Geólogos preveem destruição total do Japão por supervulcão

Uma equipa de geólogos encontrou, junto ao litoral japonês, um supervulcão com cerca de 34 km³ de magma. Em caso de erupção, o vulcão poderia matar 100 milhões de pessoas.

Uma equipa de cientistas da Universidade de Kobe, no Japão, está a estudar a caldeira Kikai, uma cratera vulcânica cuja última erupção, que aconteceu há 7 mil anos, eliminou toda a civilização no sul do Japão.

No decurso da pesquisa, que foi publicada a semana passada na revista Scientific Reports, os investigadores descobriram que no interior do vulcão há uma cúpula com um raio de 10 quilómetros e uma altitude de 600 metros.

Além disso, depois de examinar a superfície do leito marítimo da local, os geólogos concluíram que o tamanho da cúpula está a aumentar.

(dr) Kobe University

No interior do Kikai há uma cúpula de magma com um raio de 10 quilómetros e uma altitude de 600 metros

Esta conjugação de factores poderá resultar num final fatal – uma poderosa erupção, que destruiria o Japão imediatamente e provocaria a seguir um tsunami capaz de alcançar a costa da China e todo o continente americano.

Segundo o autor principal do estudo, o geólogo Yoshiyuki Tatsumi, director do centro de pesquisa oceanográfica de Kobe, com a quantidade de magma que tem, a erupção da caldeira do Kikai lançaria para a atmosfera uma enorme quantidade de cinza, causando um “inverno vulcânicocapaz de afectar durante anos o clima da Terra.

“Apesar de a probabilidade de a gigantesca caldeira do Kikai entrar em erupção nos próximos 100 milhões de anos ser de apenas 1%, se tal acontecesse, no pior dos cenários estimamos que o número de mortes poderia ascender a 100 milhões”, explicou Tatsumi ao diário japonês The Mainichi.

Não deixa de ser preocupante que a quantidade de magma do Kikai esteja a aumentar, mas felizmente para todos nós, com uma probabilidade desta ordem de grandeza, mais depressa vemos o Japão ser destruído por um gigantesco monstro godziliano do que pela apocalíptica erupção do supervulcão.

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “mais depressa vemos o Japão ser destruído por um gigantesco monstro godziliano do que pela apocalíptica erupção do supervulcão.”

    A sério? : )
    Probabilidade de o Japão ser destruído por um gigantesco monstro godziliano = 0% (dinossauros terópodes do tamanho de arranha céus não existem)
    Probabilidade de o Japão ser destruído por um supervulcão nos próximos 100 milhões de anos = 1% (supervulcões existem).

RESPONDER

Frentes de Vila de Rei e Mação estão dominadas a 90%. Teme-se "reacendimentos graves"

Pedro Nunes, comandante do Agrupamento Distrital do Centro Norte da Proteção Civil, fez esta manhã o ponto da situação a partir da Sertã. O "incêndio está estabilizado", os meios foram redistribuídos e "90% do …

Fisco proibido de usar inspeções para incriminar contribuintes. Centenas de processos podem cair por terra

O Tribunal Constitucional (TC) considerou inconstitucionais as normas que permitem às autoridades avançar ou concluir processos-crime com declarações fiscais obtidas voluntariamente pelo contribuinte ou arguido, conforme o caso. Esta prática, de acordo com o TC, viola …

Os Australopitecos eram amamentados até aos 12 meses

As crias dos australopitecos, uma espécie humana extinta que viveu em África, foram amamentadas até ao primeiro ano de vida, segundo um estudo publicado esta segunda-feira na revista científica Nature. Na investigação da faculdade de medicina …

Tempestade no norte da Índia fez pelo menos 33 mortos

Pelo menos 33 pessoas e outras 13 ficaram feridas na sequência de uma tempestade que atingiu no domingo o estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, informaram esta segunda-feira as autoridades. De acordo com Sandhya, …

"Neve artificial" poderia salvar lençol de gelo da Antártida

O lençol de gelo da Antártida pode deslizar para o oceano e inundar as cidades costeiras. No entanto, esta catástrofe pode ser evitada se os Governos investirem num projeto de engenharia para cobrir a superfície …

Constante de Hubble recalculada. E o mistério da expansão do Universo adensa-se

Uma equipa de cientistas da Universidade de Chicago, nos EUA, voltou a medir a constante de Hubble, usada para medir a taxa de expansão do Universo. O novo estudo, liderado pela especialista Wendy Freedman e …

Micro-bristle-bot. O robô mais pequeno do mundo que pode vir a salvar vidas

Do tamanho de uma formiga e mais leve que uma pitada de sal, o "micro-bristle-bot" é o robô mais pequeno do mundo pode um dia vir a salvar vidas. Desenvolvido na Universidade da Georgia, nos Estados …

Os gorilas têm amigos para toda a vida (e fazem grandes festas anuais)

Cientistas concluíram que os gorilas têm amizades que duram para toda a vida, inclusive entre animais que não são parentes, e celebram grandes reuniões anuais. De acordo com o ABC, uma equipa de cientistas concluiu que …

Bengala que guiou bote salva-vidas após o naufrágio do Titanic leiloada por 44 mil euros

Quando o Titanic afundou em águas geladas perto de Newfoundland em 1912, um bote salva-vidas de sobreviventes usou a luz operada por bateria na bengala de uma mulher para iluminar o caminho para a segurança. Essa …

Amostras de sangue de animais de zoológicos ajudam a prever doenças em humanos

Os cientistas querem usar padrões genéticos similares, que estão presentes no sangue de humanos e animais há milhares de anos, para melhorar o prognóstico da doença assistida por computador. Os jardins zoológicos de Saarbrücken e Neunkirchen, …