Ciclovias vão ligar municípios do Porto, Matosinhos e Gondomar

Os municípios do Porto, Matosinhos e Gondomar viram aprovadas, pelo Fundo Ambiental, as ligações por ciclovia de dois traçados que vão acrescentar cerca de 14 quilómetros à rede metropolitana, num investimento total de 2,7 milhões de euros.

Nesta sexta-feira, em Vila Real, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, referiu que a empreitada “Percursos Naturais do Parque Corgo” é um de quatro projetos apoiados pelo Fundo Ambiental.

Para além de Vila Real, os projetos em causa situam-se nos municípios de Olhão, São Pedro do Sul e Porto, representando um investimento de 5,2 milhões de euros, dos quais 3,6 são financiados pelo Fundo Ambiental.

Questionada pela Lusa, a Câmara do Porto indicou que em causa estão duas ciclovias: Porto-Rio Tinto (concelho de Gondomar) e Porto – São Mamede de Infesta (concelho de Matosinhos), cujo contrato foi assinado na passada semana.

Estes traçados resultam de duas candidaturas submetidas e aprovadas pelo Fundo Ambiental, no âmbito do aviso “Construção de Ciclovias no âmbito do Portugal Ciclável”, lançado em 2020.

Com uma extensão de oito quilómetros, e um investimento de 1,7 milhões de euros, a ciclovia Porto – São Mamede de Infesta vai permitir pedalar deste a Trindade até aos centros de São Mamede e de Matosinhos.

Neste caso, o Fundo Ambiental comparticipará com o montante de 750 mil euros, sendo o restante suportado pelos municípios do Porto (46%) e Matosinhos (54%) que ficará responsável pela ligação desta ciclovia ao Corredor Verde do Leça, que por sua vez que terá ligação à União das Freguesias de Matosinhos e Leça da Palmeira, junto ao Porto de Leixões.

Além da ciclovia entre a Trindade e Matosinhos, o Fundo Ambiental vai ainda comparticipar a extensão da ligação ciclável entre a Asprela e Baguim do Monte, com passagem por Rio Tinto, no concelho de Gondomar, que irá disponibilizar aproximadamente seis quilómetros para a deslocação em modos suaves.

Com um montante total aprovado de 970 mil euros, esta ligação será financiada pelo Estado em 728 mil euros, sendo o restante divido pelos municípios do Porto (70%) e de Gondomar (30%).

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE