Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

jechstra / Flickr

Entrada do antigo campo de concentração de Auschwitz, na Polónia.

Em 1944, David Wisnia e Helen “Zippi” Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia.

Porém, no final da guerra, foram separados depois de Wisnia ter sido transferido para o campo de concentração de Dachau. Os dois perderam-se um do outro e não tinham como entrar em contacto.

O único plano era voltarem a reunir-se num centro comunitário em Varsóvia, quando o conflito terminasse. No entanto, esse encontro nunca aconteceu e as suas vidas levaram-nos em direções completamente diferentes.

De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o encontro há muito esperado do casal sobrevivente aconteceu em agosto de 2016 no apartamento de Spitzer na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unido. Foi a primeira vez que os dois se viram desde que foram presos em Auschwitz décadas antes.

Spitzer, que usava o apelido do falecido marido, Tichauer, contou que esperou por ele no lugar combinado em Varsóvia. Mas Wisnia nunca apareceu.

Os dois conheceram-se em Auschwitz em 1943. Os prisioneiros eram separados por género portanto, apenas aqueles que tinham privilégios especiais podiam circular livremente pelo campo, como Wisnia e Tichauer. As habilidades de canto de Wisnia levaram-no de remover corpos de prisioneiros suicidas para se tornar o artista dos guardas nazis e recebeu um trabalho no escritório para desinfetar as roupas dos prisioneiros.

Depois de trabalhar no campo como trabalhadora e a sofrer de tifo, malária e diarreia, as habilidades de design de Tichauer, combinadas com a sua capacidade de falar alemão, fizeram com que tivesse um trabalho privilegiado como designer gráfica do campo. As suas tarefass incluíam a marcação de uniformes de prisioneiras e o registo de novas chegadas de mulheres.

Após a primeira reunião do casal, Tichauer dava comida aos prisioneiros para que pudessem continuar a encontrar-se em segurança e em segredo. Encontravam-se num pequeno espaço entre as roupas dos prisioneiros cerca de uma vez por mês, enquanto outros ficavam de vigia durante 30 minutos a uma hora cada vez que se encontravam.

“Eu não sabia o quê, quando, onde”, disse Wisnia, agora com 93 anos, ao mesmo jornal. “Ela ensinou-me tudo”. Na reunião, Wisnia descobriu o quanto Tichauer usou a sua influência para mantê-lo vivo.

“Eu salvei-te cinco vezes de remessas más”, disse. Tichauer também usou o seu trabalho no escritório para ajudar a resistência contra os nazis, manipulando a papelada para transferir os presos para diferentes empregos e quartéis e esgueirando relatórios oficiais do acampamento para vários grupos de combatentes.

O tempo dos amantes chegou ao fim quando se espalhou a notícia de que os russos estavam a aproximar-se. Ambos conseguiram escapar durante a transferência de prisioneiros entre os campos e casaram-se com outras pessoas. De acordo com o All That’s Interesting, Wisnia estabeleceu-se com sua família em Levittown, na Pensilvânia, enquanto Tichauer acabou em Nova Iorque com o marido.

Finalmente, depois de uma tentativa fracassada, viram-se novamente em 2016. Antes de deixar o apartamento, Tichauer pediu que cantasse para ela, como fez em Auschwitz. Wisnia pegou a mão dela e cantou uma música especial para os dois: uma música húngara que Tichauer lhe tinha ensinado no campo.

Tichauer faleceu, com 100 anos, em 2018.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …