Cientistas vão levar células cancerígenas ao Espaço para que a baixa gravidade as mate

Annie Cavanagh / Wellcome Images

Células cancerígenas

Através de estudos de simulação, um cientista australiano tem vindo a investigar de que forma o ambiente de baixa gravidade pode afetar a nossa fisiologia e, até mesmo, matar células cancerígenas.

Após ter recolhido dados de testes prévios, segundo os quais a ausência de gravidade no Espaço pode matar a maioria das células cancerígenas sem a necessidade de recorrer a medicamentos, um investigador australiano está agora a preparar-se para testar as suas experiências na Estação Espacial Internacional (EEI) no próximo ano.

O engenheiro biomédico Joshua Chou tem conduzido experiências num laboratório da Universidade de tecnologia de Sydney, usando um simulador de microgravidade para observar como as células cancerígenas respondem e, as suas possíveis razões.

Chou explicou à New Atlas que, antes da investigação, o foco estava na expressão genética do cancro sob microgravidade. “Mas ninguém analisou os mecanismos, e a estratégia que estamos a abordar é identificar os recetores sensoriais no cancro, na esperança de os enganar”, revelou o cientista.

Chou e Anthony Kirolos expuseram as células do cancro do ovário, mama, nariz e pulmão no simulador de microgravidade por 24 horas. 80% a 90% destas células morreram.

Os investigadores acreditam que isto ocorre porque a falta de força gravitacional nas células influencia a forma como estas comunicam entre si, tornando-as incapazes de sentir o ambiente — algo a que chamam descarga mecânica.

“Tenho de esclarecer que a microgravidade afeta outras células, como as células ósseas”, disse Chou. Desta forma, os investigadores conseguiram concluir que as células ósseas e do cancro são “super sensíveis aos efeitos da microgravidade.

Porque razão este efeito de descarga atinge mais as células cancerígenas do que as outras é uma das questões que Chou espera responder quando a sua experiência for realizada na EEI, no próximo ano.

Na primeira missão à EEI, as células vão ser compactadas num dispositivo mais pequeno do que o tamanho de uma caixa de lenços de papel e estudadas no ambiente de microgravidade durante uma semana.

A esperança é que a experiência possa elucidar os recetores e sensores específicos por detrás do efeito de descarga mecânica nas células cancerígenas, para que os cientistas possam projetar fármacos que repliquem os mesmo efeitos na Terra.

DR, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …

Bombardeamento israelita em Gaza em plena crise do novo coronavírus

O exército israelita bombardeou hoje postos do movimento radical Hamas em Gaza, em represália contra o disparo de um míssil, no primeiro confronto registado no enclave palestiniano em pleno surto do novo coronavírus, noticiou a …

Avião com material médico vindo da China chegou sem ventiladores e reagentes

O avião da Hi Fly que aterrou esta sexta-feira em Lisboa com material médico para ajudar Portugal a mitigar a pandemia de covid-19 chegou apenas com 24 das 35 toneladas previstas, faltando os reagentes para …

Cientistas "reiniciam" idade de células estaminais de uma mulher de 114 anos

As pessoas vivem mais de 110 anos, as supercentenárias, são notáveis não só pela sua idade, mas também por causa da sua incrível saúde. Agora, pela primeira vez, os cientistas reprogramaram células de uma mulher …

Nova Iorque alerta que só terá material médico até 5 de abril

O presidente da câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, alertou esta sexta-feira que a cidade apenas tem material médico até 5 de abril, lembrando que a 'Big Apple' é atualmente o epicentro do novo …

Cientistas determinaram como é que o cérebro controla a voz dos morcegos

Segundo um recente estudo levado a cabo por biólogos da Universidade de Frankfurt, é um circuito neuronal específico no cérebro dos morcegos que controla as suas vozes. Os morcegos são conhecidos pelo seu exímio sentido de …

Detetadas outras nove misteriosas rajadas rápidas de rádio que se repetem

Foram detetadas nove outras Rajadas Rápidas de Rádio (FRB) que se repetem entre as 700 já identificadas desde outubro de 2018 pelo projeto científico CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment), que se baseia num telescópio localizado …