China vai levar insetos e plantas à superfície da Lua este ano

NASA

A face oculta da Lua: foto obtida em 1968 pela missão Apollo 8

Não seria considerado um exagero, a esta altura, dizer que vivemos numa era de exploração espacial renovada.

A Lua, em particular, tornou-se o foco de atenção nos mais recentes anos. Além da recente ordem de Trump para a NASA voltar a focar-se na Lua, muitas outras agências espaciais e companhias privadas aeroespaciais estão a planear as suas próprias missões à superfície lunar.

Um bom exemplo disso é o Programa de Exploração Lunar Chinês (CLEP), também conhecido como Chang’e Program.

Nomeado em homenagem à antiga deusa lunar da China, este programa já enviou duas naves orbitais e um módulo de aterragem. E mas tarde, ainda este ano, a missão Chang’e 4 começará a partir para o outro lado da Lua, onde vai estudar a geologia local e testar os efeitos da gravidade lunar em insetos e plantas.

A missão vai consistir no lançamento de uma nave orbital de retransmissão a bordo de um foguete Long March 5 em junho de 2018. A retransmissão assume uma órbita à volta do ponto Lagrange L2 Terra-Lua, seguido do laçamento do módulo de aterragem cerca de seis meses depois.

Além de um conjunto avançado de instrumentos para estudar a superfície lunar, o módulo de aterragem também vai carregar um recipiente de alumínio cheio de sementes e insetos.

O designer do recipiente, Zhang Yuanxun, explicou ao China Daily que a “embalagem vai enviar batatas, sementes de arabdopsis – uma flor da Ásia e da Europa – e ovos de bicho-da-seda para a superfície lunar. Os ovos também vão chocar bichos-da-seda capazes de produzir dióxido de carbono, enquanto que as batatas e sementes emitem oxigénio através da fotossíntese. Juntos, conseguem formar um ecossistema simples na Lua”.

Esta também será a primeira vez que uma missão é enviada para uma região inexplorada no lado oculto da Lua.

Esta região não é outra senão a Bacia do Pólo Sul-Aitken, uma vasta região de impacto no hemisfério sul. Com aproximadamente 2500 quilómetros de diâmetro e 13 km de profundidade, é a maior bacia de impacto da Lua e uma das maiores do Sistema Solar.

Esta bacia é também uma fonte de grande interesse para os cientistas, e não é apenas por causa do seu tamanho.

Em anos recentes, foi descoberto que a região contém água gelada. Os cientistas acreditam que se trata do resultado do impacto de meteoros e asteróides que deixaram água gelada que sobreviveu graças ao facto da região estar permanentemente debaixo de sombra.

Sem luz solar direta, a água gelada naquelas crateras não foi sujeita a sublimação e dissociação química.

Graças à descoberta de água no estado líquido a comunidade de exploração espacial definiu que aquele será o melhor local para estabelecer uma base lunar. A este respeito, a missão Chang’E 4 está a investigar a possibilidade de os humanos viverem e trabalharem na Lua.

Além de nos dizer mais sobre o terreno local, também responderia à questão se organismos extraterrestres conseguiriam crescer e prosperar na gravidade lunar – que é cerca de 16% da da Terra.

Os futuros resultados da missão Chang’E 4 podem abrir a porta a que outras agências espaciais (como a NASA, ou a ESA – que já falaram nessa possibilidade) enviem para lá robôs e até materiais de construção ainda este ano.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. A notícia dá a entender que a Bacia do Pólo Sul-Aitken tem 13 mil quilómetros de profundidade quando na realidade são 13 quilómetros.

RESPONDER

Conquistadores espanhóis usaram técnicas indígenas para construir as suas armas

Um novo estudo concluiu que os invasores espanhóis foram obrigados a aprender com os indígenas da Mesoamérica sobre a produção de cobre. Descobertas arqueológicas em El Manchón, no México, apoiam a ideia de que invasores espanhóis, desesperados …

Açambarcamento de medicamentos por Portugal? "É um total absurdo", diz Infarmed

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde reagiu à acusação feita por uma organização belga, que dizia que Portugal está a fazer um armazenamento excessivo de medicamentos essenciais para o tratamento …

Descoberto âmbar com 40 milhões de anos com duas moscas a acasalar

Há 40 milhões de anos, no supercontinente Gonduana, duas moscas que se encontravam a acasalar viram-se, inesperadamente, numa situação complicada. De alguma forma, este par de moscas de pernas longas (Dolichopodidae) ficou preso na seiva pegajosa …

40 marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle com sintomas de covid-19

Quarenta marinheiros do porta-aviões francês Charles de Gaulle apresentaram recentemente "sintomas compatíveis" com os da infeção pelo novo coronavírus e estão sob "observação médica reforçada", anunciou o Ministério da Defesa. "A partir de hoje, uma equipa …

Medidas para as prisões, apoios às empresas, suspensão de tarifas. Parlamento discute mais de 100 iniciativas

Medidas excecionais para prisões e banca, mais apoios às empresas ou à cultura ou a suspensão de propinas e das tarifas de gás e luz são alguns dos temas que vão passar esta quarta-feira pelo …

Trump tem "interesse financeiro" em farmacêutica que produz hidroxicloroquina (a sua "cura" para a Covid-19)

Donald Trump falou da hidroxicloroquina como uma potencial "cura milagrosa" para a Covid-19, apesar das recomendações contrárias de especialistas e da falta de estudos científicos válidos que confirmem os benefícios da substância. O The New …

Restos de bombas atómicas revelam longa vida dos tubarões-baleia

Cientistas estão a determinar a esperança de vida do maior peixe dos oceanos com a ajuda de testes de bombas atómicas realizados durante a Guerra Fria, entre os anos 50 e 60. Em perigo de extinção, …

Telescópio russo apanha o despertar de um buraco negro

O telescópio russo ART-XC do observatório espacial Spektr-RG detetou uma fonte brilhante de raios-X no centro da Via Láctea, que acabou por revelar ser o "despertar" do buraco negro 4U 1755-338. A descoberta ocorreu no passado …

O cometa interestelar 2I/Borisov partiu-se em dois

O cometa interestelar 2I/Borisov, o primeiro do seu tipo a ser descoberto em agosto do ano passado, começou a dividir-se em duas partes na semana passada. As imagens contínuas do telescópio espacial Hubble do objeto interestelar …

Estudo estima 471 mortes em Portugal até agosto (e que o pico foi atingido a 3 de abril)

De acordo com as estimativas do estudo, cerca de 151.680 pessoas vão morrer na Europa durante a "primeira vaga" da doença. Um estudo divulgado esta terça-feira nos Estados Unidos estima que a covid-19 venha a provocar …