Casal lésbico agredido em Londres por ter recusado beijar-se para entreter grupo de homens

Na noite de 30 de maio, perto da zona de Camden, no norte da capital britânica, um casal lésbico foi agredido por um grupo de homens quando recusou beijar-se para seu entretenimento.

As duas mulheres não quiseram esconder nem o caso nem as próprias feridas e colocaram a história, e as fotos dos rostos e roupas ensanguentadas, nas redes sociais.

“Quando se sentaram no andar de cima do autocarro foram abordados por um grupo de quatro pessoas que começaram a fazer comentários homofóbicos“, disse a polícia em comunicado, citado pelo Expresso. “As mulheres foram atacadas, receberam vários socos cada uma e foram roubadas: uma mala e um telemóvel desapareceram durante o tumulto”. A polícia acrescentou que várias pessoas foram detidas.

Uma das mulheres, Melania Geymonat, uruguaia de 28 anos, contou a história, com detalhes, no Facebook: “Não me lembro se já estavam lá ou se foram atrás de nós. Devemos ter-nos beijado ou assim e vieram ter connosco. Havia pelo menos quatro homens. De repente, começaram a comportar-se como hooligans, exigindo que nos beijássemos para que pudessem ver, gritando lésbicas e descrevendo posições sexuais”.

English & Español, against CHAUVINIST, MISOGYNISTIC AND HOMOPHOBIC VIOLENCE / En contra del MACHISMO, MISOGINIA Y…

Publicado por Melania Ps em Quarta-feira, 5 de junho de 2019

“No autocarro só estávamos nós e eles. Na tentativa de acalmar as coisas, comecei a fazer piadas, pensando que isso os poderia acalmar um pouco. A Chris até fingiu que estava doente, mas continuaram com o assédio, atiraram-nos moedas. Estavam cada vez mais entusiasmados com a situação”.

“Quando dei por mim a Chris estava no meio do autocarro a lutar com eles. Saltei do banco num impulso e fui lá, apenas para encontrar o rosto dela cheio de sangue e três dos homens a baterem-lhe. Logo depois começaram a bater-me também. Fiquei tonta quando vi o meu sangue e caí. Não me lembro se perdi ou não a consciência”.

“De repente, o autocarro parou, a polícia estava lá quando acordei e eu tinha sangue por todo o lado. As nossas coisas tinham sido roubadas. Não sei se parti o nariz, não consegui voltar ao trabalho, mas o que mais me irrita é que a violência tornou-se uma coisa comum, e às vezes é necessário ver uma mulher a sangrar depois de ter sido espancada para conseguirmos algum tipo de impacto na sociedade.”

“Estou cansada de ser considerada um objeto sexual, de descobrir que estas situações são comuns, de amigos gays que foram espancados só porque sim. Temos de suportar o assédio verbal e violência chauvinista, misógina e homofóbica, porque quando tentamos defender-nos coisas assim acontecem.”

Esta sexta-feira, os números de partilhas deste relato estava nos 11 mil e mais de seis mil pessoas tinham comentado a fotografia de Melania. Um das reações condenatórias veio do presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, que escreveu no Twitter: “Este é um ataque horrível e misógino. Crimes de ódio contra a comunidade LGBT+ não serão tolerados em Londres”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Querem saber quem são os herdeiros da Terra? Os animais, as aves e tudo que encanta a santa mãe Natureza, quando o desenvolvimento subhumano desintegrar a degradação de toda a humanidade, repetindo de toda a humanidade.

Nova aplicação deteta insuficiência cardíaca através da voz

Foi desenvolvida uma nova aplicação para smartphones que prevê a insuficiência cardíaca através da voz. A tecnologia baseia-se num dos sintomas mais comuns: a falta de ar. O sintoma mais comum da insuficiência cardíaca é a …

Atividade física ajuda a prevenir a perda de visão

Uma nova investigação sugere que o exercício físico pode ser um componente-chave na prevenção da perda de visão. Os benefícios da atividade física são cada vez mais conhecidos, mas há alguns que devem ser tidos em …

Dubai vai construir uma cidade marciana no deserto

O Dubai tem em mãos um projeto ambicioso: a construção de uma cidade marciana. O projeto foi apresentado por uma empresa sediada em Copenhaga e Nova Iorque e é uma parte do plano dos Emirados …

Coreia do Norte voltou a rejeitar negociações com os Estados Unidos

A Coreia do Norte disse, esta terça-feira, que não tenciona retomar o diálogo com os Estados Unidos, quando o vice-secretário de Estado norte-americano, Stephen Biegun, chegou à Coreia do Sul para discutir diplomacia nuclear. Num comunicado …

Construiu uma cadeira de rodas com bicicletas elétricas para a namorada. Agora, vai produzi-la em massa

Para Zack Nelson, construir esta  peça inovadora de engenharia foi "super divertido e surpreendentemente simples". Há cerca de um ano, Zack Nelson, o youtuber de tecnologia do canal JerryRigEverything, uniu duas bicicletas elétricas para criar uma …

A reeleição de Trump nunca esteve tão ameaçada. A culpa é do pessimismo dos americanos

A gestão do Presidente norte-americano face à pandemia e a perspetiva de uma crise económica ameaçam a reeleição de Donald Trump. Um estudo de opinião da Fundação Peter G Peterson para o The Financial Times indica …

Ministros da Indonésia promovem colar de eucalipto como cura para a covid-19

O ministro da Agricultura da Indonésia foi muito criticado por especialistas por alegar que um colar feito de eucalipto pode ajudar a impedir a transmissão da covid-19. Segundo o The Guardian, o ministro da Agricultura da …

SATA pede auxílio ao Estado no valor de 163 milhões de euros

A SATA, companhia aérea detida a 100% pela Região Autónoma dos Açores, precisa do valor até ao final do ano para pagar dívidas. A SATA pediu um auxílio ao Estado de 163 milhões de euros para …

Cortiça portuguesa usada em foguetões da Space X

A Corticeira Amorim forneceu a Space X, de Elon Musk, para componentes usados nos foguetões espaciais da empresa, adiantou o presidente da empresa, António Rios Amorim. "É o nosso maior cliente [deste segmento] neste momento desde …

Pandemia põe em risco mais de 40% dos empregos no Algarve

Além do Algarve, outros destinos turísticos europeus, como ilhas do sul da Grécia, Canárias e Baleares, estão também em risco. As regiões onde o turismo tem mais peso enfrentam um risco maior de destruição de emprego, …