/

Chuva caiu pela primeira vez na Gronelândia — para surpresa dos climatólogos

2

Fenómeno aconteceu durante três dias em que as temperaturas excederam em 18.ºC os valores habitualmente registados nesta época do ano.

É um registo histórico. Pela primeira vez, registou-se precipitação ponto mais alto da Gronelândia (cerca de 3.216 metros de altura), onde as temperaturas costumam situar-se muito a baixo do ponto de congelação da água. O fenómeno é encarado pelos especialistas em climatologia como mais uma consequência das alterações climáticas e subsequente aquecimento do planeta.

Cientistas na estação da Fundação Nacional da Ciência norte-americana observaram o fenómeno a 14 de agosto, mas face à imprevisibilidade do mesmo não estavam munidos de medidores que contabilizassem a quantidade de água que caiu. Posteriormente, afirmaram que em todo o território caiu o equivalente a 7 mil milhões de toneladas de água.

Segundo o The Guardian, a chuva caiu durante três dias excecionalmente quentes na Gronelândia — com os termómetros a passarem em 18.ºC a média habitual. Como consequência, foram detetados casos de degelo em muitos pontos do território, que corresponde a quatro vezes o tamanho do Reino Unido.

Em maio, um grupo de investigadores alertaram para o facto de uma parte significativa da Gronelândia estar à beira de um ponto de rutura, a partir do qual o degelo acelerado seria inevitável mesmo que o aquecimento global fosse travado.

À CNN, Ted Scambos, cientista do National Snow and Ice Data Center, na Universidade do Colorado, e um dos que assistiu ao fenómeno, afirmou que “o que se está a passar não é o resultado de uma ou duas décadas mais quentes num padrão climático instável”. “Isto é algo sem precedentes. Estamos a ultrapassar linhas que não víamos há milénios e, sinceramente, nada vai mudar até mudarmos o que estamos a fazer ao ar.”

Em julho, a Gronelândia já foi palco de um grande episódio de degelo, o que faz de 2021 um dos quatro anos no último século a registar níveis tão elevados deste fenómeno. Os outros anos foram 2019, 2021 e 1995. O episódio de chuva e de degelo deste ano foram os que aconteceram numa fase mais avançada do calendário desde que há registos.

Caso os glaciares da Gronelândia derretessem o nível das águas do mar subiria cerca de seis metros, apesar de os cientistas preverem que tal fenómeno demoraria séculos ou milénios a acontecer.

  ARM, ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE