“Comentários irresponsáveis”. China nega acusações da NASA de que se quer “apoderar” da Lua

A China acusa os Estados Unidos de liderarem uma campanha que pretende manchar e lançar dúvidas sobre o programa espacial chinês.

A China já respondeu às acusações da NASA de que está a tentar “apoderar-se” da Lua e que o seu programa de exploração espacial é, na verdade, um programa militar.

Em causa estão as declarações de Bill Nelson, administrador da NASA, ao jornal alemão Bild. “Temos de nos preocupar quando a China chegar à Lua e disser ‘isto é nosso agora e vocês ficam de fora'”, afirmou Nelson.

O responsável da agência americana também acusou os chineses de estarem a “aprender a destruir os satélites dos outros” e de terem um bom programa espacial porque roubam “ideias e tecnologia dos outros”, lembra a Reuters.

Nos últimos anos, a China tem aumentado o ritmo e os investimentos no seu programa espacial, tendo um interesse especial na Lua. O país fez a sua primeira alunagem (sem tripulação) em 2013 e espera conseguir enviar astronautas até ao satélite natural da Terra até ao final desta década.

“Esta não é a primeira vez que o líder da NASA tem ignorado os factos e falado irresponsavelmente sobre a China. O lado dos EUA tem constantemente construído uma campanha para manchar os esforços normais e razoáveis da China no espaço e a CHina opõe-se fortemente a comentários tão irresponsáveis“, respondeu Zhao Lijian, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

Lijian acrescenta que a China tem sempre promovido a construção de um futuro partilhado para a Humanidade no espaço e que se opõe aos conflitos ou ao uso de quaisquer armas na corrida espacial.

Para o regresso à Lua, a NASA está a desenvolver o programa Artemis em colaboração com a ESA, a agência espacial europeia, com o objetivo de alunar no polo sul do satélite em 2025.

A Artemis 1 será a primeira missão, não tripulada, agendada para agosto deste ano, com o lançamento do foguete Orion. A nave ficará aproximadamente três semanas no Espaço, incluindo seis dias em órbita retrógrada da Lua.

Segue-se a missão Artemis 2, que será tripulada, e está marcada para maio de 2024, sendo que vai fazer uma passagem pela Lua e depois regressar à Terra. Será a primeira nave tripulada a deixar a órbita baixa da Terra desde a Apollo 17 em 1972.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.