Canadá atingido por mais de 710.000 relâmpagos num intervalo de 15 horas

thelightningman / Flickr

Associado a um clima mais ameno, o Canadá está a suportar uma intensa onda de calor, exacerbada pelos incêndios florestais, cujas nuvens de fumo causaram mais de 710.000 relâmpagos numa única noite.

As temperaturas recordes atingiram o noroeste do Pacífico e, com o aumento dos incêndios florestais, 90% da vila de Lytton, na Colúmbia Britânica, ficou queimada após registar a temperatura mais alta de todos os tempos do Canadá, 49.6 graus Celsius.

As nuvens causadas pelos incêndios, conhecidas como ‘cumulonimbus flammagenitus’, formam-se sobre uma fonte de calor e lançam uma intensa chuva de relâmpagos, alimentando ainda mais as chamas, como explica um artigo do Interesting Engineering.

Na quarta-feira, o meteorologista Chris Vagasky escreveu no Twitter que a Rede de Deteção de Relâmpagos da América do Norte detetou 710.117 relâmpagos na Colúmbia Britânica e no noroeste de Alberta, entre a tarde de 30 de junho e o início de 01 de julho.

A onda de calor deste ano foi definida como “histórica, perigosa, prolongada e sem precedentes”, pelo Serviço Meteorológico Nacional. A 29 de junho, o país registou um novo recorde de temperatura, 49,6 graus Celsius. Mais de 130 pessoas morreram, a maioria delas idosa ou com problemas de saúde.

O incêndio que em Lytton vitimou duas pessoas. Desde 04 de junho, os bombeiros enfrentam mais de 180 incêndios florestais na Colúmbia Britânica, com 70% destes causados por relâmpagos, de acordo com o British Columbia Wildfire Service.

  Taísa Pagno //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.