Caos na Síria. Bombardeamentos turcos levam à fuga de centenas de militantes do Daesh presos

Cerca de 800 militantes do Daesh fugiram neste domingo da prisão de Ain Issa, de acordo com a administração autónoma curda, que acusa a Turquia de ter dado “cobertura aérea” para que a fuga fosse bem-sucedida.

Começaram também a surgir vídeos de execuções de civis e abusos contra prisioneiros de guerra às mãos de mercenários árabes que combatem ao lado do exército de Ancara.

“Pelo menos 785 militantes estrangeiros do Daesh escaparam hoje [domingo] do campo de Ain Issa com a ajuda de mercenários e cobertura aérea de aviões turcos”, revelou a administração curda em comunicado publicadono Facebook. “Os mercenários e tropas turcas atacaram a segurança do campo e criaram um corredor para que os combatentes estrangeiros do Daesh pudessem escapar”.

A fuga foi mais tarde confirmada pelo porta-voz das Forças Democráticas da Síria (SDF), Mustafa Bali, ao dizer que “quase todos os suspeitos militantes do Daesh fugiram do campo”.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, com sede no Reino Unido, avançou que aldeias nas proximidades do campo foram bombardeadas pela Força Aérea Turca e por artilharia. Quando os mercenários dispararam e as bombas turcas caíram nas proximidades do campo, os guardas curdos abriram fogo e, ao mesmo tempo, os militantes detidos começaram a atacá-los. Na confusão, abriram um dos principais portões e fugiram.

Um responsável turco, de acordo com o jornal norte-americano New York Times, citado pelo jornal Público, disse que a bandeira do Daesh foi levantada no campo entre a cidade curda de Ain Issa e a fronteira turca.

Há alguns dias, na iminência da ofensiva turca, os curdos viram-se obrigados a transferir a maioria dos 700 guardas para as linhas da frente e a segurança do campo ficou limitada a entre 60 a 70 guardas curdos.

“A guarda era muito fraca”, disse Marvan Qamishlo, citado pelo britânico Independent. “Não temos números suficientes”, acrescentou, referindo que o número ideal para uma segurança capaz no campo seria 1500. O campo de Ain Issa localiza-se a 50 quilómetros de Raqqa e estavam lá mais de 12 mil pessoas.

A localização dos campos de detenção de jihadistas geridos pelos curdos é bem conhecida pela Turquia, por integrar a coligação internacional contra o Daesh e a questão dos militantes estrangeiros da organização ser um dos grandes temas de discussão entre os membros da coligação.

Curdos chegam a acordo com regime sírio

Os curdos e o governo sírio chegaram a um acordo para mobilizar tropas para a fronteira norte do país de modo a estancar a ofensiva militar vinda da Turquia. Os curdos estarão a negociar um entendimento com as forças russas e sírias de apoio a Bashar al-Assad para combater o exército turco.

A aliança surge depois de o presidente Donald Trump ter anunciado este sábado que os Estados Unidos aplicarão “sanções severas” contra a Turquia, pela ofensiva militar contra as milícias curdas na Síria, e ter ordenado a saída imediata das tropas norte-americanas na região.

Pelo menos 26 civis terão sido mortos só este domingo. Desde que a ofensiva turca começou no nordeste da Síria, na quarta-feira, mais de 130 mil pessoas deixaram as suas casas nas cidades de Tal Abyad e Ras al-Ain. De acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), alguns deles foram recebidos pelos seus familiares noutros outros locais, mas muitos refugiaram-se em escolas ou abrigos em cidades como Tal Amr, Hasakeh ou Raqa.

As Nações Unidas também alertaram que os hospitais públicos e privados de Ras al-Ain e Tal Abyad fecharam na sexta-feira e que mais de 400 mil pessoas ficaram sem abastecimento de água em Hasakeh, incluindo 82 mil residentes dos campos de refugiados de Al-Hol e Areesha.

A ofensiva turca, denominada “Operação Fonte da Paz”, começou há cinco dias. O Presidente turco quer criar uma “zona de segurança” para arabizar o Nordeste da Síria ao instalar ali mais de dois milhões de refugiados árabes sírios e, assim, alterar a composição demográfica em detrimento dos curdos.

