China vai ser o centro mundial de venda de ouro

bullionvault / Flickr

-

O maior consumidor de ouro do mundo, a China, vai ser o centro mundial que determina o seu preço. Esta previsão foi feita por peritos russos, após à abertura, no passado dia 18, da bolsa de valores de ouro de Shangai, que terá acesso directo a 40 comerciantes internacionais.

Os comerciantes internacionais de ouro têm acesso a três tipos de contrato na Bolsa de Ouro de Shangai, para a aquisição de lingotes de ouro com uma pureza de 99,9% e com o peso de 100 gramas, 1 e 12,5 quilogramas.

Anteriormente, o mercado de ouro da China estava acessível apenas a um reduzido número de residentes da China, através de “filhas” chinesas. Actualmente, o acesso é garantido a 40 membros internacionais registados na bolsa de valores.

Na mira da nova Bolsa de Shangai estão bancos internacionais de investimento importantes como a Goldman Sachs, o UBS, o HSBC, o Australia & New Zealand Banking Group ou a Standard Chartered PLC.

Refira-se que a HSBC, a par do Deutsche Bank, Société Générale, Scotia Mocatta e Barclays Capital, fazem parte do “quinteto de ouroque determina o preço financeiro do ouro. Este é determinado no mercado interbancário de ouro de Londres.

hto2008 / Flicke

-

A abertura, pela China, do seu próprio mercado de ouro para investidores estrangeiros fará coincidir o epicentro do consumo do ouro com o da formação do seu preço.

Segundo o especialista financeiro Serguei Khestanov, citado pela RVR, “há muito que a China se tornou num dos maiores produtores e utilizadores de ouro. O centro de consumo de ouro transferiu-se para o sudeste asiático. Contudo, o local de formação do preço do ouro continua a ser em Londres, onde os cinco maiores comerciantes de ouro praticamente determinam o preço mundial”.

Essa contradição levou as autoridades chinesas a liberalizar a venda do ouro, uma medida bastante coincidente com a tendência actual das autoridades chinesas de liberalização da esfera financeira.

Até há pouco tempo, o mercado de ouro chinês estava relativamente limitado, razão pela qual os preços na China e em Londres divergiram, até recentemente, em 30 a 40 dólares por onça.

Shangai concorre agora para o lugar de praça que determinará o preço do ouro para toda a Ásia.

Os contratos de ouro em yuan já são negociados na bolsa de Hong-Kong. Mas a bolsa de ouro de Shangai será o maior mercado da China.

investingingold / Flickr

-

Segundo o especialista Yakov Berger, “Shangai será o centro mundial de comércio de ouro e de divisa, a par de Londres e Nova York. Trata-se de uma política dirigida, que transformará Shangai no centro financeiro mundial”.

De acordo com Berger, “o país tem uma enorme reserva de ouro. A participação de grandes reservas de ouro no jogo da bolsa define também a política mundial, os preços a nível mundial nesse sector. Por isso é que a China usa o ouro para reforçar a sua posição financeira”

“A introdução na Bolsa de Shangai das maiores empresas mundiais que trabalham com ouro, transforma a China, de forma orientada, mais forte jogador do sector”, diz Berger, “e prepara o terreno, aos poucos, para a conversão do yuan em divisa de reserva financeira”.

ZAP / RVR

PARTILHAR

RESPONDER

Cadetes da Escola Naval investigados por alegados comportamentos abusivos

A Marinha está a investigar uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos entre cadetes da Escola Naval. "A Marinha informa que hoje, 19 de outubro, teve conhecimento de uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos praticados entre cadetes …

Índia. "Montanha de lixo" que garante sobrevivência de pobres será substituída por estação de tratamento

As "montanhas de lixo" das cidades da Índia em breve serão substituídas por estações de tratamento de detritos. A maior de todas — equivalente a um prédio de 18 andares — garante a sobrevivência de …

Candidatura de Nuno Melo acusa direção de não facultar cadernos eleitorais e de sanear senadores

A candidatura de Nuno Melo à liderança do CDS-PP acusou, esta quarta-feira, os opositores de não facultarem os cadernos eleitorais nem possibilitarem a fiscalização da eleição de delegados ao congresso, apontando também a substituição de …

Bolsonaro acusado de nove crimes pela comissão de inquérito sobre gestão da pandemia

O relatório apresentado, esta quarta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro pede o indiciamento do Presidente por nove crimes durante a pandemia de covid-19. No texto, com mais de 1200 páginas, pede-se que …

Duas vendedoras num mercado japonês

Da noite para o dia, Japão tornou-se uma história "covidiana" de sucesso

Em meados de agosto, o Japão atingiu o pico de 6.000 casos diários de covid-19. Quase do dia para a noite, o país asiático observou, espantosa e inesperadamente, uma queda acentuada no número de infeções. …

Marcelo promulga diploma sobre preços dos combustíveis, mas diz que é insuficiente

O Presidente da República promulgou, esta quarta-feira, o diploma que permite ao Governo limitar os preços dos combustíveis, mas aponta questões por resolver. Numa nota colocada no portal da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa …

Médica que deu alta a criança que morreu em Évora acusada de negligência

O Ministério Público (MP) acusou de homicídio por negligência uma médica do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) que, em 2019, deu alta a uma criança de 20 meses que acabou por morrer poucas …

A escritora Paulina Chiziane

Escritora moçambicana Paulina Chiziane vence Prémio Camões

A escritora moçambicana Paulina Chiziane é a vencedora do Prémio Camões 2021, numa escolha feita por unanimidade, anunciou a ministra da Cultura, esta quarta-feira. "No seguimento da reunião do júri da 33.ª edição do Prémio Camões, …

Costa promete apresentar medidas para conter preço dos combustíveis esta semana

O primeiro-ministro garantiu, esta quarta-feira, que o Governo vai apresentar até ao final da semana um conjunto de medidas para enfrentar a crise dos combustíveis. Num debate na Assembleia da República sobre a reunião do Conselho …

Fesap junta-se à Frente Comum e anuncia greve para 12 de novembro

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), da UGT, anunciou, esta quarta-feira, que vai avançar para a greve no dia 12 de novembro, fazendo coincidir o protesto com a paralisação nacional já marcada pela …