Descoberta prova surpreendente de que os dinossauros tinham penas

Royal Saskatchewan Museum / Facebook

A cauda de dinossauro preservada em âmbar

A cauda de dinossauro preservada em âmbar

Durante uma visita a um mercado de Myitkyina, em Mianmar, o cientista Lida Xing descobriu a cauda de um dinossauro preservada em âmbar que contém ossos, penas e sangue do animal.

O vendedor local pensava que o objeto, vendido para se tornar parte de uma joia ou ornamento, era uma simples planta fossilizada.

“Estudo paleontologia há mais de 10 anos e estou interessado em dinossauros há mais de 30 anos, mas nunca esperei que pudéssemos encontrar um dinossauro em âmbar”, afirmou Lida Xing, investigador da Universidade de Geociências da China.

Segundo o estudo, divulgado na revista Current Biology, a cauda tinha uma coloração castanha e pertenceu a um dinossauro que viveu há mais de 99 milhões de anos.

“Esta é a primeira vez que encontramos material de dinossauro preservado em âmbar”, disse o co-autor do estudo Ryan McKellar, do Royal Saskatchewan Museum no Canadá, à BBC.

Análises feitas em laboratório indicam que a cauda pertenceu a um animal do grupo dos Coelurosauria, um dinossauro carnívoro com formato semelhante ao de uma galinha, mas de comportamento predatório e com até 3 metros de comprimento.

Inicialmente, os cientistas não tinham a certeza se a cauda pertencia mesmo a um dinossauro, ou a um pássaro que viveu durante o período do Cetáceo. No entanto, o exame da anatomia da cauda mostrou que pertencia definitivamente a um dinossauro emplumado.

“A certeza de que se trata de um dinossauro, e não um pássaro pré-histórico, é que as vértebras não estão fundidas. Em vez disso, a cauda é longa e flexível, com penas a descer pelos dois lados”, explicou o investigador.

As análises sugerem que o animal ficou preso na resina enquanto ainda estava vivo e morreu dentro do âmbar – esta teoria é sustentada pelo facto de terem sido encontrados fluidos corporais no interior do fóssil.

Royal Saskatchewan Museum / Facebook

A plumagem na base da cauda do dinossauro

A plumagem na base da cauda do dinossauro

Os investigadores esperam encontrar mais peças como esta no futuro, visto que “as peças de âmbar preservam detalhes microscópicos e tecidos que são difíceis de estudar em outros ambientes”.

De acordo com McKellar, “esta é uma nova fonte de informação que vale a pena analisar com intensidade e proteger como um recurso fóssil”.

O âmbar é uma resina fossilizada de árvores que costuma preservar alguns artefactos. No filme “Jurassic Park“, de 1993, os cientistas conseguiram clonar e reproduzir dinossauros em laboratório através do fóssil de um mosquito preservado em âmbar.

“Infelizmente, a resposta do “Jurassic Park” ainda é um não! Mantém-se firmemente no reino da ficção científica”, adiantou Ryan McKellar.

Apesar de os cientistas garantirem que criar dinossauros a partir de um fóssil em âmbar é uma coisa da ficção, esta nova descoberta pode ser importante para a recolha de novas informações acerca da existência desses animais pré-históricos.

BZR, ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Não vejo assim tanta diferença com os tempos atuais pois se agora por cá temos vacas voadoras acho que estamos mais avançados.

  2. Isto é desculpa para arqueólogos conseguirem financiamento de seus patrocinadores para visitar Mianmá, que como se sabe, tem prostitutas baratas que não exigem o uso da camisinha.

RESPONDER

Morreram os primeiros dois capacetes azuis vítimas da covid-19

Dois militares da força de manutenção da paz das Nações Unidas no Mali morreram devido à covid-19, os primeiros entre cerca de 100.000 soldados e polícias destacados em 15 missões no mundo. "Infelizmente, ontem [quinta-feira] e …

Asteróide que dizimou os dinossauros atingiu a Terra no "mais mortífero ângulo possível"

O asteróide que dizimou os asteróides e 75% de todas espécies à face da Terra há 65 milhões de anos atingiu a Terra no "mais mortífero ângulo possível", concluiu uma investigação do Imperial College de …

O Sol pode ser fruto de um acidente galáctico entre a Via Láctea e uma galáxia anã

Uma pequena galáxia, chamada Sagitário, moldou a Via Láctea há milhares de milhões de anos: cada vez que passou perto da nossa galáxia, causou fortes explosões de formação estelar que podem até ter originado o …

Se diplomacia falhar, China admite uso de força militar para controlar Taiwan

A China vai atacar Taiwan se não houver outra maneira de impedir que este Estado se torne independente, disse Li Zuocheng, um dos mais importantes generais do país, esta sexta-feira. Esta será uma opção de …

Encontrada canábis e incenso em templo bíblico de Israel. Foram usados em ritos religiosos antigos

A análise do material em dois altares da Idade do Ferro descobertos na entrada do santuário "santo dos santos" em Tel Arad, no vale de Beer-sheba, Israel, contém canábis e incenso. Escavações anteriores revelaram duas fortalezas …

Funerárias de Nova Iorque processadas por guardarem cadáveres em camiões

Devido ao elevado número de mortes causadas pela covid-19, as agências Andrew T. Cleckley, DeKalb e Armistead Burial armazenavam os corpos nos camiões frigoríficos até ser possível realizar os funerais. Três processos foram movidos por, pelo …

"Never again". Estudantes nos EUA vão aprender mais sobre o Holocausto

Estudantes norte-americanos vão passar a aprender mais coisas sobre o Holocausto, numa altura em que os Estados Unidos enfrentam níveis cada vez mais altos de antissemitismo. De acordo com a revista Newsweek, o Presidente norte-americano, Donald …

Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas

A Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas. Os estádios vão poder ter 25% da sua capacidade preenchida, anunciou o primeiro-ministro. De acordo com o jornal online Observador, a liga …

Recondicionados e "banhados a ouro". Irmão de Pablo Escobar vai vender iPhones 11 a 540 euros

A empresa de Robert Escobar, irmão do narcotraficante Pablo Escobar, está a vender iPhones 11 Pro recondicionados por 499 dólares (450 euros). Numa comunicação citada pelo portal Engadget, a Escobar Inc revela que está a vender …

É um polvo, chama-se Dumbo e mora a sete mil metros de profundidade (um novo recorde)

Um polvo foi fotografado no leito do Oceano Índico, a sete mil metros de profundidade. É um novo recorde. A descoberta de um polvo a 7 mil metros de profundidade, 6.957 metros mais especificamente, foi relatada …