A Turquia considera existir uma continuidade entre as milícias YPG do Nordeste da Síria e o PKK curdo na Turquia, que classifica como uma organização terrorista, o que usa como pretexto para esta ofensiva além-fronteiras.

Ancara apoia-se em milícias árabes formadas por elementos que viviam na zona da ofensiva e que foram também vítimas de deslocação forçada feita pelos curdos em 2015, com relatos de aldeias árabes a serem demolidas. Muitos eram precisamente de Ras al-Ayn e Tel Abyad, as cidades que foram os primeiros alvos da ofensiva e que anteriormente tinham uma população de maioria árabe. Alguns juntaram-se ao Daesh, em busca de vingança contra os curdos e agora combatem nas fileiras das milícias pró-turcas.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Agora esses do Daesh deviam ir “agradecer” à administração americana – mesmo à administração, não ao povo nem aos militares!…

RESPONDER

A supergigante Betelgeuse é mais pequena e está mais perto da Terra do que se pensava

De acordo com um novo estudo feito por uma equipa internacional de investigadores, podem ser necessários mais 100.000 anos até que a estrela gigante vermelha Betelgeuse morra numa explosão de fogo. O estudo, liderado pela Dra. …

Mulheres menos propensas à covid-19 por respeitarem mais o distanciamento social

Uma das razões pelas quais as mulheres podem ser menos vulneráveis ​​a infeção pelo novo coronavírus deve-se ao facto de serem mais propensas a aderir às políticas de distanciamento social, sugeriu uma nova pesquisa. Uma pesquisa …

Braga 3 - 0 AEK | Minhotos de gala conquistam atenienses

O Sporting de Braga iniciou a sua participação no Grupo G da Liga Europa com uma vitória. Na recepção aos gregos do AEK de Atenas, os minhotos mostraram ser muito mais equipa e ganharam por …

Capitalismo vai arruinar o planeta até 2050, alertam cientistas

Um grupo de cientistas alerta que se continuarmos com este capitalismo desenfreado, o nosso planeta vai sofrer consequências a nível climático e ambiental. Até 2050, o planeta Terra pode sofrer seriamente às mãos do capitalismo desenfreado. …

Os novos faróis inteligentes da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro

Os novos faróis LED da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro, já que são capazes de projetar imagens na estrada ou em paredes. A novidade é lançada na nova linha de SUVs elétricos da …

FC Porto foi "histriónico" e não se portou bem, escreve-se em Manchester

Jornal inglês alega que os elementos do FC Porto foram exagerados, turbulentos e não tiveram um comportamento adequado. Não há uma única palavra sobre o árbitro. Na manhã seguinte à derrota (3-1) do FC Porto em …

De passagem secreta a cemitério de carros. Túnel sob Nápoles "esconde" veículos enferrujados da II Guerra

No centro de Nápoles, em Itália, há veículos e motocicletas abandonados e enferrujados dos anos 1940 alinhados num túnel a mais de 30 metros abaixo dos seus pés. A Piazza del Plebiscito foi nomeada após uma …

Primeira ministra islandesa interrompida por um terramoto quando dava uma entrevista em direto

Um terramoto de magnitude 5.6 interrompeu uma entrevista em direto da primeira ministra islandesa ao The Washington Post. Mas Katrin Jakobsdottir reagiu à situação de forma tranquila: "Isto é a Islândia". Katrin Jakobsdottir estava a dar …

O voo mais longo do mundo está de volta (e agora é ainda mais longo)

O voo da Singapore Airlines que partia de Singapura com destino até Nova Iorque, foi uma das vítimas do covid-19 e ficou suspendo a 23 de março. Agora, é possível viajar nesta rota novamente, e …

Obras de cinco museus de Berlim vandalizadas no início do mês

Sarcófagos egípcios, pinturas do século XIX e esculturas em pedra de três dos principais museus de Berlim foram atacados com uma substância líquida oleosa a 3 de outubro, dia em que se festejaram os 30 …