento”, como cá) só são visiveis aqui e acolá porque são implementadas por uma indústria (de guerra) de manipulações climáticas, que tem meios infindos para o fazer, nos locais onde lhe apetecer, que p.ex. com secas intermináveis localizadas se pode empurrar populações inteiras africanas na direção da europa rica e que esta m3rd@ de culpar os cidadãos e afins por tudo isso, é o cúmulo do cinismo (e da esperteza)?! A quantidade de biliões que têm sido dados pelos estados (usa etc) para “investigadores” que cantem em coro esta mesma cantiga, senão não há dinherinho? E que os meios de comunicação nunca hão-de salvar nada mas sim fazer-nos aceitar todo o género de perda de regalias em troca de “salvar o planeta”, enquanto os promotores (ultra-ricos) de todo este circo global se rebolam a rir de nós, a começar pelo Al Gore que gosta de mansões à beira-de-água? Que cara farão v. exas se as temperaturas em vez de subirem forem por aí abaixo (em média! contem os dias frios!!) ? E se o mar em vez de subir e alagar tudo, nunca passar dos limites anteriores? Continuam a rezar por este terço? Daqui a 1,2,3 anos? Nunca mudam porque o telejornal e o DiCaprio mandam? Pode acontecer é que as provocações dos usa consigam levar entretanto à desgraça global com uma guerra de redução populacional, que isto de crescimento populacional destravado não pode continuar… para sempre. É simples matemática. Assim não vale, arrefece e dirão que foi “inverno nuclear”! Batoteiros.
      Isto não invalida nada que tenha a ver com menos plásticos e desperdício, claro, se houver vida normal.
      Agora é co2, grande papão, mas infinitesimal no conjunto geral das coisas do ar que estufam. Qual será a seguir?

  1. Lamento profundamente pertencer à primeira geração que podia salvar o futuro de si própria e que em vez disso permite hipotecar o futuro por alguns dólares em prol de meia dúzia de gananciosos.
    O nosso futuro (de toda a humanidade), não depende dos cientistas ou dos políticos, depende de todos nós, e nós temos o poder, apenas precisamos de o saber usar, e a única forma de o fazer é boicotar a compra de todos os produtos produzidos por empresas ou países que não respeitem o ambiente, nem a humanidade. Se cada um fizer o seu bocadinho, atacaremos de morte quem nos mata a lentamente, e quem não quer que sobre planeta para os nossos filhos.
    Travar AGORA a canalização desses dólares para esses senhores é praticar um ato que em vez de heroico é de dever, para deixar de herança aos nossos filhos o melhor bem que lhe poderemos deixar, um local BOM e SAUDÁVEL para viver e fundamentalmente continuar existir sem guerras ou disputas pelos escaços recursos que sobrarem.

  2. É preciso ser-se muito presunçoso para pensar que nós podemos alterar o clima da terra ou o nível dos mares… talvez num futuro distante! Neste momento a terra está a passar pro um processo pelo qual já passou antes. Deixemos de ser criancinhas subjugadas por uns bichos papões. O acordo de Paris era mais sobre distribuição de dinheiro do que nível de emissões. A história do Fake News não é que as notícias sejam própriamente falsas, mas porque tentam criar uma narrativa falsa apartir de dados maquilhados e e alguns nomes sonantes associados…

    • Mais um com os olhos bem abertos!
      Assim como há 60 cientistas que “avisam que a humanidade tem 3 anos para salvar o planeta”, também há os cientistas que, com as suas pesquisas, também chegaram à conclusão que estas alterações climáticas não são provocadas pelo homem. Mas isso já vai contra a falsa narrativa que refere.

    • Esta é gente muito esperta que acredita no que os 3% de cientistas dizem. Sim faz todo o sentido pensar assim…

      E já agora, aposto que o chama de “notícias falsas” são exactamente aquelas notícias com que não concorda.

      Presunçoso ? Sabe o que é presunçoso ? É existirem verdades científicas que apontam para um lado e, pessoas como você, ainda terem a lata de dizer que estão errados. Isso sim é presunção, o resto é ciência.

  3. A presunção está nos olhos de quem não quer ver…
    Não é a primeira vez que a humanidade quase que destrói toda a vida na terra. Já aconteceu no passado.
    Mas pela primeira vez temos mesmo a possibilidade de alterar as coisa, infelizmente a ganância está ganhar!

  4. Possa, santa ignorância… NINGU;EM vai verificar nada, incrível… tudo a ser enganado por etses imbecis armados em cientistas qd apenas tentam salvar o coiro ao verem que afinal as coisas nem são tão controláveis por nós. Raio de mania imbecil de achármos que somos alguma coisa neste planeta que se está a borrifar para nós! Gente estúpida até ao osso!

  5. Se pararmos as fabricas, estaremos condenando 80% da população por fome, não teremos da forma tradicional alimentar toda a humanidade, pra isso teriamos que repartir as terras do mundo e voltarmos a um modelo familiar de auto sustento, os altos custos de impostos impossibilitam investimento, tudo que produzimos vai para pequenos grupos e acabamos escravos do poder, a corrupção e o famoso se dar bem levam a um buraco negro do qual nu ca conseguimos sair…

RESPONDER

Zorya Luhansk 0-2 Braga | “Nota artística” em triunfo minhoto

Dois jogos, duas vitórias para o Sporting de Braga no Grupo G da Liga Europa. Uma entrada de rompante em jogo, com dois golos espectaculares nos primeiros 11 minutos, permitiram aos “arsenalistas” controlar e lidar …

Amostra de ADN desvenda homicídio cometido há quatro décadas

Uma amostra de ADN, colhida de um norte-americano da Carolina do Sul após este ser detido por apontar uma arma, permitiu às autoridades desvendar um caso antigo, identificando-o como principal suspeito do homicídio de uma …

Investigadores portugueses criam simuladores para treinar médicos à distância

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) desenvolveram, durante o confinamento, um método para os estudantes treinarem para cenários de emergência sem saírem de casa. Em declarações à Lusa, Carla Sá Couto, do …

Restam apenas dois rinocerontes brancos do norte (mas há uma esperança para salvar a espécie)

Com a morte do último macho em 2018, o rinoceronte branco do norte chegou ao ponto em que não pode ser salvo naturalmente. Com apenas duas fêmeas restantes, a subespécie é agora tida como oficialmente …

Há uma região na América do Norte sem qualquer caso de covid-19. Tem a dimensão do México

Nunavut, uma região localizada no norte do Canadá, continua sem registar nenhum caso de covid-19. A receita para o sucesso tem vários ingredientes, mas as caraterísticas especiais da região e as medidas rígidas tomadas logo …

Site da campanha de Trump foi alvo de ataque. Hackers "fartaram-se das fake news"

O website oficial da campanha presidencial de Donald Trump foi alvo de um ataque informático que o deixou temporariamente desfigurado na noite desta quarta-feira. Os hackers responsáveis substituíram o habitual conteúdo por uma mensagem normalmente utilizada …

CV30. O poderoso anticorpo descoberto por cientistas que dá luta ao novo coronavírus

Investigadores do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos Estados Unidos, descobriram um potente anticorpo, encontrado no sangue de um recuperado de covid-19, que interfere com a superfície espinhosa do novo coronavírus, fazendo com que partes …

Igreja flutuante "nasceu" num canal de Londres

A Denizen Works recentemente concluiu uma igreja flutuante pouco ortodoxa em Londres, no Reino Unido. O projeto tem um novo teto que pode ser baixado ou levantado conforme as necessidades. Batizado de Génesis em homenagem ao …

Compostos de alga vermelha da costa de Peniche eficazes no tratamento do cancro

A alga vermelha “Sphaerococcus coronopifolius” da costa de Peniche possui compostos com atividade antitumoral que podem contribuir para o desenvolvimento de novos fármacos ou potenciar o efeito de fármacos de combate ao cancro já existentes, …

Surto de covid-19 em Vila Flor. Festa de aniversário de autarca gera polémica

A festa organizada por funcionários da Câmara de Vila Flor, no distrito de Bragança, para celebrar o aniversário do seu presidente, está a dar que falar. O município já conta com cerca de 70 infetados. De …