Os casais chineses estão ansiosos por se divorciar. A culpa é de uma nova lei

Vários casais chineses estão a agilizar os pedidos de divórcio antes que uma nova lei entre em vigor. A nova regra torna o divórcio num processo mais difícil e lento.

A nova lei, aprovada em maio do ano passado, mas que vai entrar agora em vigor, exige que os casais participem num período de “reflexão” de 30 dias antes de fazerem o pedido oficial de divórcio.

Se um dos membros do casal decidir cancelar o divórcio durante esse período, a outra parte deverá solicitar a separação novamente e assim terão de fazer um novo período de reflexão de mais 30 dias.

Cheng Xiao, vice-presidente e professor da Faculdade de Direito da Universidade de Tsinghua, explica que a lei foi pensada para conter divórcios “impulsivos”.

“O casal pode ter discutido sobre assuntos familiares e tomar a decisão de se divorciar num momento de raiva, sendo mais fácil depois arrependerem-se. É preciso prevenir os divórcios impulsivos”, referiu Xiao a um jornal local, cita o Insider.

A mudança é vista por alguns como uma forma de a China, país que coloca a “harmonia familiar” no centro da sua cultura, desencorajar casais com problemas a separarem-se.

A liderança chinesa esperava que a quarentena levasse a um baby boom, mas, de acordo com especialistas, a população do país deverá entrar num período de “crescimento negativo”.

De acordo com o Insider, depois de vários meses em quarentena, são muitos os casais chineses que estão ansiosos por dar esse passo nas suas vidas, tanto que em alguns casos, relatou o SCMP, há casas de câmbio online a ganhar dinheiro a vender horários marcados com advogados especializados em divórcio.

As taxas de divórcio têm aumentado constantemente na China nos últimos quinze anos. Em 2003, cerca de 1,3 milhões de casais divorciaram-se, mas 2018 foi um dos piores anos, uma vez que o número atingiu os 4,5 milhões.

A nova lei de reflexão abre exceções no caso de violência doméstica, mas os advogados acreditam que esta só irá complicar ainda mais a situação das pessoas que se encontram com este problema.

“Os homens podem decidir se querem divorciar-se ou retirar o pedido, mas se uma mulher quiser e o homem não, esta terá de contratar um advogado, o que acarreta um grande custo pessoal e financeiro e muitas mulheres não estão em posição de o fazer”, referiu Zhong Wen, advogada especializada em divórcios.

Wen lamenta ainda que a China não tenha uma rede de instituições e recursos de apoio ao combate à violência doméstica, o que significa que, mesmo que uma mulher consiga afastar-se do companheiro abusivo, pode não ter para onde ir.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …

Ex-guarda nazi julgado aos 100 anos por cumplicidade em assassinatos

Um homem de 100 anos que supostamente serviu como guarda num campo de concentração nazi será julgado em outubro por cumplicidade no assassinato de mais de 3.500 pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, informou a …