Chuchar no dedo e roer as unhas protege as crianças contra alergias

sean dreilinger / Flickr

-

As crianças que chucham no dedo ou que roem as unhas têm menos probabilidades de desenvolver alergias. É o que conclui um novo estudo científico realizado na Nova Zelândia.

A investigação publicada na Pediatrics apurou que os hábitos de roer as unhas e de chuchar os dedos nas crianças podem ajudar o sistema imunitário a criar defesas, evitando assim o aparecimento de alergias.

“A exposição a organismos microbianos influencia o nosso sistema imunitário e torna-nos menos susceptíveis de desenvolver alergias”, salienta um dos autores do estudo, o professor Robert Hancox, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, em declarações ao Live Science.

“Muitos pais desencorajam estes hábitos e não temos provas suficientes para mudar isto. Certamente que não recomendamos encorajar morder as unhas ou chuchar no dedo, mas se uma criança tem um destes hábitos, talvez sirva de alguma consolação o conhecimento de que pode reduzir o risco de alergias“, diz ainda o investigador.

O estudo avaliou dados de mais de mil crianças nascidas na Nova Zelândia, em 1972 e em 1973, bem como as informações fornecidas pelos respectivos pais quanto aos seus hábitos de chuchar os dedos ou morder as unhas quando tinham 5, 7, 9 e 11 anos de idade.

As crianças foram testadas para saber se sofriam de alergias quando tinham 13 anos de idade. E os resultados revelaram que 38% das que chuchavam o dedo ou mordiam as unhas apresentaram pelo menos uma alergia, contra 49% das que não tinham estes hábitos.

O estudo apurou que as que chuchavam o dedo e mordiam as unhas em simultâneo, apresentaram ainda menos probabilidades de sofrer de alergias aos 13 anos, em comparação com as que tinham apenas um destes hábitos.

O estudo levou em consideração outros factores que podem potenciar alergias, como a hereditariedade, ter animais de estimação e pais fumadores, mas a associação verificada manteve-se idêntica.

Esta pesquisa vem ao encontro de uma outra, publicada no mesmo jornal em 2013, e que revelou que as crianças cujas mães limpam as chupetas dos filhos na própria boca têm menos riscos de desenvolver alergias.

“Embora o mecanismo e a idade da exposição [a agentes patogénicos] sejam diferentes, ambos os estudos sugerem que a resposta imune e o risco de alergias podem ser influenciados pela exposição a bactérias orais ou a outros micróbios”, salienta-se no estudo agora divulgado.

Estas ideias vêm também ao encontro das considerações feitas por diversos cientistas sobre o facto de os ambientes mais higienizados, com menos germes e sujidade, tornarem as crianças mais susceptíveis a alergias.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …