UE “jamais” aceitará o acordo de dois estados no Chipre, diz Von der Leyen

Stephanie Lecocq / AFP

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse na quinta-feira que o bloco comunitário “jamais” aceitará um acordo de dois estados no Chipre, país dividido por etnias desde a invasão turca de 1974.

“Quero repetir que nunca, jamais, aceitaremos uma solução de dois estados. Estamos firmes e muito unidos”, disse a responsável durante uma conferência de imprensa, fazendo referência ao conflito que se arrasta há décadas e que é um obstáculo nas ambições da Turquia de ingressar na União Europeia (UE), noticiou a agência Reuters.

O Chipre foi dividido durante uma invasão turca, em 1974, desencadeada por um golpe de inspiração grega. O sul é governado por um governo reconhecido internacionalmente, que representa toda a ilha na UE, enquanto o norte é um estado cipriota turco independente, reconhecido apenas por Ancara.

O atual impasse está mergulhado em desacordos sobre uma possível unificação: por um lado uma união de dois estados independentes, defendida por uma nova liderança cipriota turca; por outro, uma federação defendida por cipriotas gregos, representando Chipre internacionalmente.

Os conflitos incluem ainda reivindicações sobre as reservas de energia ‘offshore’, uma disputa entre a Turquia e a Grécia, um importante aliado dos cipriotas gregos.

“Os nossos vizinhos têm interesse em boas relações bilaterais. Se for este o caso, e também temos interesse em boas relações bilaterais, quero que saibam que se falarem com um dos nossos Estados-Membros, como por exemplo Chipre, qualquer que seja o tom, [é como se] falassem com a” UE, sublinhou Von der Leyen.

  Taísa Pagno //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE