Catarina Martins diz que o PS nunca quis firmar novo acordo

Luís Forra / Lusa

A coordenadora do Bloco, Catarina Martins, diz que o PS “não quis” assinar um acordo, apesar das reuniões que realizou com os partidos de esquerda.

“É bastante simples: em 2015, tivemos um acordo (ou vários) que permitiram uma maioria parlamentar durante quatro anos. Agora, o PS, tanto na noite eleitoral como na quarta-feira [da semana passada], disse que estava disponível para negociar um acordo”, começou por dizer em entrevista ao Expresso, a primeira depois das legislativas.

“Mas depois, muito rapidamente e sem fazer qualquer contraproposta ao BE, disse que afinal não queria. Na minha convicção, o PS teve sempre no horizonte não fazer acordo de maioria, mas conseguir esta negociação pontual no Parlamento”, afirmou.

Após a reunião com Costa, recorde-se, o Bloco mostrou-se disponível para dois cenários: firmar um acordo de legislatura ou analisar medida a medida. Os bloquistas, contudo, disseram preferir repetir uma acordo pela estabilidade do país. Em sentido oposto, o PCP recusou qualquer acordo – verbal ou escrito -, à semelhança do que tinha acontecido na última legislatura como a geringonça.

Na mesma entrevista, Catarina Martins diz que o PS já sabia à partida que os comunistas não queriam um acordo formal, deixando críticas a Carlos César.

“Não sei do que é que o PS estava à espera do BE. Para nós, naturalmente, teria de ser sempre um acordo com uma negociação, e uma negociação exigente, como foi há quatro anos. Ouvi esta semana Carlos César dizer que o acordo é afastado porque o PCP não quis acordo. Na noite eleitoral já o PS sabia que o PCP não queria acordo… Na quarta-feira, quando nos reunimos e o PS disse que iria pensar na nossa proposta, o PS já sabia que o PCP não queria…”, disse, recusando falar em encenação do PS.

No entender da bloquista, as reuniões que o PS teve com os partidos de esquerda serviram para não “não frustrar as expectativas dos portugueses” sobre uma nova geringonça.

“Há noção de que existe uma enorme expectativa popular à esquerda da reedição da geringonça. E o PS não quis frustrar essa expectativa num momento pós-eleitoral. Mas também ficou muito tentado pela hipótese de recolher sozinho os louros do trabalho que foi feito em conjunto nestes quatro anos e de ficar mais liberto para o seu caminho”.

Alterações laborais, revisão das carreiras especiais na função pública e o investimento são as questões mais “complicadas” que poderão marcar futuras negociações entre bloquistas e socialistas, admitiu Catarina Martins.

Quanto à composição do novo Governo, Catarina Martins não se alongou muito, dizendo apenas que o que vale “são as políticas, muito mais do que as pessoas”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo, IL e Chega querem avanço do desconfinamento. PSD pede travão nos concelhos de maior risco

Marcelo Rebelo de Sousa ouviu os partidos ao longo desta tarde. A renovação de mais um Estado de Emergência está na mira, mas há quem não concorde. O Presidente da República começou por receber o Iniciativa …

MP "não nos ligava patavina. Zero", disse major Vasco Brazão

O major Vasco Brazão, ex-porta-voz da Polícia Judiciária Militar (PJM), disse esta terça-feira ao coletivo de juízes do Tribunal de Santarém que o Ministério Público (MP) não "ligava patavina" à investigação e às diligências sobre …

Especialista alerta que uso de máscara aumentou doenças da voz

A otorrinolaringologista Clara Capucho alertou que o uso de máscaras imposto pela pandemia da covid-19 aumentou o número de patologias da voz, sobretudo nos aparelhos vocais dos portugueses. O alerta da coordenadora da Unidade de Voz …

Tóquio2020. Missão portuguesa deve ser vacinada para diminuir "insegurança" dos atletas

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, deseja que a Missão portuguesa aos Jogos Olímpicos Tóquio2020 seja vacinada, quanto antes, considerando que a demora cria "insegurança" entre os atletas e restante …

Rússia proíbe oficialmente casamento entre pessoas do mesmo sexo

A Rússia proibiu oficialmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo, numa emenda constitucional ratificada esta segunda-feira pelo Presidente russo, Vladimir Putin. Segundo avançou esta terça-feira a NBC, o deputado Pyotr Tolstoy, opositor ao casamento homossexual, …

Portugal não vai estar no Europeu feminino

Empate sem golos em Moscovo, depois da vitória da Rússia por 1-0, no Restelo. Fase final marcada para 2022, em Inglaterra. Ao contrário de 2017, a fase final do Europeu feminino de futebol não vai contar …

Apostas em raspadinhas caíram em 2020 para o valor mais baixo desde 2017

As raspadinhas são um vício que afeta principalmente pessoas da classe média baixa. No entanto, em ano de pandemia, as mudanças sócio-económicas na vida dos portugueses fizeram com que as apostas caíssem 16%. Os dados foram …

Associações querem suspensão de obras do Metro do Porto "sem autorização ambiental"

Quatro associações contestam o arranque das obras das linhas Rosa e Amarela do Metro do Porto "sem autorização ambiental legítima", exortando a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) a suspender as que desrespeitam a Declaração de …

Japão decide despejar água processada da central elétrica de Fukushima no Oceano Pacífico

O Governo japonês decidiu esta terça-feira que a água processada armazenada na central nuclear de Fukushima será descarregada no Oceano Pacífico, após tratamento para remover a maior parte dos elementos radioativos. A controversa medida visa resolver …

Após expulsão, Rúben Amorim é suspenso 15 dias. Técnico vai falhar três jornadas

Rúben Amorim foi suspenso por 15 dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência da expulsão no final do jogo com o Famalicão. Para além da suspensão, o técnico dos leões foi …