Cidade japonesa vai pagar a jovens casais para viverem perto de pessoas idosas

6

A cidade japonesa de Chiba, na Grande Tóquio, quer atrair residentes mais jovens para contrariar o envelhecimento da sua população.

Chiba vai pagar uma quantia fixa aos casais mais jovens para se mudarem para complexos habitacionais onde vivem residentes idosos, num esforço para inverter o envelhecimento da população.

Segundo a VICE, a cidade vai oferecer, a partir de junho, até 300.000 ienes (2.200 euros, aproximadamente) aos recém-casados que se instalem nos edifícios. Um dos objetivos é que os jovens preencham as lacunas de emprego que se fazem sentir nesta área.

O Japão, o país com a população mais velha do mundo, tem vindo a lutar com uma sociedade em contração e uma taxa de natalidade em declínio desde os anos 70.

As autoridades receiam que, se este problema não for resolvido, a diminuição da mão-de-obra poderá exacerbar a escassez e abrandar o crescimento económico.

Áreas menos urbanas como a cidade de Chiba, que foi anteriormente apelidada de “cidade fantasma” do Japão, suportaram em grande parte o peso destas questões. Para sobreviver, os municípios devem encontrar soluções criativas para chamar a atenção dos jovens, que “fogem” para os grandes centros urbanos.

A cidade está rodeada pelo oceano, tem rios e grandes parques e os danchi (complexos habitacionais) onde os candidatos vão viver estão localizados perto de escolas, infantários e lojas, para que seja um local conveniente e útil para os que desejam constituir famílias.

  ZAP //

6 Comments

  1. Uma ótima idéia. Convidar os estrangeiros que adoram viajar, era outra solução e uma entre-ajuda, para criar é preciso inspiração. Convidem-me que eu parto já.

  2. Por cá em vez de encurralarem os velhotes em lares a fazer caretas uns aos outros, melhor seria auxiliarem no apoio familiar levando pessoas para junto deles não os afastando do seu ambiente!

    • Eu percebo o que quer dizer, mas infelizmente vi a minha mãe com imensas dificuldades em cuidar do meu avô, uma pessoa que precisava até de cuidados durante a noite. Ir a consultas constantes com ele, ir ao hospital com ele quando piorava, etc. Até ao falecimento do meu avô, a minha mãe apenas prejudicou o seu próprio trabalho, estava constantemente ausente para tratar do meu avô. Infelizmente o trabalho não é muito flexível nesse aspeto. Para cuidar de idosos nesta condição é necessário alguém que esteja disponível sempre ou que faça desse o seu trabalho, como um lar.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.