As camas dos chimpanzés são mais limpas que as nossas

Dormir numa cama de chimpanzé pode trazer-lhe uma noite de sono mais limpa do que tirar uma sesta na sua própria cama. Segundo um novo estudo, há um menor número de corpos derivados de bactérias nas camas desses mamíferos do que nas dos humanos.

A pesquisa, publicada na quarta-feira na revista científica Royal Society Open Science, verificou a diversidade de bactérias encontrada nas camas de chimpanzés – também chamadas de ninhos – que são construídas em árvores todas as noites.

Os cientistas descobriram que os ninhos abrigavam menos diversidade de bactérias do que as camas humanas. No entanto, o estudo não revela o número total de bactérias.

“Sabemos que as casas dos humanos são efetivamente os seus ecossistemas, e as camas humanas contêm um subconjunto dos tipos de organismos encontrados em casa”, explicou a co-autora do estudo Megan Thoemmes. “Por exemplo, cerca de 35% das bactérias nas camas humanas vem do nosso próprio corpo, incluindo bactérias fecais, orais, e de pele.”

“Queríamos descobrir de que forma é que isto se compara com alguns dos nossos parceiros de evolução mais próximos, os chimpanzés, que constroem as suas camas diariamente.”

Ao retirar amostras de 41 ninhos de chimpanzés abandonados na Tanzânia, os investigadores conseguiram construir uma imagem da diversidade dos microorganismos que viviam nas camas daqueles macacos.

Os cientistas descobriram que, enquanto a diversidade das bactérias que habita os ninhos era muito maior do que a encontrada nas camas humanas – o que não é surpreendente considerando que vivem em florestas – a proporção de microorganismos que vem do corpo era bastante menor.

Na verdade, os cientistas descobriram que apenas 3.5% das bactérias recolhidas dos ninhos era derivada da saliva, pele ou fezes dos chimpanzés.

Tendo em conta que os chimpanzés não são propriamente conhecidos por tomar banho regularmente, e, por isso, seria esperado que hospedassem mais bactérias fecais no seu pelo, a equipa esperava que esta percentagem fosse bastante mais alta.

Os investigadores também descobriram que o número de parasitas – neste caso, carraças e pulgas – era muito mais baixo do que tinha sido previsto, com apenas quatro a serem encontrados no estudo.

Ao que parece, os nossos “familiares peludos” têm um sono muito mais limpo do que nós, o que, quando temos em conta que dormimos no mesmo local a maioria das noites, pode não ser uma descoberta tão chocante assim.

Os chimpanzés, por outro lado, fazem um ninho novo todas as noites, para reduzir a acumulação de agentes patogénicos, mas também para tentarem reduzir a probabilidade de serem apanhados pelos predadores.

O problema deste estudo é que se focou na diversidade das bactérias encontradas nos ninhos e de onde derivavam, em vez de se focar no número total. Os investigadores não informaram quantas bactérias (no total) estavam presentes nos ninhos de chimpanzés, em comparação com o número de bactérias nas nossas camas.

  ZAP // IFL Science

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …