Em 2019, as Cataratas de Vitória foram silenciadas. O problema ainda causa preocupações em África

No seu volume máximo, as Cataratas de Vitória, no Zimbabué, facilmente encaixavam como uma das maravilhas naturais do mundo. Chegaram a ter uma dimensão de 1,7 quilómetros no seu ponto mais largo e uma altura de mais de 100 metros, mas em 2019 o pior aconteceu.

A queda de água é formada pelo fluxo do rio Zambeze que cai sobre um precipício chamado Primeiro Desfiladeiro. O precipício foi esculpido pela ação da água sobre as rochas vulcânicas que formam a região do sul de África. Contudo, em dezembro de 2019 a maior parte dessa majestosa queda de água foi silenciada.

Phil Parsons / Flickr

Cataratas de Vitória antes da seca

Durante a maior seca do século na região, sobraram apenas alguns pequenos recantos de água. Segundo a imprensa local, o fluxo hídrico voltou cerca de três meses depois, mas persistem as preocupações quanto ao futuro das cataratas e do clima africano.

Como uma das principais atrações turísticas locais, as Cataratas de Vitória são uma mais valia económica para o Zimbabué e para a Zâmbia. À medida que a notícia do baixo nível de água foi circulando, os comerciantes locais notaram uma queda considerável na chegada de turistas.

Além disso, a falta de água prejudicou o abastecimento de energia, uma vez que afetou o funcionamento de várias barragens.

Por outro lado, as agências humanitárias alertaram que o problema aumentou a necessidade de auxílio alimentar para a população local, uma vez que as colheitas foram prejudicadas pela seca.

Secas extremas

Os observadores de padrões climáticos no rio Zambeze acreditam que as mudanças climáticas estão a causar um retardamento da temporada de monções, fazendo com que as chuvas se concentrem no tempo e sejam mais intensas.

Esta situação torna mais difícil o armazenamento de água na região, além de tornar mais dramático o impacto da temporada de secas, com mais consequências para a população e para o meio ambiente.

Normalmente, um evento climático extremo não é, por si só, considerado uma consequência das mudanças climáticas. Porém, esta região do sul de África tem registado uma série de duras secas que refletem o que os cientistas climáticos previam que iria ocorrer, como resultado do aumento nos gases de efeito estufa na atmosfera global, lançados pela ação humana.

Na altura, o presidente da Zâmbia, Edgar Lungu, disse que a seca da queda de água era “um duro alerta do que as mudanças climáticas estão a fazer com o ambiente”.

O relatório de 2019 da ONU sobre O Estado do Clima em África pintava um cenário preocupante para um continente que pode ver a sua população dobrar no próximo século.

Num discurso no lançamento do relatório, em outubro de 2020, Petteri Taalas, secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial, observou que as “mudanças climáticas estão a ter um impacto crescente no continente africano, atingindo com mais dureza os mais vulneráveis, e contribuindo para a insegurança alimentar, o deslocamento de populações e o stress dos recursos hídricos”.

Acrescentou ainda que “nos últimos meses, vimos cheias devastadoras, invasões de gafanhotos do deserto e, agora, a perspetiva de secas, por causa do La Niña”.

O relatório da ONU acrescenta que 2019 esteve entre os anos mais quentes da história no continente africano, uma tendência que deve continuar no futuro.

O mais preocupante é que, ao mesmo tempo em que África deve ser o continente mais atingido pelas mudanças climáticas, é também o que tem menos capacidade para se adaptar às realidades de um mundo mais quente.

ZAP // BBC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Srs do AEIOU:

    O rio que passa nas Cataratas Vitoria tem nome em Português. É o rio ZAMBEZE, que passa por Tete, perto de onde nasci, e desagua no Oceano Índico (Canal de Moçambique).

    Não é “Zambezi”. Isso é em Inglês.

    Obrigado.

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …